DESCOLONIZANDO O EU-AUTOBIOGRÁFICO FEMININO: A QUESTÃO DA MEMÓRIA E HISTÓRIA NAS NARRATIVAS DA ESCRAVIDÃO

  • Ana Carolina Andrade Pessanha Cavagnoli Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Neste estudo, tratarei da questão da memória, história, autobiografia e a importância de olhar para o passado de modo a revisitá-lo, ressignificando-o no presente. É neste caminho de memórias e da tentativa de uma linguagem descolonial que situo a obra da escritora caribenha Maryse Condé, I, Tituba, Black Witch of Salem (1986). Contendo diversas abordagens, tais como, sob uma perspectiva feminista, o triplo sofrimento da mulher escrava, negra e bruxa, o romance também nos propõe uma crítica ao puritanismo e ao seu papel repressor no século XVII. Do seu estado mumificado, a protagonista Tituba renasce através do sopro de Condé e lança a sua resposta ao patriarcado três séculos depois. Veremos como o eu-autobiográfico feminino se situa no espaço literário de empoderamento a fim de reconstruir uma narrativa que uma vez fora silenciada. O passado é reaberto como um território propício à imaginação e à interpretação e é através da memória que essa recuperação ocorre.

Biografia do Autor

Ana Carolina Andrade Pessanha Cavagnoli, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutora em Teoria da Literatura pelo programa de Pós Graduação em Literaturas da UFSC.

Referências

ARFUCH, Leonor. O Espaço Biográfico: Dilemas da Subjetividade Contemporânea. Tradução de Paloma Vidal. Rio de Janeiro: UERJ, 2010.

CONDÉ, Maryse. I, Tituba, Black Witch of Salem. London: Faber and Faber Limited, 2000.

CONDÉ, Maryse. “Order, Disorder, Freedom and the West Indian Writer” in Yale French Studies nº 97, 50 Years of Yale French Studies: A Commemorative Anthology. Part 2: 1980-1998. 2000, 151-165.Disponível em http://www.jstor.org/stable/2903218.

CONDÉ, Maryse. Tales from the Heart, True Stories from my Childhood. New York: Soho Press, Inc., 2001.

DAVIES, Carole Boyce. “Collaboration and the Ordering Imperative in Life Story Production” in SIDONIE SMITH; JULIA WATSON De/Colonizing the Subject. The Politics of Gender in Women’s Autobiography. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1992, 3-19.

DE MAN, Paul. “Autobiografia como Des-figuração”. In: Sopro 71, Maio 2012. Tradução de Joca Wolff. Revisão de Idelber Avelar. Disponível em http://www.culturaebarbarie.org/sopro/outros/autobiografia.html#.UDrbm8FlSJt, acessado em 22 de junho de 2015.

DEHAY, Terry. “Narrating Memory”. In: Memory, Narrative and Identity: New Essays in Ethnic American Literatures. SINGH, AMRITJIT AND JOSEPH T. SKERRETT (Eds.). Boston: Northeastern University Press, 1994.

FIGUEIREDO, Eurídice. Etnicidades Negras: Memória, Estética da Oralidade, Humor. Rio de Janeiro: Viveiros de Castro Editora Ltda, 2010.

FIGUEIREDO, Eurídice. Mulheres ao Espelho – autobiografia, ficção, autoficção. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

GATES JR., Henry Louis (1992), Loose Canons, Notes on the Culture Wars. New York, Oxford: Oxford University Press.

HOOKS, bell. “Writing Autobiography” in SIDONIE SMITH; JULIA WATSON Women, Autobiography, Theory – a Reader. Madison: The University of Wisconsin Press, 1998, 429-432.

LEJEUNE, Philippe. O Pacto Autobiográfico. De Rousseau à Internet. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

LIEBIG, Sueli Meira. “Entre Apolo e Dionísio: marginalidade, sexismo e loucura na ficção de escritoras afrodescendentes”. In NADILZA MARTINS DE BARROS MOREIRA e LIANE SCHNEIDER (orgs.), Mulheres no Mundo, Etnia, Marginalidade e Diáspora. João Pessoa: Ideia/Editora Universitária, 2005, 145-150.

MORRISON, Toni. “The site of memory” in What Moves at the Margin. University Press of Mississipi, 2008.

MOSHER, Sarah E. “Heremakhonon as Fictitious Autobiography and Autobiographical Fiction” in Journal of Haitian Studies, nº1, V. 16, Special Issue on Re-Conceiving Hispaniola. Published by: Center of Black Studies Research. Spring, 2010, 144-156.

SMITH, Sidonie; WATSON, Julia. Women, Autobiography, Theory – a Reader. Madison: The University of Wisconsin Press, 1998.

SMITH, Sidonie; WATSON, Julia. Reading Autobiography. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2001.

SMITH, Valerie “New-slave Narratives” in The African American Slave Narrative. AUDREY A. FISCH (Org.) Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

WILLIAMS, Sherley Anne. “The Lion’s History: The Ghetto Writes B[l]ack”, in Soundings, 76, Summer/Fall 1993, 245-59.

Publicado
2017-08-01