DETERMINAÇÃO DO SINERGISMO ENTRE EUGENOL E O PEPTÍDEO ANTIMICROBIANO HYLIN-A1 CONTRA AS CEPAS CANDIDA ALBICANS ATCC 90028 E CANDIDA TROPICALIS ATCC 750

  • Maria Laína Silva
  • Rafaela Mesquita Bastos Cavalcante, Esteban Nicolás Lorenzón, Eduardo Maffud Cilli
  • Victor Alves Carneiro

Resumo

Nas últimas décadas micro-organismos do gênero Candida tem ganhado notoriedade devido à alta frequência com que infectam e colonizam o hospedeiro. O principal agente causador desse tipo de infecção é a levedura Candida albicans, no entanto nos últimos anos tem sido relatado um aumento considerável de Candida tropicalis, uma cepa não encontrada na microbiota normal do corpo, mas uma das principais causadoras de candidemia. Atualmente as drogas antifúngicas disponíveis no mercado para o tratamento dessas infecções estão em um número limitado, o que torna necessário o desenvolvimento de novas estratégias. Nessa perspectiva, alguns estudos vêm demonstrando a eficácia de peptídeos antimicrobianos (PAMs) como potenciais antifúngicos, especialmente no que concerne a intensificação da atividade de outros antimicrobianos. Assim, o objetivo do trabalho foi avaliar a ação antifúngica do eugenol e do PAM Hylin-a1 (Hy-a1), individualmente, bem como analisar o efeito da combinação entre as substâncias sobre as cepas Candida albicans ATCC 90028 e Candida tropicalis ATCC 750. Para isso a atividade antimicrobiana foi realizada através do método de microdiluição preconizado pelo CLSI (2015). O sinergismo entre as substâncias foi avaliado pelo ensaio de checkerboard para determinação do Índice de Concentração Inibitória Fracional (ICIF). Os resultados obtidos demonstraram que o eugenol foi eficaz na inibição do crescimento das duas cepas testadas, apresentado uma concentração inibitória mínima (CIM) de 500 µg.mL-1. Da mesma forma, hy-a1 demonstrou sua eficácia com CIM de 62,5 e 7,81 µg.mL-1 para C. albicans e C. tropicalis, respectivamente. Em adição, a combinação entre as substâncias apresentaram sinergismo com ICIF= 0,500 para C. albicans e 0,253 para C. tropicalis, diminuindo as concentrações necessárias para efeito fungicida. Assim, pode-se inferir que as biomoléculas possuem potencial para o desenvolvimento de novas estratégias no combate a fungos do gênero Candida.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação – PRPPG