PRESENÇA DE PIROSE EM REGURGITAÇÃO EM ESTUDANTES DE MEDICINA

  • Anderson Ferreira Carneiro
  • José Francisco Igor Siqueira Ferreira
  • Jose Ronaldo Vasconcelos Dagraca

Resumo

Introdução: O projeto de iniciação científica "A relação entre o consumo de café e a presença dos principais sintomas do refluxo gastroesofágico em estudantes de medicina", vinculado ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), visa avaliar a presença de sintoma de doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) em estudantes de medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) – Campus Sobral. A escolha do tema se deve a alta influência de hábitos alimentares e consumo de determinadas substâncias, como a cafeína, no curso dessa doença. Objetivos: Avaliar a presença de pirose e regurgitação nos estudantes entrevistados, além de uma possível potencialização destes sintomas após a entrada no curso de medicina e a influência do café nesse contexto. Métodos: Foi aplicado um questionário analisando diversos hábitos alimentares e estilo de vida em 203 estudantes do curso de medicina da UFC Sobral. Este trabalho envolve as respostas a três perguntas, que investigam se há presença de pirose ou regurgitação, se estes sintomas são mais presentes após a entrada no curso e se o uso de café ou produtos com cafeína aumenta a intensidade dos sintomas. Resultados e Discussão: 46 estudantes (22,7%) relataram sentir pirose, 12 (5,9%) regurgitação, 80 (39,4%) os dois e 65 (32%) nenhum destes sintomas. Destes, 96 (69,6%) relata piora dos sintomas após o ingresso no curso de medicina e 100 (72,5%) afirmam que a cafeína potencializa os sintomas ou pelo menos um deles. Observa-se um alto índice de sintomas de DRGE nos estudantes de medicina, e uma influência direta do curso e do consumo de cafeína na piora dos sintomas. A demanda de estudos do curso e uma possível intensificação de determinados hábitos de consumo, como café e energéticos, pode provocar piora do estado de saúde dos estudantes. Conclusão: Avaliar sintomas de DRGE nos estudantes de medicina é importante, pois permite relacionar o consumo de café, alto nessa população, com a progressão dos sintomas da doença.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Científica – PRPPG