INFLUÊNCIA DO CURSO DE MEDICINA NO CONSUMO DE CAFEÍNA ENTRE OS ESTUDANTES

  • José Francisco Igor Siqueira Ferreira
  • Anderson Ferreira Carneiro
  • Jose Ronaldo Vasconcelos Dagraca

Resumo

Introdução: A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma das doenças mais comuns na população, trazendo prejuízo na qualidade de vida do paciente. O café, que aumenta a secreção de ácido clorídrico estomacal, pode estar relacionado com a presença de sintomas. Assim, o projeto de iniciação científica "A relação entre o consumo de café e a presença dos principais sintomas do refluxo gastroesofágico em estudantes de medicina", vinculado ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), avalia uma amostra de estudantes de medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) - Campus Sobral, em relação a seus hábitos de consumo de cafeína e sintomas de DRGE. Objetivos: Avaliar o consumo de cafeína por estudantes de medicina em períodos de prova e a influência do curso neste hábito. Métodos: Foi aplicado um questionário investigando hábitos alimentares e estilo de vida em 203 estudantes de medicina da UFC Sobral. Este trabalho envolve respostas a duas perguntas, que analisam um possível aumento da ingestão de cafeína em períodos de prova e a influência do curso no consumo da substância. Resultados e Discussão: Em relação ao consumo de cafeína em épocas de prova, 86 (42,1%) afirmaram que aumentam o consumo em até duas vezes o habitual, 27 (13,4%) aumentam em três vezes, e 90 (44,6%) não observam mudança no consumo. Sobre a influência do curso, 136 (67%) dos estudantes consideram a carga horária excessiva e a demanda de estudo fatores que influenciam no consumo de café. Observa-se, assim, um grande padrão de consumo de café e produtos com cafeína, como energéticos. A importância desse dado está no fato que altos índices de DRGE nessa população indicam que o curso provoca determinados padrões de consumo nos estudantes, interferindo no seu estado de saúde. Conclusão: A investigação de sintomas da DRGE nos estudantes de medicina é necessária, a fim de analisar um nexo causal entre o consumo excessivo de cafeína e uma alta prevalência da doença neste grupo.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Científica – PRPPG