EFEITOS DO BETACARIOFILENO NA ATIVIDADE LOCOMOTORA DE RATOS SUBMETIDOS AO MODELO DE PARKINSON INDUZIDO POR LPS

  • Cleane Gomes Moreira
  • Francisco José Gomes, Carla Thiciane Vasconcelos de Melo, Kaio Júlio César de Sousa Nogueira, Ana Clara de Souza Correa
  • Lissiana Magna Vasconcelos Aguiar

Resumo

A doença de Parkinson (DP) é caracterizada pela destruição progressiva dos neurônios nigroestriatais dopaminérgicos. Embora a fisiopatologia da DP ainda não esteja bem estabelecida, existem alguns mecanismos implicados na sua progressão que incluem o estresse oxidativo, a neuroinflamação, a disfunção mitocondrial, agregação protéica, excitotoxicidade e apoptose. O tratamento atual está restrito ao alívio sintomático, pois até o momento não existem agentes capazes de impedir a degeneração neuronal. O betacariofileno (BCP), é um sesquiterpeno bicíclico presente em óleos essenciais de diversas espécies vegetais, que têm demonstrado efeitos neuroprotetores. Neste estudo objetivou-se investigar os efeitos do betacariofileno no modelo experimental de DP induzido por injeção intranigral unilateral de lipopolissacarídeo (LPS). Para isso, ratos Wistar machos lesionados com LPS (2 µg/ animal) foram tratados com BCP (15, 50, 100 e 150 mg/kg, v.o.) durante 14 dias, com início um dia pós-cirurgia. No 14° dia de tratamento, os animais foram submetidos aos ensaios comportamentais de campo aberto e cilindro. No dia seguinte, os animais foram sacrificados. No teste do campo aberto o tratamento com BCP aumentou o número de cruzamentos quando comparado ao controle LPS (BCP15: 69 ± 3,2; BCP50: 47,2 ± 5,2; BCP100: 62 ± 5,1; BCP150: 36,5 ± 8,5; LPS: 28,2 ± 1,7; Sham: 76,2 ± 5). Apenas BCP na dose de 100mg/kg reduziu o tempo de imobilidade dos animais a níveis semelhantes aos do Sham (BCP100: 15,3 ± 4,2; LPS: 54,1 ± 4,3; Sham: 27,6 ± 3,7 com p<0,001). No teste do cilindro, em nenhum dos grupos foi observada alteração significativa em relação ao uso da pata contralateral. Em relação aos parâmetros observados, o BCP reduziu os déficits motores, principalmente na dose de 100 mg/kg, demonstrando efeito benéfico na recuperação motora dos animais.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação – PRPPG