A influência de Oswald de Andrade na poesia concreta/contemporânea de Augusto de Campos

Resumo

Este artigo faz uma abordagem comparativa do projeto estético-literário de Oswald de Andrade e da influência deste sobre o movimento concretista, sobretudo, na poesia de Augusto de Campos. O modernista idealiza, nos anos 20 do século passado, uma poesia brasileira e de vanguarda, simultaneamente nacionalista e regressiva, cosmopolita e modernizante. Sua formulação estética opõe-se ao tradicionalismo literário do século XIX que pairava ainda sobre o século XX, sendo, portanto, um projeto de renovação estética de uma poesia “genuinamente” nacional e do seu tempo. A partir dos anos 1950/60, o surgimento da Poesia Concreta vai ao encontro do que foi construído na década de 1920 por Oswald de Andrade. Emerge uma postura construtiva para a poesia, fazendo-a igualmente de vanguarda e inaugurando novas textualidades para o poético. Sobretudo, o autor Augusto de Campos incorpora na maior parte de suas publicações novas plataformas, incluindo as mídias, a projeção em laser, tecnologias, videoclipes, som, imagem etc., em um exercício de atualização e renovação da poesia.

Biografia do Autor

Andressa da Costa Farias, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Graduação em Letras Português e Literatura Brasileira (UFSM), mestrado em Estudos da Tradução (UFSC) e doutoranda em Literatura (UFSC).

Publicado
2020-11-03
Seção
Estudos Literários