PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO COMO ESTRATÉGIA POLÍTICA E PEDAGÓGICA NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

  • Cyntia Emanuelle Souza Lima
  • Luciana Venancio

Resumo

A Educação Física esteve estreitamente ligada às instituições militares, sendo estes vínculos influenciadores de certas concepções da disciplina, suas finalidades, das razões do ensino e da forma como devia ser ensinada. Ratificando, assim, uma pedagogia de viés positivista e higienista. Em contrapartida existem alguns discursos que procuram confrontar essa visão limitada e limitante da Educação Física. Essa realidade tem sido amplamente discutida com o aumento das pesquisas em Educação Física Escolar, desde a elaboração de algumas proposições teórico-metodológicas ao surgimento de novas propostas curriculares. Este estudo destaca como objetivo analisar a implementação do planejamento participativo, em uma escola pública estadual de ensino médio em Fortaleza. O planejamento participativo, enquanto estratégia de ensino, foi implementado nas turmas de 1º, 2º e 3º ano. O presente trabalho está fundamentado em algumas características da pesquisa qualitativa, procurando situar um processo investigativo que não teve pretensões de generalização. Em busca de um diálogo e em prol de uma educação horizontal, surgiram estratégias que visam fortalecer a relação professor(a)-aluno(a). Dentre tais estratégias, uma em específico foi destacada: o planejamento participativo. Analisando o trajeto percorrido, foi possível perceber que os(as) alunos(as) consideram as temáticas elencadas como importantes para a Educação Física escolar. O processo de formação inicial nos cursos de Licenciatura em Educação Física, precisam incentivar escolhas, posicionamentos políticos e pedagógicos mais críticos e reflexivos, de modo a encorajar cada estudante a lançar mão de metodologias que os coloquem diante de realidades a serem compreendidas e que permitam o cotejamento das leituras de determinados documentos, textos, capítulos de livros e ou artigos. É necessário um novo olhar para as entrelinhas do que é lido e compreendido.
Publicado
2019-01-01
Seção
XII Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação