A INFÂNCIA E A EXPERIÊNCIA DO LUTO: UMA INTERLOCUÇÃO ENTRE CINEMA E PSICANÁLISE

  • Tábata Isis Silva Laboreiro Universidade Federal do Ceará
  • Mariana Lopes Veras Universidade Federal do Ceará
  • Caciana Linhares Pereira Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Cinema e Psicanálise. Luto. Infância.

Resumo

O trabalho discorre sobre a experiência do projeto “Cine Freud, Cultura e Arte”. O Cine Freud busca o diálogo com a comunidade através do Cinema e da Psicanálise, sendo a principal atividade do Projeto de Extensão vinculado ao Laboratório de Psicanálise da Universidade Federal do Ceará (UFC). O tema foi delineado a partir da análise dos debates ocorridos dos filmes: Feito gente grande e Uma viagem extraordinária. O objetivo é analisar as linhas de força que compuseram os debates em torno do tema luto na infância. Considerando a relevância do debate, pretende-se extrair aspectos importantes levantados na discussão, assim como elaborar teoricamente os temas. A análise contribui para refletir sobre a extensão universitária visando o intuito do projeto: a apreensão dos processos de subjetivação nas produções cinematográficas e a escuta dos efeitos produzidos de sua recepção.

 

Biografia do Autor

Tábata Isis Silva Laboreiro, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará. Bolsista do Projeto de Extensão Cine Freud, Cultura e Arte.
Mariana Lopes Veras, Universidade Federal do Ceará
Graduanda em Psicologia Universidade Federal do Ceará. Bolsista do Projeto de Extensão Cine Freud Cultura e Arte.
Caciana Linhares Pereira, Universidade Federal do Ceará
Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará. Professora adjunta do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Ceará. Psicanalista. Membro do Corpo Freudiano Escola de Psicanálise. Coordenador do Projeto de Extensão Cine Freud, Cultura e Arte.
Publicado
2016-06-30
Seção
Relatos de Experiências Extensionistas