A INDEXAÇÃO DAS REVISTAS DE EXTENSÃO: A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA

  • Teresa Clara Felismino Landim UFC/BIBLIOTECONOMIA
  • Beatriz Gondim Matos
  • Roberto Múcio Vieira Chagas
Palavras-chave: Extensão Universitária, Indexação, Bases de dados científicas

Resumo

A proposta deste trabalho foi realizar uma investigação acerca das revistas de extensão universitária no Brasil, a fim de observar questões relativas ao processo de indexação desses periódicos em bases de dados científicas, relacionando esse tema com a necessidade de divulgação das informações neles contidas. A importância dessa pesquisa se justifica devido à desinformação que existe com relação ao objetivo real das ações extensionistas, que muitas vezes são postas como atividades designadas apenas a preencher carga horária do docente responsável ou como mero mecanismo de viabilização de pesquisas piloto, ao invés de promoverem a interação entre a universidade e a comunidade que a cerca, como determina o Plano Nacional de Extensão do Ministério da Educação e Cultura (BRASIL, 2000). As revistas de extensão surgem como uma ferramenta capaz de combater esse pensamento equivocado, promovendo a interação com a comunidade, e mostrando que as atividades de extensão são capazes de transformar a realidade social para melhor, caso sejam praticadas da maneira correta. Com relação aos procedimentos metodológicos, para a realização do estudo foi feita uma pesquisa de natureza exploratória a partir de dados secundários. Realizou-se uma busca por revistas de extensão brasileiras, utilizando como critério de seleção o cumprimento da periodicidade. Chegou-se a um total de 44 títulos, dentre os quais 28 mantém a regularidade das publicações. Porém, das 30 revistas selecionadas, apenas 8 são indexadas em alguma base. A partir desse resultado, percebe-se a necessidade de um aprimorando e envolvimento do corpo editorial dos periódicos em busca da indexação em bases de dados, aumentando com isso o alcance das publicações. 

Referências

ANDREATTO. Maria Regina. Periódicos da Ciência da Informação em acesso aberto: análise da indexação. 2010. 65 f. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) – Faculdade de Biblioteconomia, Universidade Federal de Santa Catarina

ANTUNES, Alberto Azoubel. Como avaliar a produção científica. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiõs. v.42, n.1, 2015.

BARATA, Germana. O acesso aberto como política científica institucional. Disponível em:<https://www.unicamp.br/unicamp/ju/artigos/germana-barata/acesso-aberto-como-politica-cientifica-institucional>. Acesso em 08 set 2017.

BARROS, Virgínia. Reforma universitária: o desafio da qualidade no ensino superior. Disponível em: <https://www.une.org.br/2012/11/reforma-universitaria-o-desafio-da-qualidade-do-ensino-superior/>. Acesso em: 05 set 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Promulgada em 05 de outubro de 1988. Disponível em: <https://www.jusbrasil.com.br/topicos/10650167/artigo-207-da-constituicao-federal-de-1988> Acesso em: 30 ago 2017.

DROESCHER, Fernanda Dias. SILVA, Edna Lucia da. O pesquisador e a produção científica. Perspectivas em Ciência da Informação. v.19, n.1, 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362014000100011>. Acesso em

ELPO, M. E. H. C. Avaliação da extensão universitária na proposta do SINAES. In: Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, 2, 2004, Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: [s.n.], 2004

FERREIRA. Ana Gabriela Clipes. Editoração Eletrônica de Periódicos Científicos: o uso do SEER como ferramenta de padronização para revistas brasileiras na web. 2006. 62 f. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) - Faculdade de Biblioteconomia e Documentação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/17709/000717757.pdf?sequence=1>. Acesso em

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2002.

MATTAR, Fauze Najib. Pesquisa de marketing: metodologia, planejamento. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

MOITA, Filomena Maria Gonçalves da Silva Cordeiro; ANDRADE, Fernando Cézar Bezerra de. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 41, 2009.

TEIXEIRA. Marcelo Votto. O que são as bases de dados científicas? Disponível em: <https://bibliotecaucs.wordpress.com/2011/10/27/voce-sabe-o-que-sao-as-bases-de-dados-cientificas/>. Acesso em 30 ago 2017.

VOLPATO, Gilson Luiz. Publicação científica e indexação. In: XLI Congresso Brasileiro de Fitopatologia, 2008. Anais. Botucatu: UNESP, 2008.

Publicado
2017-12-26