VIVÊNCIA “SAÚDE E LUGARES DE PRÁTICAS SOCIAIS” : RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Bruna Damasceno Sa
  • Francisco Lucas Inácio da Silva
  • Mateus Andrade da Rocha Farias
  • Alana Félix Avelino
  • Clelia Maria Nolasco Lopes

Resumo

Estudos vêm demonstrando o potencial de colaboração entre saúde pública e planejamento urbano. A estas áreas têm sido atribuído o potencial para a promoção do bem-estar humano. As abordagens incluem a avaliação das necessidades locais, prestação de serviços, gerenciamento de complexos sistemas sociais, atuação a nível populacional e uso de instrumentos participativos, com atenção especial às necessidades das populações vulneráveis. Trata-se o presente relato da experiência no trabalho desenvolvido com estudantes ao início da graduação em Saúde, para em uma vivência no entorno da faculdade, formular/responder questões sobre relações saúde e sociedade. Para a atividade foram desenhados trajetos para os estudantes, divididos em grupos, assim configurando territórios-recortes da sociedade. O diário de campo, fotografias e esquemas foram utilizados como procedimentos metodológicos. Os estudantes, reunidos nos grupos, no retorno da vivência foram estimulados a produzir resultados sobre o trabalho a serem apresentados no próximo encontro. As relações entre saúde, moradia, lazer, acesso a água, destino dos dejetos, serviços de saúde, escola, creches, foram destacadas no que implicam as relações saúde e sociedade. Ademais, como ameaças à saúde, destacaram-se a poluição, o estresse, a vulnerabilidade socioeconômica e segurança. Por outro lado, melhorias no desenho urbano e usabilidade do espaço, adicionam bem-estar à vida das pessoas, e intervenções nessa área podem e devem ser pensadas como ferramentas para melhoria da saúde pública. A vivência reuniu oportunidades de ampliação do trabalho com a pesquisa bibliográfica sobre as relações entre saúde e sociedade. Um desafio considerando tratar-se de conceitos complexos em abordagem introdutória.
Publicado
2021-01-01
Seção
XXIX Encontro de Extensão