COMO HABERMAS SE SITUA NO CENÁRIO DO PENSAMENTO CONTEMPORÂNEO

Palavras-chave: Habermas, Filosofia transcendental, Filosofia contemporânea

Resumo

Habermas levanta a pretensão de repensar a filosofia transcendental a partir da reviravolta linguística e articular a filosofia como um “pragmatismo kantiano”, pondo no centro a primazia da dimensão pragmática. No lugar da subjetividade transcendental da consciência se põe a “intersubjetividade destranscendentalizada” do mundo da vida. Isto revela uma tarefa fundamental da filosofia hoje: desempenhar o papel de “intérprete” entre as culturas especializadas, ciência, tecnologia, direito e moralidade, e as práticas comunicativas da vida cotidiana. Ele tem consciência de que a reinterpretação da esfera transcendental como nossas práticas intersubjetivas quotidianas trouxe de volta justamente os problemas que Kant pretendeu superar com a filosofia transcendental: o relativismo e o ceticismo. Habermas procura uma estratégia nova para enfrentar essas questões: a vinculação da pragmática transcendental ao que ele denomina de “naturalismo fraco” que vai levar a um primado genético da natureza em relação à cultura e garantir uma postura realista. Na realidade se trata, a partir de própria concepção habermasiana de metafísica, de uma proposta de vinculação entre pragmática transcendental e metafísica. O artigo procura mostrar o caráter problemático desta proposta.

Referências

AGGAZZI E., A objetividade científica e seus contextos, São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2020.

AIUB M./GONZALEZ M.E.Q./BOENS M.C. (orgs.), Filosofia da Mente, ciência cognitiva e o pós-humano: par onde vamos? São Paulo: FiloCzar, 2015.

APEL K-O, Der Denkweg von Charles S. Peirce. Eine Einführung in den amerikanischen Pragmatismus, Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1975; Transformation der Philosophie, Vol. 1, Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1976.

BRANDOM R. B., Making it Explicit. Reasoning, Representing and Discursive Commitment, Cambridge/MA, London: University Press, 1994.

BRYANT L./SRNICEK N./HARMAN G. (orgs.), The Speculative Turn. Continental Materialism and Realism, Melbourne: re-press, 2011.

CARMO L.A.D. do. Discurso filosófico e a arquitetônica da ética do discurso. Apel versus Habermas, Fortaleza: Ed. UECE, 2011.

DUMMETT M., Language and Communication, in: The Seas of Language, Oxford: Oxford University Press, 1993.

FLICKINGER H-G., Da experiência da arte à hermenêutica filosófica, in: ALMEIDA C.L.S. de/ FLICKINGER H-G./ ROHDEN L. (orgs.), Hermenêutica filosófica. Nas trilhas de Hans-Georg Gadamer, Porto Alegre: Edipucrs, 2000.

GADAMER H-G., Wahrheit und Methode. Grundzüge einer philosophischen Hermeneutik, 3a. ed., Tübingen: J.C.B. Mohr (Paul Siebeck), 1972.

GRONDIN J., Hermeneutische Wahrheit? Zum Wahrheitsbegriff Hans- Georg Gadamers, 2a. ed., Weinheim: Beltz Athenäum Verlag, 1994.

HABERMAS J., Wahrheit und Rechtfertigung, Philosophische Aufsätze, Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1999; Nachmetaphysisches Denken. Philosophische Aufsätze Philosophische Aufsätze, Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1988; Da semântica formal à pragmática transcendental, in: ethic@, v.19 n. 3 (2020)487-517.

HEIDEGGER M., Unterwegs zur Sprache, Pfulingen: Neske, 1989.

HÖSLE V., Eine kurze Geschichte der deutschen Philosophie. Rückblick auf den deutschen Geist, München: C.H Beck, 2013.

OLIVEIRA M.A.O. de, Moral, Direito e Democracia: o debate Apel versus Habermas no contexto de uma concepção procedimental da filosofia prática, in: MOREIRA L.(org.), Com Habermas contra Habermas: Direito, Discurso e Democracia, São Paulo: Landy Editora, 2004, p. 145-176; É a filosofia uma Pragmática ?, in: Tempo Brasileiro n. 181/182, 2010.
PUNTEL L.B., Estrutura e ser. Um quadro referencial teórico para uma filosofia sistemática, São Leopoldo: Ed. UNISINOS,2008; Ser e Deus. Um enfoque sistemático em confronto com M. Heidegger, É Lévinas e J-L. Marion, São Leopoldo: Ed. UNISINOS,2011; O pensamento pós-metafísico de Habermas: uma crítica, in: Síntese, vol. 40, n. 127, 2013, 173-223.

QUINE W. van Orman, The Pragmatistsplace in Empiricism, in: MULVANEY R./ZELTNER PH. (orgs.), Pragmatism: its sources and prospects, University of South California Press, 1981.

RORTY R., Der Spiegel der Natur, Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1981.

WITTGENSTEIN L., Philosophische Untersuchungen, Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1967.
Publicado
2021-12-30
Seção
Dossiê Jürgen Habermas