O deslocamento do lugar social da negação em Herbert Marcuse

  • Rosalvo Schütz Professor nos cursos de graduação e de pós-graduação emFilosofia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Bolsista de Produtividade do CNPq

Resumo

O pensamento de Marcuse é profundamente marcado pela tradição dialética. O conceito de negação, no entanto, adquire significados específicos em sua teoria. Se o mérito de Hegel é o de ter descoberto a negação enquanto princípio motor e criador da história, já em Marx ela passa a ser entendida enquanto processo social de transformação. Por isso, o proletariado, enquanto portador dos sofrimentos universais, adquire centralidade negativa na teoria de Marx. Marcuse, por sua vez, inova ao ampliar o lugar social da negação. Ao afirmar que a totalidade pode ser negada desde fora do sistema, sugere que não se trata de substituir uma totalidade por outra, mas de instigar um novo princípio de realidade.

Palavras-chave: Negação; Princípio de realidade; Emancipação instintiva
Publicado
2012-07-01
Edição
Seção
Varia