A METODOLOGIA DO BODYPAINT (PINTURA CORPORAL ) NO ENSINO DA SEMIOLOGIA MÉDICA PARA ESTUDANTES DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

  • Paula Fernanda Patriolina Teixeira de Oliveira
  • NULL
  • Geison Vasconcelos Lira

Resumo

As mudanças no ensino da Semiologia buscam a dinamicidade e eficácia do processo de aprendizagem. Nesse contexto, o recurso do bodypaint foi incorporado à disciplina de Semiologia Médica 2019 do curso de Medicina da UFC CAMPUS SOBRAL nas oficinas e monitorias ministradas aos discentes do 4° semestre. O objetivo desse trabalho é relatar como foi a experiência da utilização desta ferramenta sob o ponto de vista dos alunos. Foram elaborados questionários contendo 9 questões puramente objetivas e outras 4 objetivas com margem para opinião aberta. 40 questionários foram entregues aos discentes do 4°semestre do período letivo de 2019.1, dos quais 24 foram preenchidos e utilizados para análise estatística desse trabalho. Os questionários não solicitavam nenhum tipo de identificação pessoal dos alunos. Dispondo-se da inquirição dos dados, contatou-se que 91,6% dos discentes não tinham experiência prévia com o bodypaint. 41,6 % dos alunos consideraram muito bom o uso dessa metodologia. 25% excelente,25 % bom e 8,3% ruim. Ademais,62,5 % dos discentes acham importante que eles tenham a oportunidade de praticar o bodypaint e não apenas os monitores para demonstração. Sobre a eficácia do método em garantir o entendimento das técnicas de exames físico,91,6 % responderam que foi útil/eficaz. Alguns destes opinaram que o recurso permite fazer analogias e auxilia em melhor determinação topográfica de órgãos e estruturas internas. 8,3% não consideraram útil/eficaz. Além do aspecto de ensino e aprendizagem técnica, 87,5% dos discentes consideraram que o bodypaint proporcionou maior interação entre os grupos nas oficinas e monitorias, dinamizando o processo. Conclui-se que essa nova prática no ensino da semiologia trouxe aos estudantes uma vivência inovadora que lhes proporcionou aquisição real de conhecimento para a prática médica, além de engajamento em participar das atividades em grupo com maior interação e desenvolvimento interpessoal.
Publicado
2019-01-01
Seção
Encontro de Iniciação à Docência – PROGRAD