DIETA DA CORVINA, Micropogonias furnieri (DESMAREST, 1823) (ACTINOPTERYGII, SCIAENIDAE) NA REGIÃO COSTEIRA DE ITAIPU, NITERÓI – RJ

  • Moara Silva Morasche Pós-Graduação em Biologia Marinha, Universidade Federal Fluminense e Divisão de Estudos e Planejamento, Departamento de Meio Ambiente, ELETROBRAS, Rio de Janeiro, RJ.
  • Rafael de Almeida Tubino Pós-Graduação em Biologia Marinha, Universidade Federal Fluminense e Curso de Ciências Biológicas, Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, RJ.
  • Cassiano Monteiro Neto Pós-Graduação em Biologia Marinha, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ
Palavras-chave: alimentação, estratégia alimentar, peixe demersal, zona costeira

Resumo

A corvina, Micropogonias furnieri , é um importante recurso pesqueiro costeiro, amplamente distribuído no Atlântico ocidental, sendo capturado com redes de arrasto, emalhe e linha de mão. Em Itaipu, responde por 60,1% da produção pesqueira em biomassa, sendo capturada  principalmente em redes de espera tipo corvineira. A fim de conhecer os recursos alimentares utilizados e as variações sazonais na alimentação da espécie na região de Itaipu, o conteúdo estomacal de 262 exemplares, medindo entre 89 e 530mm de comprimento total, foram analisados. As amostras foram obtidas nos desembarques das pescarias artesanais em Itaipu, entre setembro de 2003 e setembro de 2004. O Índice de Importância Relativa (IIR) foi calculado para cada item. Em 214 estômagos, foram identificados 25 itens, incluindo crustáceos, peixes, anelídeos, moluscos, briozoários, matéria orgânica digerida e sedimento, confirmando seu hábito alimentar generalista. A categoria dos crustáceos foi a mais  importante na dieta da corvina. Entre os crustáceos, os misidáceos foram os mais importantes, enquanto camarões, estomatópodas, isópodas e siris apresentaram menor importância. A análise sazonal dos valores de IIR revelou que os crustáceos constituíram a categoria mais importante durante todas as estações do ano
Publicado
2010-11-01
Seção
Artigos originais