Guimarães Rosa contra a História

a evasão do tempo em “Se eu seria personagem”

  • Amanda Teixeira da Silva
Palavras-chave: Guimarães Rosa, História, Literatura, Evasão do Tempo

Resumo

O presente artigo pretende discutir a relação de Guimarães Rosa com a História. Através de estudos genéticos conduzidos graças a declarações pessoais, cartas, marginalia e, principalmente, estudos para a obra, buscou-se compreender quais autores embasaram a construção de sua ficção. Para atingir esse objetivo, foi essencial acessar, in loco, o acervo do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP), onde encontram-se os manuscritos do autor, bem como os livros que constavam em sua biblioteca quando faleceu. Conhecido como um escritor pouco engajado e associado frequentemente a espectros políticos de direita, Guimarães Rosa afirmou, frequentemente, ser “contra a História”. Por este motivo, procurou-se, aqui, perscrutar essa suposta “cultura anti-histórica” rosiana. A partir do estudo do conto “Se eu seria Personagem”, publicado no livro “Tutaméia”, conclui-se que, em sua tentativa de “fugir do tempo”, Rosa contou com a parceria de filósofos e historiadores antigos, mas, principalmente, com autores religiosos – tanto ocidentais quanto orientais – que defendem as ideias de “destino”; “providência divina” ou “wu-wei”. 

Publicado
2019-07-10
Como Citar
Silva, A. T. da. (2019). Guimarães Rosa contra a História. Em Perspectiva, 5(1), 25-47. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/emperspectiva/article/view/41539
Seção
Dossiê Temático