Método e Ato Filosófico em Hegel

  • Marcos Fábio Alexandre Nicolau Universidade Estadual Vale do Acaraú

Resumo

Eis a tarefa, aparentemente irrecusável à filosofia, de buscar a união entre ser e pensar em um sistema que seja capaz de se autofundar e justificar, doando bases sólidas não somente a si, mas a toda e qualquer ciência, o que o faz ser considerado como uma verdadeira doutrina da ciência, capaz de estabelecer os pressupostos básicos a todo e qualquer saber que se queira dizer válido. Sendo em Hegel tal feito realizável tão somente em bases de um método dialético, fruto da própria natureza de começo que traz imanente a si o elemento da contradição, da negação determinada, capaz de promover o autodesenvolvimento de um saber dito absoluto. A dialética hegeliana não é, de forma nenhuma, diferente de seu conteúdo, pois ela é o conteúdo em si mesmo, a estrutura e o desenvolvimento do próprio ser.

Biografia do Autor

Marcos Fábio Alexandre Nicolau, Universidade Estadual Vale do Acaraú
Professor Assistente do Curso de Filosofia da Universidade Estadual do Vale do Acaraú - UVA. Graduado em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará - UFC, período do qual foi Bolsista de Iniciação Científica do CNPq (2004-2006), mestre em filosofia pelo programa de Pós-Graduação da mesma universidade, com Bolsa CAPES, pesquisando sobre a questão do ser na Ciência da Lógica de Hegel. Doutor em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da FACED/UFC, pesquisando o conceito de Bildung (Formação Cultural) na filosofia hegeliana e suas implicações educacionais. É pesquisador de Metafisica e Epistemologia Moderna, Idealismo Alemão, Filosofia da Religião e Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Conceito de Substância, Dialética, Formação Cultural (Bildung), Religião Natural.
Publicado
2016-10-06
Seção
Artigos Fluxo Contínuo