APLICAÇÃO DA ESCALA DE RISCO FAMILIAR NA ATENÇÃO BÁSICA

  • Francisco Maximiano Nunes Moura Universidade Federal do Ceará.
  • Antônio Davi Pinto Marinho Universidade Federal do Ceará
  • Lucas Lourenço Oliveira Universidade Federal do Ceará
  • Matheus Lemos Santos Universidade Federal do Ceará
  • Otoni Lima Araújo Júnior Universidade Federal do Ceará
  • Marcelo José Monteiro Ferreira Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Atenção Básica, Vulnerabilidade Social, Planejamento em Saúde

Resumo

A Estratégia Saúde da Família constitui-se como elemento fundamental para a organização da Atenção Básica (AB), realizando ações como a visita domiciliar, visando a garantia de acesso aos serviços de saúde. O presente manuscrito objetiva analisar as potencialidades e desafios para a aplicação da Escala de Risco Familiar, de Coelho e Savassi (ERF-CS), como instrumento para o planejamento dos atendimentos domiciliares no âmbito da AB. O trabalho foi desenvolvido na Unidade Básica de Saúde Guiomar Arruda. Para tanto, utilizou os dados do SIAB de cinco agentes comunitários de saúde, que visitaram 48 domicílios durante o mês de agosto de 2015. Dentre as potencialidades da ERF-CS, destacou-se a necessidade de um olhar diferenciado para o território e seus sujeitos. Como desafios, o preenchimento atualizado da Ficha-A dificultou a efetivação da ERF-CS. A adoção de estratégias que contribuam para o planejamento do processo de trabalho em saúde torna-se fundamental para uma atenção básica efetiva.

 

Biografia do Autor

Francisco Maximiano Nunes Moura, Universidade Federal do Ceará.
Graduando em Medicina, da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do projeto de Extensão "Fortalecendo as ações de Vigilância em Saúde nas Unidades de Atenção Primária no município de Fortaleza".
Antônio Davi Pinto Marinho, Universidade Federal do Ceará
Graduando em Medicina, da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do projeto de Extensão "Fortalecendo as ações de Vigilância em Saúde nas Unidades de Atenção Primária no município de Fortaleza".
Lucas Lourenço Oliveira, Universidade Federal do Ceará
Graduando em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista do Projeto de Extensão Fortalecendo as Ações de Vigilância em Saúde em Unidades de Atenção Primária no município de Fortaleza-Ceará
Matheus Lemos Santos, Universidade Federal do Ceará
Graduando em Medicina, da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do projeto de Extensão "Fortalecendo as ações de Vigilância em Saúde nas Unidades de Atenção Primária no município de Fortaleza".
Otoni Lima Araújo Júnior, Universidade Federal do Ceará
Graduando em Medicina, da Universidade Federal do Ceará. Bolsista do projeto de Extensão "Fortalecendo as ações de Vigilância em Saúde nas Unidades de Atenção Primária no município de Fortaleza".
Marcelo José Monteiro Ferreira, Universidade Federal do Ceará
Sanitarista com Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade de Fortaleza/UNIFOR (2006). Residente em Saúde da Família e Comunidade no município de Fortaleza pela Secretaria Municipal de Saúde/SMS (2009-2010). Mestre em Saúde Pública pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública, da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal do Ceará (2012). Doutorando em Saúde Coletiva (2015-atual), pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, área de concentração em Epidemiologia das Doenças Transmissíveis. Tutor do Programa de Educação pelo Trabalho (PET-Saúde), da Faculdade de Medicina/UFC (2014). Professor Assistente 1A do curso de graduação em Medicina, onde coordena a disciplina Saúde, Trabalho, Ambiente e Cultura na Universidade Federal do Ceará (2013-Atual). Revisor de periódicos internacionais (Journal of International Research in Medical and Pharmaceutical Sciences) e nacionais (Cadernos de Saúde Coletiva). Atualmente é Vice-Chefe do Departamento de Saúde Comunitária, da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal do Ceará. Atuou como Bolsista da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz, onde desenvolveu e coordenou o curso de formação técnica em Meio Ambiente, em parceria com a Universidade Federal do Ceará e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Possui experiência no serviço de saúde atuando principalmente nos campos da Saúde do Trabalhador, Saúde Ambiental, Atenção Primária em Saúde e Vigilância em Saúde Ambiental e do Trabalhador.
Publicado
2016-06-30
Seção
Artigos Originais