O MOURO DE VENEZA NA FACE DE LAURENCE OLIVIER

  • Thaís Lima e Sena Universidade Federal de Ouro Preto

Resumo

The Tragedy of Othello, the Moor of Venice, uma das grandes tragédias de William Shakespeare, foi encenada pela primeira vez em 1604. Do mesmo modo que Shakespeare bebeu de várias fontes para escrever sua obra, as peças são alvo das mais variadas formas de adaptação. É sabido que no teatro elisabetano o personagem principal da peça Othello, era representado por um ator branco que se pintava com uma maquiagem negra. Assim sendo, observamos que a prática conhecida como blackface — termo que tomamos emprestado dos blackface minstrel shows americanos — na representação do personagem do mouro ocorre tanto nas encenações renascentistas da peça, tanto na adaptação fílmica de 1965, protagonizada por Laurence Olivier. O presente artigo se concentra na análise do personagem Otelo, a partir das formas de representação dele, o que implica nas construções do homem negro no meio social a partir do ponto de vista do homem branco. Assim, examinaremos como essa representação do personagem foi elaborada por Olivier, um ator branco, dentro do contexto histórico da adaptação fílmica Othello de 1965, tendo em vista as questões relacionadas à prática do blackface, além de abordar questões análogas ao conceito de branquidade.

Biografia do Autor

Thaís Lima e Sena, Universidade Federal de Ouro Preto
Mestre em Estudos da Linguagem - UFOP-

Referências

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

DU BOIS, W.E.B. As Almas da Gente Negra. Rio de Janeiro: Lacerda, 1999.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: Editora UFBA, 2008.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968.

FISHER, James. Historical Dictionary of American Theater: Beginnings. New York: Rowman & Littlefield, 2015.

LOTT, Eric. Love and Theft. New York: Oxford University Press, 1993.

OLIVIER, Laurence. Confessions of an Actor. New York: Simon and Schuster, 1982.

OLIVIER, Laurence. Laurence Olivier on Acting. New York: Simon and Schuster, 1986.

QUARSHIE, Hugh. Second Thoughts About Othello. International Shakespeare Association Occasional Paper. No. 7. Chipping Campden: Clouds Hill Printers, 1999.

SHAKESPEARE, William. Otelo: o mouro de Veneza. Tradução de Bárbara Heliodora. Rio de Janeiro: Lacerda Ed,1999.

SHAKESPEARE, William. Othello. Arden Shakespeare: third Series. E. Honigmann (ed). London: Thomson Learning, 2005.

VAUGHAN, Virginia Mason. Othello: a contextual history. New York: Cambridge University Press, 1996.

VAUGHAN, Virginia Mason. Performing Blackness on English Stages 1500-1800. New York: Cambridge University Press, 2005.

WARE, Vron. (org.). Branquidade: identidade branca e multiculturalismo. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.

Publicado
2018-11-03
Seção
Estudos Literários