ESTUDO DA ESTEMODINA, COMPOSTO ISOLADO DE STEMODIA MARITMA, EM MODELO DE HIPERNOCICEPÇÃO INFLAMATÓRIA NA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR DE RATOS

  • Pedro Ivo Caetano Abreu Freire
  • Ariely Marques Oliveira de Meneses, Maria Ester Frota Fernandes, Vicente de Paulo Teixeira PInto, Sarah Rodrigues Basílio
  • Hellíada Vasconcelos Chaves

Resumo

A dor orofacial é descrita como toda dor associada a tecidos moles ou mineralizados da cavidade oral e da face. Engloba um conjunto de condições, dentre elas, a disfunção temporomandibular (DTM). A Disfunção Temporomandibular trata-se de um conjunto de desordens que envolvem os músculos mastigatórios, a articulação temporomandibular (ATM) e estruturas anexas, representando a categoria mais prevalente de dor crônica na região orofacial. Na tentativa de resolução deste quadro álgico, há estudos de substâncias com possíveis atividades antinociceptiva e antinflamatória, como a Estemodina. Objetivou-se avaliar o potencial fitoterápico da Estemodina, na hipernocicepção inflamatória aguda na ATM de ratos. Animais foram pré-tratados (v.o.) com Estemodina (0,1; 1 ou 10 µg/kg) ou salina 1 h antes da injeção intra-articular de formalina (1,5%/50 µL) ou salina na ATM esquerda. O comportamento nociceptivo foi avaliado por 45 min. Avaliou-se a permeabilidade vascular através do extravasamento plasmático do corante Azul de Evans. O gânglio trigeminal foi removido para dosagem de IL-1β. Observou-se que o pré-tratamento com Estemodina reduziu (p < 0,05): a resposta nociceptiva; o extravasamento plasmático; a expressão de IL-1β. Conclui-se que Estemodina atua como agente antinociceptivo e antiinflamatório, e que essa resposta ocorre reduzindo o extravasamento plasmático com envolvimento da IL-1β.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Científica – PRPPG