Linguagem e metafísica em João Guimarães Rosa

Keywords: Language. Metaphysics. Philosophy. João Guimarães Rosa. Soren Kierkegaard. Miguel de Unamuno.

Abstract

The article proposes to problematize the language and metaphysics of the Minas Gerais writer João Guimarães Rosa (1908-1967) as his way of inhabiting philosophy or philosophizing. To this end, a dialogue is established with the Danish philosopher Søren Kierkegaard (1813-1855) and with the Spanish thinker Miguel de Unamuno (1864-1936), whose languages they use to construct their respective speculative thoughts, according to the writer, do not make them systematic philosophers, but rather metaphysicians of the human soul and of transcendence. The focus of discussion is based on the analysis of Rosa’s statements, collected in conversation with the literary critic Günter W. Lorenz, and in the correspondence with his German translator Curt Meyer-Clason and his Italian translator Edoardo Bizzari.

References

ABBAGNANO, N. Dicionário de filosofia. Trad. A. Bosi. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
AMARAL, R. Guimarães Rosa e Marcuse: a literatura como resistência política. Humanidades & Inovação, v. 6, 2019. p. 35-45.
AMARAL, R. Todos os homens são filósofos. Riobaldo é homem. Logo, Riobaldo é filósofo. Interfacis, v. 2, 2016a. p. 36-47.
AMARAL, R. A narrativa rosiana: o verbo do sertão. Humanidades & Inovação, v. 3, n. 3, 2016c. p. 7-22.
AMARAL, R. A questão do mal em Grande Sertão: Veredas - Um diálogo entre Tomás de Aquino e o jagunço Riobaldo. Em Tese, v. 22, 2016c. p. 21-30.
AMARAL, R. A inovação semântica ricoeuriana em Grande Sertão: Veredas. Prometeus, v. 12, 2013. p. 273-281.
AMARAL, R. As aparências de Cronos em Grande Sertão: Veredas. Kuruatuba, v. 1, 2011a. p. 06-15.
AMARAL, R. A questão do narrador: Walter Benjamin e Guimarães Rosa. Araticum, v. 4, 2011b. p. 52-61.
AMARAL, R. A teofania em Grande sertão: veredas – por uma pedagogia dos símbolos. Goiânia. 143f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Goiás, 2007.
AMARAL, R. “Viver é muito perigoso” ou o “mal” em Grande sertão: veredas – breves anotações tomistas. Cadernos de pesquisa do CDHIS, v. 34, n. 19, 2006a. p. 36-44.
AMARAL, R. O imaginário em Grande sertão: veredas – a travessia do Liso do Sussuarão. Revista Labirinto, v. VI, n. 9, 2006b.
CONCHE, M. Introdução. In: HUISMAN, D. Dicionário dos filósofos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
D’HONT, J. Hegel. In: HUISMAN, D. Dicionário dos filósofos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
GUIMARÃES, V. Joãozito – infância de João Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1972.
KEMP, P. Kierkegaard. In: HUISMAN, D. Dicionário dos filósofos. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
LORENZ, G. João Guimarães Rosa. In: LORENZ, G. Diálogo com a América Latina. Panorama de uma literatura do futuro. São Paulo: E.P.U., 1973.
MIRAMÓN, A. Introducción. In: UNAMUNO, M. Niebla. Madrid: Alianza, 1986.
MORAIS, K; AMARAL, R. A questão do mal em Grande sertão: veredas – uma leitura à luz da hermenêutica de Paul Ricoeur. Humanidades & Inovação, v. 6, 2019. p. 73-96.
ROSA, J. G. Primeiras estórias. 15. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.
ROSA, J. G. Correspondência com seu tradutor alemão Curt Meyer-Clason (1958-1967). Trad. E. Paschoal. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Academia Brasileira de Letras; Belo Horizonte: EDUFMG, 2003a.
ROSA, J. G. Correspondência com seu tradutor italiano Edoardo Bizzarri. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora da UFMG; Nova Fronteira, 2003b.
ROSA, J. G. Grande Sertão: Veredas. 19. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.
SAVATER, F. Prólogo. Em: UNAMUNO, M. Do sentimento trágico da vida – nos homens e nos povos. Trad. E. Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
Published
2020-12-11