Entre o ímpeto criativo e a ação política: Como pensar a educação a partir de Hannah Arendt e Nietzsche?

  • Bárbara Romeika Rodrigues Marques

Resumo

RESUMO: Hannah Arendt e Nietzsche oferecem diagnósticos do presente: ela aponta a condição apolítica a que se encontram os humanos – quando da sobreposição das relações de produção e consumo ao primeiro plano; ele identifica na incultura moderna o engessamento do ímpeto criativo – tão caro à espécie humana. Ambos apontam a crise na Cultura e com ela a configuração da Educação em tempos sombrios. É com Hannah Arendt e Nietzsche que percebemos o risco que se submete o mundo moderno ao imperar em seu cerne o homem reprodutor de um saber estéril, técnico e que perdeu há muito a capacidade de agir junto à condição de pertencer ao mundo. Este texto acolhe o esforço reflexivo dos dois pensadores e propõe uma direção que evidencie a necessidade de pensar a Educação como essencial na formação deum novo homem.

PALAVRAS-CHAVE: Educação; Criação; Ação; Arendt; Nietzsche.

Biografia do Autor

Bárbara Romeika Rodrigues Marques
Programa de Pós-graduação em Filosofia da UFRN
Publicado
2011-01-01
Edição
Seção
Artigos