ESTEMODINA, ISOLADO DE STEMODIA MARITMA, REDUZ DOR INFLAMATÓRIA EM MODELO DE HIPERNOCICEPÇÃO INFLAMATÓRIA NA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR DE RATOS

  • Pedro Isac Fontenele Saldanha
  • Sarah Rodrigues Basílio, Maria Ester Frota Fernandes, Mirna Marques Bezerra, Hellíada Vasconcelos Chaves
  • Vicente de Paulo Teixeira Pinto

Resumo

As Disfunções Temporomandibulares (DTMs) são desordens que envolvem músculos mastigatórios, Articulação Temporomandibular (ATM) e seus anexos, prevalecendo a dor crônica na região orofacial, a qual resulta em sério impacto socioeconômico e emocional à sociedade e aos pacientes. No sentido de reversão deste quadro, compostos com possíveis efeitos antinociceptivos e anti-inflamatórios são estudados na busca por novas terapêuticas, como o composto isolado das folhas de Stemodia maritma – o diterpeno Estemodina. Desse modo, objetivou-se avaliar a eficácia de Estemodina em modelo de hipernocicepção inflamatória induzida na ATM de ratos. Utilizaram-se ratos Wistar machos (180-240 g, n=5) pré-tratados 60 min antes com salina ou Estemodina nas doses de 0,1 ou 1,0 µg/kg; seguidos de injeção intra-articular de salina ou formalina (1,5%) na ATM esquerda (50 µL). Os parâmetros utilizados foram: comportamento nociceptivo por 45 min; estudo da via opioide, através do uso intra-tecal do antagonista naloxona; da via da hemeoxigenase-1 (HO-1), através do antagonista ZnPP-IX; da via do óxido nítrico (NO), através do inibidor aminoguanidina. Foi observado que Estemodina reduziu a resposta nociceptiva em relação ao grupo Formalina, porém os antagonistas das vias opioide, HO-1 e NO não reverteram o efeito de Es Estemodina. Portanto, conclui-se que Estemodina apresenta efeitos antinociceptivo e anti-inflamatório no modelo de hipernocicepção inflamatória induzida por formalina na ATM de ratos, e sua ação independe das vias opioide, HO-1 e NO.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Científica – PRPPG