Literatura e imprensa árabe: experiência migratória Sírio-Libanesa no Brasil

  • Luíza Salgado Mazzola Universidade Federal de Santa Catarina
  • Sheila Cristina dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

o presente artigo objetiva apresentar a relação estabelecida entre o Brasil e o Oriente Médio no final do século XIX e no início do século XX, no que tange à produção literária dos imigrantes sírios e libaneses no Brasil. Sabe-se que o Brasil recebeu um influxo considerável de imigrantes de diversos países e culturas distintas desde a chegada dos portugueses em 1500. Embora a acolhida não tenha sido calorosa para todos os povos, o país mostrou ser um terreno fértil para o prolongamento de suas respectivas culturas, o que se comprova pela diversidade cultural observada ainda hoje. Dentre as culturas que aqui encontraram um segundo lar, destacamos a árabe, que aportou no Brasil a partir do final do século XIX, com a chegada dos imigrantes sírios e libaneses. Uma das manifestações dessa cultura no país foi a produção de livros, revistas e jornais em árabe, ou em árabe e português, produção marcada pela experiência dupla do imigrante, que tentava preservar a cultura de seu país de origem em meio a um ambiente cultural distinto ao mesmo tempo em que buscava se adaptar à cultura na qual se encontrava imerso. Tomando a viagem de Dom Pedro II ao Oriente como ponto de partida, nosso objetivo é caracterizar a produção literária árabe no Brasil como a materialização de um prolongamento motivado pela imigração.

Biografia do Autor

Luíza Salgado Mazzola, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutoranda em Literatura no PPGLit (UFSC) e bolsista FAPESC. 
Sheila Cristina dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutoranda em Estudos da Tradução na Pós-graduação em Estudos da Tradução (PGET) e bolsista CAPES

Referências

ALCÂNTARA, Pedro de. Diário do Imperador D. Pedro II. Organização de Begonha Bediaga, Petrópolis: Museu Imperial, 1999. n.p. Disponível em <http://www.museuimperial.gov.br/arquivohistorico/4349-instrumentos-de-pesquisa.html> Acesso em: 24 de janeiro de 2019.

BERMAN, Antoine. A prova do estrangeiro. Tradução de Maria Emília Pereira Chanut. São Paulo: EDUSC, 2002.

BOTELHO, Tarcísio Rodrigues. População e espaço nacional no Brasil do século XIX. Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 7, n. 8, p. 67-83, nov. 2005. ISSN 2237-8871. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/1720/1863>. Acesso em: 13 fev. 2019.

CURI, Guilherme Oliveira. A diáspora árabe recriada: Surgimento e expansão dos periódicos da comunidade sírio-libanesa no Brasil. In: 10º Encontro Nacional de História da Mídia, 2015, Porto Alegre. Anais. Disponível em: http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/10o-encontro-2015/gt-historia-da-midia-alternativa/a-diaspora-arabe-recriada-surgimento-e-expansao-dos-periodicos-da-comunidade-siriolibanesa-no-brasil/view Acesso em: 25 fev. 2019.

CURI, Guilherme Oliveira. O Mahjar é aqui: a comunicação contra-hegemônica dos intelectuais árabe brasileiros. 2018. 271 f. Tese (Doutorado) - Curso de Comunicação e Cultura, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

FRANCISCO, Júlio César Bittencourt; LAMARÃO, Sérgio. Sírios e Libaneses e a Expulsão de Estrangeiros na Primeira República. In: Revista Acervo, Rio de janeiro, v. 26, p. 256-266, jul./dez. 2013.

GASKIN, James. Geography and sacred history of Syria. William Curry, Jun., and Company: Dublin, 1846. Disponível em <https://archive.org/details/geographyandsac00gaskgoog> Acesso em 12 de fevereiro de 2019.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva & Guacira Lopes Louro.

HOURANI, Albert. Uma história dos povos árabes. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. Tradução de Marcos Santarrita.

JUNQUEIRA, Marili; AMORIM, Nayara. A influência da cultura árabe em Uberlândia. Revista Opsis, [s.l.], v. 11, n. 2, p.181-200, 31 dez. 2011. Universidade Federal de Goiás. http://dx.doi.org/10.5216/o.v11i2.14872.

MAFRA, Adriano. O processo criativo de Dom Pedro II na tradução da "Hitopadeça". 2015. 449 f. Tese (doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Universidade Federal de Santa Catarina, 2015.

MAFRA, Adriano; STALLAERT, Christiane. Orientalismo crioulo: Dom Pedro II e o Brasil do Segundo Império. Iberoamericana, v. XVI, n. 63, 2016, pgs. 149-168. Disponível em <http://journals.iai.spk-berlin.de/index.php/iberoamericana/article/viewFile/2117/1914>. Acesso em 26 de janeiro de 2019.

RICHE, Cristina. Ayoub. Brasil, a nova Andaluzia. In: Esocite BR VI Simpósio Nacional de Ciência , Tecnologia e Sociedade, 2015, Rio de Janeiro. Anais, 2015.

ROMANELLI, Sergio; STALLAERT, Christiane. Entrada do Brasil na República mundial das letras. Mediações transatlânticas e diplomacia cultural de Dom Pedro II na elaboração de uma identidade letrada nacional. Nuevo Mundo Mundos Nuevos [Online]. Disponível em <http://journals.openedition.org/nuevomundo/68197>. Acesso em 18 de janeiro de 2019.

SÁFADY, Jorge. A imigração árabe no Brasil. 1972. 551 f. Tese (doutorado) - Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade de São Paulo, 1972.

SAID, Edward W. Orientalismo: O Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. Tradução de Rosaura Eichenberg.

SISMONDINI, Alberto. Arabia Brasilica. Cotia: Ateliê Editorial, 2017. Tradução de Letizia Zini Antunes e Valéria Vicentini.

SCHWARCZ, Lília Moritz. As Barbas do Imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

VERNET, Jules. Literatura árabe. Barcelona: Editorial Labor, 1968.

Publicado
2020-03-08