O NARRADOR EM QUESTÃO: ANÁLISE DA VEROSSIMILHANÇA EM GRANDE SERTÃO: VEREDAS E DOM CASMURRO

  • Ariadine Maria Lima Nogueira Universidade Federal do Ceará (UFC)

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo perscrutar como a questão da verossimilhança aparece em duas grandes obras da literatura brasileira — Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa e Dom Casmurro, de Machado de Assis —, a partir da observação da postura apresentada pelos narradores desses dois romances. Busca-se perceber se existem fraturas quanto à verossimilhança na estrutura de ambas as obras aqui citadas a partir do discurso de personagens/narradores que contam suas histórias na primeira pessoa, ou se é justamente essa característica distintiva que confere valor elevado tanto ao texto de Rosa como ao de Machado. Tal análise apresenta-se fundamentada num arcabouço teórico que se apoia em autores como Antoine Compagnon, Edward Forster, Willi Bolle, Walnice Nogueira Galvão e Silviano Santiago. Conclui-se que é através da figura do narrador posto em questão nas duas obras que o leitor se indaga até que ponto pode acreditar nos fatos apresentados, restando a ele amarrar os fios que parecem ser soltos, mas que, em dois autores geniais como Machado e Rosa, estão apenas convenientemente dispostos em forma de teia ou quebra-cabeças, para que a leitura nunca se esgote, pois há sempre algo novo a descobrir, relacionar, resgatar e construir.

Biografia do Autor

Ariadine Maria Lima Nogueira, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Doutoranda em Letras pela Universidade Federal do Ceará (UFC) na linha de Literatura, História e Memória. 

Referências

ABEL, Carlos Alberto dos Santos. Rosa autor Riobaldo narrador: veredas da vida e da obra de João Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Relume Dumará: FAPERJ, 2002.

ADORNO, Theodor. “Posição do narrador no romance contemporâneo”. In: Notas de literatura I. Trad. de Jorge de Almeida. São Paulo: Duas Cidades, Ed. 34, 2003, p. 55-63.

ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. São Paulo: Globo, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. de Paulo Bezerra. 5. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

BOLLE, Willi. Grandesertao.br: o romance de formação do Brasil. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2004.

BOSI, Alfredo. Brás Cubas em três versões. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

CANDIDO, Antonio. “O homem dos avessos”. In: CANDIDO, Antonio. Tese e Antítese: ensaios. 4. ed. São Paulo: T.A. Queiroz, 2002, p. 121-139.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Trad. de Cleonice Paes Barreto Mourão. 2. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

COSTA, Lígia Militz da. A poética de Aristóteles: mimese e verossimilhança. São Paulo: Editora Ática, 1992.

FORSTER, Edward Morgan. Aspectos do romance. Trad. de Sergio Alcides. São Paulo: Globo, 2004.

GALVÃO, Walnice Nogueira. “Riobaldo, o homem das metamorfoses”. In: Mota, Lourenço Dantas; Abdala Junior, Benjamin. (Org.). Personae. Grandes personagens da literatura brasileira. São Paulo: Senac, 2001, p. 237-264.

GLEDSON, John. “Dom Casmurro: uma nota introdutória”. In: ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. São Paulo: Globo, 2008.

______________. Por um novo Machado de Assis: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

RIBEIRO, Míriam da Consolação. “A memória everedada reterritorializante e desterritorializante e de projeções, de discursos, de palavras... de grandes sertões”. In: DUARTE, Lélia Pereira; FIGUEIREDO, Maria do Carmo Lanna et al. (Orgs.). Veredas de Rosa. Belo Horizonte: PUC Minas, CESPUC, 2000, p.527-530.

ROSA, Guimarães. Grande sertão: veredas. 19. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

ROSENFELD, Anatol. Estrutura e problemas da obra literária. São Paulo: Perspectiva, 1976.

ROSSET, Clément. O real e seu duplo: ensaio sobre a ilusão. Trad. de José Thomaz Brum. Porto Alegre: L&PM, 1998.

SANTIAGO, Santiago. “Retórica da verossimilhança”. In: SANTIAGO, S. Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre dependência cultural. 2. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

SCHWARZ, Roberto. “A poesia envenenada de Dom Casmurro”. In: Novos Estudos, São Paulo, 1991.

SOARES, Cláudia Campos. “A constituição da voz narrativa em Grande sertão: veredas”. In: DUARTE, Lélia Pereira; FIGUEIREDO, Maria do Carmo Lanna et al. (Orgs.). Veredas de Rosa. Belo Horizonte: PUC Minas, CESPUC, 2000, p.137-141.

Publicado
2018-11-03
Seção
Estudos Literários