As personagens femininas na ficção cética de Machado de Assis

Keywords: Machado de Assis. Female characters. Skepticism.

Abstract

This paper aims to present the role of female characters in the skeptical fiction of Machado de Assis. We take as a basis the interpretation of José Raimundo Maia Neto. According to the author, this skeptical fiction presents the development of a narrator throughout Machado’s fiction. The article is divided into three parts. In the first, the type of skepticism present in Machado’s work according to Maia Neto is presented in its most important elements. In the second, the comprehensive meanings of female characters in this context are discussed in general. In the third, some of the Machado’s characters are analyzed individually.

References

ASSIS, M. Obra completa em quatro volumes. São Paulo: Editora Nova Aguilar, 2015.
CALDWELL, H. O Otelo brasileiro de Machado de Assis: um estudo de Dom Casmurro. Tradução de Fábio Fonseca de Melo. Cotia: Ateliê Editorial, 2008.
COMMELIN, P. Mitologia grega e romana. Tradução de Eduardo Brandão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
DIÔGENES L. Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres. Tradução de Mário da Gama. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2008.
GUIRAND, F. História das mitologias I. Tradução de Leonor Santana Bárbara. Lisboa: Edições 70, 2006.
KRAUSE, G. B. Quem me dera: o ceticismo de Machado de Assis. Sképsis, n. 1. 2007. p. 171-183.
MAIA NETO, J. R. O desenvolvimento de uma visão de vida cética na ficção de Machado de Assis. In: ROCHA, J. C. C. Machado de Assis: lido e relido. São Paulo: Alameda, Campinas: Editora UNICAMP, 2016.
MAIA NETO, J. R. O delito capitolino. Aletria, n. 1, v. 23, jan/abr 2013. p. 59-71.
MAIA NETO, J. R. O ceticismo na obra de Machado de Assis. São Paulo: Annablume, 2007A.MAIA
NETO, J. R. Machado, um cético brasileiro: reposta a Paulo Margutti e a Gustavo Bernardo. Sképsis, n. 1, 2007B. p. 212-226.
MAIA NETO, J. R. Machado de Assis: ceticismo e literatura. In: KRAUSE, G. B. Literatura e ceticismo. São Paulo: Annablume, 2005. p. 11-24.
MARCH, J. Mitos clássicos. Tradução de Maria Alice Máximo. São Paulo: Civilização Brasileira, 2015.
MARGUTTI, P. História da filosofia do Brasil (1500 – hoje): 1a parte: o período colonial (1500 –1822). São Paulo: Edições Loyola, 2013.
MARGUTTI, P. Machado, o brasileiro pirrônico? Um debate com Maia Neto. Sképsis, n. 1, 2007. p. 183–212.
MORAES, E. R. O decoro de uma cortesã. Estudos Avançados, n. 35, 2019. p. 317-329.
MORAES, E. R. “Um vasto prazer, quieto e profundo”. Estudos Avançados, n. 23, 2009. p. 271-288.
MARTINS, A. L. Machado de Assis: o filósofo brasileiro. Porto Alegre: Editora Fi, 2017.
MURICY, K. A razão cética: Machado de Assis e as questões de seu tempo. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.
PAES, J. P. Um aprendiz de morto. In: ______. Machado de Assis obra completa em quatro volumes. São Paulo: Editora Nova Aguilar, 2015. p. 163-179.
PASCAL, B. Pensamentos. Tradução de Mário Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
PHILIPOV, R. Edgar Allan Poe e Machado de Assis: intertextualidade e identidade. Itinerários. Araraquara, n. 33, jul/dez 2011. p. 39-47.
POPKIN, R. História do ceticismo de Erasmo a Spinoza. Tradução de Danilo Marcondes. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.
REALE, M. A filosofia na obra de Machado de Assis e Antologia filosófica de Machado de Assis. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1973.
RIBEIRO, L. F. Mulheres de papel: um estudo do imaginário em José de Alencar e Machado de Assis. Niterói: EDUFF, 2006.
SCHWARZ, R. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. 2. ed. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2012.
SCHWARZ, R. A poesia envenenada de Dom Casmurro. In: Duas meninas. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.
WEIL, E. Lógica da filosofia. São Paulo: É realizações, 2012.
Published
2020-12-11