REDES SOCIAIS DE APOIO, TRABALHO E ADOECIMENTO ENTRE TRABALHADORES NA INFORMALIDADE

  • José dos Santos Gadelha Júnior
  • Maria Lídia de Farias Araújo, Gerdania Gomes de Lima
  • Renata Guimaraes de Carvalho

Resumo

Este trabalho pretende apresentar a proposta do projeto de pesquisa intitulado “Redes sociais de apoio, trabalho e adoecimento entre trabalhadores na informalidade”, onde busca-se ampliar a compreensão sobre a importância das redes sociais de apoio para a saúde de trabalhadores que passaram por situação de adoecimento em contexto de informalidade laboral, a partir da integração ao programa de iniciação científica da Universidade Federal do Ceará – UFC (PIBIC-UFC). Assim, tem como objetivo geral analisar a função das redes sociais de apoio de trabalhadores informais como suporte social em situação de adoecimento. Esse propósito se justifica especificamente no que diz respeito ao campo da Saúde do Trabalhador e pelo expressivo contingente de trabalhadores informais no Brasil, envoltos em um contexto onde se submetem a condições de trabalho precárias e inseguras que acarretam riscos à sua saúde, e não têm acesso a políticas públicas de seguridade social. Para análise das redes sociais de apoio será utilizada a abordagem da Análise de Redes Sociais (ARS) que envolve teorias, modelos e aplicações cujo foco de interesse está nas relações sociais criadas entre os sujeitos. A abordagem de pesquisa será qualitativa, realizando-se entrevistas com trabalhadores informais para coleta de dados sobre sua trajetória laboral, situações de adoecimento e redes sociais de apoio. A análise de dados será feita por meio da Análise de conteúdo e do uso dos sistemas UCINET e NetDraw para mapeamento das redes sociais. Com os resultados da pesquisa, esperamos que os dados coletados possam servir de subsídio para discussão e reflexão sobre políticas públicas mais eficientes no campo da saúde do trabalhador, especialmente no contexto da informalidade laboral.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação Científica – PRPPG