ENTRETANTOS:

PSICOLOGIA EM ALIANÇA COM CORPOS PRECARIZADOS NAS MARGENS URBANAS

  • Camila dos Santos Leonardo Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Dagualberto Barboza da Silva Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • João Paulo Pereira Barros Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Ingrid Sampaio de Sousa Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Rodrigo Bezerra Saraiva Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • Gabriella Celestino Lemos Furtado Gondim Universidade Federal do Ceará (UFC)
Palavras-chave: Psicologia, Violências, Movimentos Sociais, Juventudes, Famílias.

Resumo

Objetiva-se relatar experiências do projeto EntreTantos, entre 2017 e 2018, em Fortaleza. Referenciadas nos diálogos da Psicologia Social com estudos pós-estruturalistas e críticos à colonialidade, as ações do projeto intentaram mapear micropolíticas de resistência juvenis e criar espaços de ampliação de problematizações acerca de violências contra jovens nas margens urbanas, a partir de intercessões entre universidade, movimentos sociais e organizações que atuam com juventudes.  Metodologicamente, o projeto se organiza em duas frentes, uma que enfoca a potencialização de redes entre movimentos, coletivos e organizações da sociedade civil, e outra voltada à criação de rodas de conversações com coletivos e grupos em contextos marginalizados. Os resultados e discussões apontam a participação da equipe extensionista em fóruns e movimentos que pautam segurança pública, prevenção e enfrentamento da violência letal contra segmentos infantojuvenis, bem como expõem a  realização de rodas de conversações na região do Jangurussu.

Biografia do Autor

Camila dos Santos Leonardo, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Bolsista e graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
Dagualberto Barboza da Silva, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Extensionista voluntário e graduando em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
João Paulo Pereira Barros, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Coordenador de ação extensionista de mesmo nome do artigo
Ingrid Sampaio de Sousa, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Extensionista voluntária e mestranda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
Rodrigo Bezerra Saraiva, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Extensionista voluntário e graduando em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)
Gabriella Celestino Lemos Furtado Gondim, Universidade Federal do Ceará (UFC)
Extensionista voluntária e graduanda em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC)

Referências

ALMEIDA, S. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

BARROS, J. P. P. et al. “Pacificação” nas periferias: discursos sobre as violências e o cotidiano de juventudes em Fortaleza. Revista de Psicologia, 9(1), 117-128, 2018. Disponível em: <http://www.periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/30781> Acesso em: 12 Dez. 2018.

BENTO, B. Necrobiopoder: Quem pode habitar o Estado-nação? Cad. Pagu, Campinas, n. 53, e185305, 2018 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332018000200405&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 10 Dez. 2018.

BORGES, D. L; CANO, I. Índice de homicídios na adolescência: IHA 2014. Rio de Janeiro: Observatório de Favelas, 2017.

BORGES, J. O que é encarceramento em massa? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

BUTLER, J. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

BUTLER, J. Corpos em Aliança. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

COIMBRA, C. Operação Rio: o mito das classes perigosas. Rio de Janeiro: Intertexto, 2001.

COMITÊ CEARENSE PELA PREVENÇÃO DE HOMICÍDIOS NA ADOLESCÊNCIA - CCPHA. Cada vida importa: relatório do primeiro semestre de 2017, Fortaleza, 2018. Disponível em:

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. 12º Anuário de Segurança Pública. São Paulo: o autor, 2018.

KASTRUP, Virgínia; PASSOS, Eduardo. Cartografar é traçar um plano comum. Fractal, Rev. Psicol., Rio de Janeiro , v. 25, n. 2, p. 263-280, 2013 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-02922013000200004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 11 Dez. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S1984-02922013000200004.

KILOMBA, G. The Mask. Traduzido por Jessica Oliveira de Jesus. Cadernos de Literatura e tradução, n. 16, 2016, p. 171-180.

LIMA, F. Raça, Interseccionalidade e Violência: corpos e processos de subjetivação em mulheres negras e lésbicas. Cad. de Gênero e Diversidade, Salvador, v. 04, n. 02, p. 66-82, 2018. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/cadgendiv/article/view/26646/16098>. Acesso em: 10 Dez. 2018.

MBEMBE, A. Necropolítica. Arte e Ensaios, n. 32, p. 123-151, 2016. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993/7169>. Acesso em: 12 Dez. 2018.

MBEMBE, A. Políticas da inimizade. Lisboa: Antigona, 2017.

RIBEIRO, D. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

SALES, M. A. (In)visibilidade perversa: adolescentes infratores como metáfora da violência. São paulo: Cortez, 2007.

Publicado
2020-08-20