A revoluçao brasileira e seus revisitores no pós 1964: quatro narrativas marxistas.

  • Sander Cruz Castelo

Resumo

Objetiva-se, neste ensaio, situar a renovação do marxismo brasileiro, desencadeada a partir do golpe civil-militar de 1964. Tendo sido invalidados os pressupostos da revolução brasileira construídos pelo PCB, buscou-se redimensioná-los no novo contexto, especialmente dentro das hostes da sociologia paulista. Tomando como matriz a obra A revolução brasileira (1966), de Caio Prado Jr., e explorando o conteúdo de três outras que a seguiram, quais sejam, Dependência e desenvolvimento na América Latina (1969), de Fernando Henrique Cardoso e Enzo Faletto, A economia brasileira: crítica à razão dualista (1972), de Francisco de Oliveira, e A revolução burguesa no Brasil (1975), de Florestan Fernandes, acompanha-se a lenta reconstrução de um edifício teórico a cada dia mais nativo.

Palavras-Chave: intérpretes do Brasil; marxismo brasileiro; revolução brasileira.

Edição
Seção
Artigos