ESTUDO DOS DERIVADOS SEMISSINTÉTICOS BS1 E BS2 OBTIDOS DE STEMODIA MARITIMA EM ENSAIO PRÉ-CLÍNICO DE DOR INFLAMATÓRIA INDUZIDA NA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR ESQUERDA DE RATOS

  • Maria Ester Frota Fernandes
  • Sarah Rodrigues Basílio, Pedro Isac Fontenele Saldanha, Mirna Marques Bezerra, Hellíada Vasconcelos Chaves
  • Vicente de Paulo Teixeira Pinto

Resumo

As disfunções temporomandibulares (DTM) são a categoria mais prevalente de dor crônica de condições não dental na região orofacial, referindo-se a um conjunto de distúrbios funcionais que manifesta um largo espectro de problemas clínicos. Esses distúrbios são caracterizados por dor que afeta os músculos mastigatórios, a articulação temporomandibular e estruturas relacionadas. Os mecanismos da dor relacionados às DTM envolvem o estímulo de nociceptores periféricos, e a sensibilização leva à liberação de mediadores inflamatórios. Stemodia maritima Linn (Sm) é um arbusto que cresce na Região Nordeste do Brasil, próximo à costa marítima. Estudos sugerem ação antiviral, citotóxica e larvicida da Stemodia, sendo usada popularmente para alívio de processos inflamatórios. O objetivo deste estudo é avaliar o mecanismo de ação antiinflamatório e antinociceptivo de dois derivados semi-sintéticos, BS1 e BS2, da Sm na hipernocicepção inflamatória em ATM de ratos. Ratos Wistar machos (180-240 g) (n=5) foram pré-tratados (per os) com salina 0,9%, BS1 ou BS2 nas doses (1, 10 ou 100 µg/kg). Após o período de 1 hora, os grupos de animais tratados receberam uma injeção intra-articular de salina (50µL) ou formalina (1,5%, 50µL), na ATM esquerda.Em seguida, os grupos foram submetidos à análise comportamental para avaliar a resposta nociceptiva. Após análise comportamental, os animais foram eutanasiados sob anestesia, e os tecidos periarticulares, gânglio trigeminal e subnúcleo caudal foram removidos para posterior análise. BS1 na dose de 100 µg/kg (88,2 ± 8,587) e BS2 na dose de 10 µg/kg (45,75 ± 7.878) reduziram (p<0,05) a resposta comportamental nociceptiva em relação ao grupo formalina (202,33 ± 39,95). Portanto, BS1 e BS2 possuem efeito antinociceptivo e reduzem os parâmetros inflamatórios no modelo de hipernocicepção inflamatória induzida por formalina na ATM de ratos. APOIO CAPES, FUNCAP.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação – PRPPG