Zélia Gattai e Norah Lange: espaços e culturas em deslocamento

  • Regina Simon da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
  • Ramón Diego Câmara Rocha Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de demonstrar, por meio de uma aproximação entre as escrituras de Norah Lange e Zélia Gattai, como a produção dessas duas autoras, em relação às narrativas de memória, participa de um constante processo de deslocamento cultural, ampliando nossa visão acerca das ideias sobre uma identidade única, evidenciando um constante movimento entre culturas, situando-se, a partir de um projeto estético em suas escritas, em um lugar do meio, na cultura latino-americana. Para concretização dessa análise, utilizaremos uma abordagem da literatura comparada em que, aliando aspectos de suas escritas aos respectivos contextos de sua produção, veremos como a representação de realidades, a princípio tão distintas, toca-se, pluraliza-se, a partir de pontos em comum, na escrita memorialista dessas duas grandes mulheres. Nesse sentido, a partir dessas “escritas em movimento”, analisaremos alguns trechos de diários, cartas e conferências, de cada uma dessas duas grandes vozes e partícipes de processos importantes da história e cultura, do Brasil e da Argentina, respectivamente. Nesse percurso teórico, alguns textos nos servirão de arcabouço para nossa investigação comparativa, como Ruiz Sánchez (2005), Halbwachs (1990), Leonor Arfuch (2010), Ottmar Ette (2018), Mizraje (1999), entre outras pensadoras e pensadores que nos auxiliarão nesse percurso.

Biografia do Autor

Regina Simon da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Pós-doutora em Letras Neolatinas, opção Literaturas Hispânicas, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutorado em Letras Neolatinas, opção Literatura Hispânicas (UFRJ).

Professora Associada do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas - DLLEM (UFRN), área Letras/Espanhol e do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem - PPgEL (UFRN), linha de pesquisa Literatura e Memória Cultural.

Ramón Diego Câmara Rocha, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
Mestrado em Estudos Literários pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Doutorando em Estudos da Linguagem, opção Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Referências

ARFUCH, L. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Trad. Paloma Vidal. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2010.

BATTICORE, G. Modalidades y fantasmas de la autoría femenina. Publicistas y literatas. In: BATTICORE, G. La mujer romántica: lectoras, autoras y escritores en la Argentina: 1830-1870. Buenos Aires: Edhasa, 2005.

BEAUVOIR, S. A força das coisas. Trad. Maria Helena Franco Martins. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.

BERGSON, H. Matéria e memória: Ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

CORNEJO POLAR, A. Una heterogeneidad no dialéctica: sujeto y discurso

migrantes en el Perú moderno. In: CORNEJO POLAR, A. Crítica de la

razón heterogénea: textos esenciales (I). Lima: Fondo Editorial de la

Asamblea Nacional de Rectores, 2013, p. 97-109.

ETTE, O. EscreverEntreMundos: literaturas sem morada fixa. Trad. Rosani Umbach; Dionei Mathias; Teruco Arimoto Spengler. Curitiba: Ed. UFPR, 2018.

GATTAI, Z. Anarquistas graças a Deus. São Paulo: Record, 1979.

GATTAI, Z. Chão de meninos. São Paulo: Record, 1992.

GATTAI, Z. Discurso de posse. [S.l. s.n.], 2002. Disponível em: <http://www.academia.org.br/academicos/zeliagattai/discursodeposse>. Acesso em: 07 mai. 2019.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. Trad. Laurent Léon Schaftter. São Paulo: Editora revista dos Tribunais LTDA, 1990.

LACERDA, L. A rede era furta cor. In: LACERDA, L. Álbum de leitura: memória de vida/histórias de leitores. São Paulo: UNESP, 2003.

LANGE, N. Cadernos de infância. Trad. Joana Angélica D’avila Melo. Rio de Janeiro: Record, 2009.

MIZRAJE, G. Norah Lange: fuegos de sirenas. In: MIZRAJE, G. Argentinas de Rosas a Perón. Buenos Aires: Biblos, 1999.

RUIZ-SÁNCHEZ, A. Desterritorialización y literatura. Literaturas de exilio y migración en la era de la globalización. Migraciones y Exilios, n. 6, 2005, p. 101-112.

Publicado
2020-03-08