AVALIAÇÃO HISTOLÓGICA DE ALVÉOLOS DENTÁRIOS HUMANOS FRESCOS PREENCHIDOS COM FIBRINA AUTÓLOGA, FOSFATO DE CÁLCIO BIFÁSICO OU STICKY BONE

  • Francisco Anderson Angelo Aragão
  • José sandro ponte, Yasmin Alves Teles de Menezes, MARCELO MIRANDA DE MELO
  • Igor Iuco Castro da Silva

Resumo

Com o advento dos biomateriais, as regenerações ósseas têm evoluído do uso de osso autólogo para condutas mais simples e com menor morbidade. A fibrina rica em plaquetas (PRF) reforça o benefício autólogo, de fácil obtenção e um potencial de aglutinação de grânulos de biomateriais, mas, esta sinergia é pouco explorada quantitativamente na literatura. O objetivo aqui foi avaliar e comparar histologicamente o sítio cirúrgico após regeneração óssea com fibrina autóloga, fosfato de cálcio bifásico ou associação de ambos. Participaram 10 pacientes voluntários, normossistêmicos, entre 20 e 45 anos, recrutados no Curso de Odontologia da UFC Sobral, com necessidade de enxerto pós-exodontia de pré-molares superiores para manutenção de rebordo alveolar e posterior implante. Cada grupo recebeu um tratamento: fibrina autóloga, recobertos por membranas de fibrina; de fosfato cálcio bifásico comercial recoberto por membrana de colágeno e fibrina associada ao material aloplástico recoberto por membrana de colágeno. Após 8 meses, foram feitas as coletas ósseas para análise histológica e histomorfométrica e a inserção dos implantes. Critérios de análise histomorfométrica incluirão a quantificação de osso novo, tecido conjuntivo, vasos sanguíneos e integridade do enxerto. A média da densidade de volume e desvio padrão dos dados serão submetidos à análise de variância (ANOVA) e pós-teste de Tukey usando software InStat 3.01 (Graphpad Software Inc., San Diego, CA, USA), considerando diferenças significantes se p<0,05. Espera-se determinar a eficácia de regeneração óssea em cada uma das modalidades terapêuticas a serem acompanhadas e a eficiência dentre as mesmas, já que na literatura estes dados comparativos são poucos relatados morfometricamente em seres humanos.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Científica – PRPPG