DIVERS PERCEPTIONS AND IMPLICATIONS FOR SUSTAINABLE TOURISM MANAGEMENT IN THE CEARÁ STATE COAST, BRAZIL

Resumo

  1. A análise das percepções dos mergulhadores pode ser uma ferramenta útil para o desenvolvimento do turismo sustentável. Apesar de sua importância, ainda há pouca compreensão do papel das percepções de problemas ambientais e de infraestrutura na melhoria do turismo de mergulho nos países em desenvolvimento. Este estudo avalia as percepções de 140 mergulhadores sobre diferentes locais de mergulho na costa do estado do Ceará, no Nordeste do Brasil. Os resultados indicam que, apesar da existência de 32 locais de mergulho, apenas a área marinha protegida (Parque Estadual Marinho Pedra da Risca do Meio) foi visitada regularmente. Essa área foi classificada como “boa/muito boa” no que diz respeito à biodiversidade marinha. Uma de suas particularidades é a presença de ambientes recifais. Os mergulhadores classificaram como “ruim/pobre” tanto as embarcações utilizadas como o embarque e desembarque para a prática do mergulho recreativo. Além disso, os tempos de viagem/navegação e a presença de lixo marinho e de redes de pesca abandonadas foram considerados “razoáveis/médios”. Finalmente, este estudo discute várias estratégias de preservação da biodiversidade marinha tropical aliadas à satisfação e ao entretenimento dos mergulhadores, entre elas o monitoramento da pesca ilegal, a implementação do plano de gestão/ manejo da área marinha protegida e melhorias na infraestrutura utilizada na prática do mergulho. Compreender as preferências dos mergulhadores recreativos em relação às experiências de mergulho pode fortalecer o turismo sustentável, além de ser uma ferramenta de grande importância para o apoio das políticas públicas e da gestão costeira.
    Palavras-chave: turismo de mergulho, gestão costeira, áreas marinhas protegidas, turismo costeiro.

Biografia do Autor

Ana Flavia Pantalena, Labomar

Doutora (2017) e Mestre (2012) em Ciências Marinhas Tropicais pela Universidade Federal do Ceará; especialista em Direito Civil (2007) pela Escola Paulista de Direito; bacharel em Direito (2005) pela Universidade Paulista e bacharel em Administração de Empresas (1995) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP. DiveMaster (2015) pela Professional Association of Diving Instructors - PADI e mergulhadora de Rebreather nivel CCR Normoxic Trimix Diver (2016) pela International Association of Nitrox and Technical Divers - IANTD. Integrante do grupo de pesquisa CNPQ - Biodiversidade do Atlântico Sul: Ecologia, Impactos Ambientais e Conservação envolvido no desenvolvimento de pesquisas básicas, aplicadas e inovação relacionadas à gestão ambiental e da biodiversidade com ênfase na área costeira do Atlântico Sul Tropical (costa semiárida do Brasil).

Marcelo de Oliveira Soares, labomar-ufc

Doutor em Geociências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2010) com pós-doutorado na Universitat Autònoma de Barcelona (2016). Atualmente é professor Associado I do Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR) da UFC. Foi vice-coordenador da graduação em Ciências Ambientais (2011-2013) e é o coordenador do mestrado e doutorado em Ciências Marinhas Tropicais. Integra redes regionais como o PRONEX (Núcleos de Excelência) que estuda a geodiversidade na margem equatorial e redes nacionais como o INCT Ambientes Marinhos Tropicais que analisa as mudanças globais em recifes de corais. No exterior, atuou como pesquisador no Institut de Ciències del Mar da Espanha (ICM-CSIC), Centre di Recherche Scientifique (CSM) do Principado de Mônaco e é membro da rede BRASPOR (Brasil-Portugal) de pesquisa. É editor associado da Revista Arquivos de Ciências do Mar. Em termos de políticas públicas atua no GAT (Grupo de Assessoramento Técnico) do Ministério do Meio Ambiente (MMA-DF) referente ao plano de controle do coral-sol e na definição de áreas prioritárias para conservação marinha. Tem experiência em Oceanografia Ambiental e Geociências, atuando principalmente nos temas: conservação e impactos antrópicos em sistemas rasos e mesofóticos. É líder de grupo de pesquisa certificado pelo CNPq.

Luis Campos Rodrigues, ENT-Barcelona

Especialitzat en l’àrea d’Economia i Medi Ambient, amb un interès particular en l’anàlisi dels efectes socioeconòmics i estratègies d’adaptació associats a l’impacte del canvi climàtic, acidificació oceànica i altres pressions ambientals

Referências

Asafu-Adjaye J, Tapsuwan S (2008) A contingent valuation study of scuba diving benefits: Case study in Mu Ko Similan Marine National Park, Thailand. Tourism Management 29:1122–1130. doi: 10.1016/j.tourman.2008.02.005

Andrade AB, Soares MO (2017) Offshore marine protected areas: Divergent perceptions of divers and artisanal fishers. Marine Policy 76:107–113. doi: 10.1016/j.marpol.2016.11.016

Bennett NJ, Dearden P (2014a) Why local people do not support conservation: Community perceptions of marine protected area livelihood impacts, governance and management in Thailand. Marine Policy 44:107–116. doi: 10.1016/j.marpol.2013.08.017

Bennett NJ, Dearden P (2014b) From measuring outcomes to providing inputs: Governance, management, and local development for more effective marine protected areas. Marine Policy 50:96–110. doi: 10.1016/j.marpol.2014.05.005

Bramanti L, Vielmini I, Rossi S, et al (2011) Involvement of recreational scuba divers in emblematic species monitoring: The case of Mediterranean red coral (Corallium rubrum). Journal for Nature Conservation 19:312–318. doi: 10.1016/j.jnc.2011.05.004

Brander LM, Van Beukering P, Cesar HSJ (2007) The recreational value of coral reefs: A meta-analysis. Ecological Economics 63:209–218. doi: 10.1016/j.ecolecon.2006.11.002

Camp E, Fraser D (2012) Influence of conservation education dive briefings as a management tool on the timing and nature of recreational SCUBA diving impacts on coral reefs. Ocean & Coastal Management 61:30–37. doi: 10.1016/j.ocecoaman.2012.02.002

Chung S-S, Au A, Qiu J-W (2013) Understanding the underwater behaviour of scuba divers in Hong Kong. Environmental Management 51:824–37. doi: 10.1007/s00267-013-0023-y

Craig RK (2008) Fishers, Divers, Scientists, Lawyers, and Marine Protected Areas: The US Experience in Protecting Coral Reefs. Tourism in Marine Environments 5:89–99. doi: 10.3727/154427308787716721

Debrot AO, Nagelkerken I (2000) User perceptions on coastal resourse state and management options in Curacao. Revista de Biologia Tropical. 12.

Fitzsimmons C (2008) Why dive? and why here? a study of recreational diver enjoyment at a fijian eco-tourist resort. Tourism in Marine Environments 5(2-3):159–173. doi: DOI: 10.3727/154427308787716785

Freitas JEP, Lotufo TM da C (2015) Reef fish assemblage and zoogeographic affinities of a scarcely known region of the western equatorial Atlantic. Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom, UK 95:623–633. doi: 10.1017/S0025315414001404.

Germany J (2011) Situating Fortaleza: Urban space and uneven development in northeastern Brazil. Cities 28:45–52. doi: 10.1016/j.cities.2010.08.004

Giglio VJ, Luiz OJ, Gerhardinger LC (2011) Depletion of marine megafauna and shifting baselines among artisanal fishers in eastern Brazil. Animal Conservation 18:1–11. doi: 10.1111/acv.12178

Giglio VJ, Luiz OJ, Schiavetti A (2015) Marine life preferences and perceptions among recreational divers in Brazilian coral reefs. Tourism Management 51:4

Publicado
2020-03-11
Seção
Artigos originais