CONECTANDO LAÇOS ENTRE TRABALHADORES:

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO REDES

Palavras-chave: Trabalho, Análise de Redes Sociais, Psicologia do Trabalho e das Organizações.

Resumo

Este relato de experiência tem o objetivo de descrever ação de extensão realizada no âmbito do projeto Redes – estudos e práticas sobre psicologia do trabalho e redes sociais, do curso de psicologia da UFC/campus Sobral. O projeto Redes tem como propósito agregar conhecimento sobre contextos, práticas e conceitos que envolvem processos de trabalho e redes sociais, de modo a subsidiar métodos de intervenção em psicologia do trabalho e das organizações. Nesse sentido, foi realizada ação junto a trabalhadores terceirizados que atuavam em uma clínica escola na UFC, campus Sobral. A experiência envolveu diagnóstico de demanda, observação, entrevistas e oficina de compartilhamento e fechamento do processo. Foram mapeadas redes sociais informais de trabalho, amizade, confiança e informação que evidenciaram a existência de laços entre os trabalhadores que auxiliavam a organização coletiva de seu trabalho e a realização de atividades cotidianas, além de fomentar interações que favoreciam a construção de um ambiente psicossocial rico em relações.  

Biografia do Autor

Renata Guimarães Carvalho, Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Professora adjunta no curso de Psicologia na UFC/campus Sobral na área Psicologia Social do Trabalho e das Organizações
Orlando Constâncio Gadelha Filho, Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Psicólogo, graduado pela Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Milena Michele Linhares Magalhães, Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Psicóloga, graduada pela Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Hayssa Sthephanier Prado do Nascimento, Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Psicóloga, graduada pela Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Kerolayne Oliveira Ximenes, Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Psicóloga, graduada pela Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Joseane Batista de Oliveira, Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral
Psicóloga, graduada pela Universidade Federal do Ceará/ Campus Sobral

Referências

BORGATTI, S. P.; EVERETT, M. G.; FREEMAN, L. C. Ucinet for Windows: Software for social network analysis. Harvard, MA: Analytic Technologies, 2002.

DRUCK, G.; FRANCO, T. A perda da razão social do trabalho: terceirização e precarização. São Paulo: Boitempo, 2007.

HANNEMAN, R. A. Introducción a los métodos de análisis de las redes sociales. Departamento de Sociologia de La Universidad de California Riverside, 2001. Recuperado de: http://revista-redes.rediris.es/webredes/text.htm

LIMA, J. C. Participação, empreendedorismo e autogestão: uma nova cultura do trabalho?. Sociologias, Porto Alegre , v. 12, n. 25, p. 158-198, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222010000300007

LIMA, J. A.; MAIA, P. A.; MENEZES, M. A.; SANTOS, E. Redes sociais e conflito organizacional. Redes – Revista Hispano para el Análisis de Redes Sociales, vol. 27, n. 1, pp. 129-14, 2016. https://doi.org/10.5565/rev/redes.591

LOIOLA, E.; BASTOS, A. V. B.; MACAMBIRA, M. O.; NEIVA, E. R.; MACHADO, J. A. P. Redes sociais em contextos organizacionais: ferramenta de análise e intervenção. In L.O. BORGES; L. MOURÃO (Orgs.), O trabalho e as organizações: atuações a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed, 2013.

MACAMBIRA, M. O.; BASTOS, A. V. B.; ROSSONI, L. Redes sociais e o vínculo com a organização: como a estrutura das relações explica o comprometimento, o entrincheiramento e o consentimento. Rev. Psicol., Organ. Trab., Brasília , v. 15, n. 2, p. 109-122, jun. 2015 . Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-66572015000200002&lng=pt&nrm=iso

MAYA-JARIEGO, I.; HOLGADO, D. 7 ejemplos de intervención basada em redes. Redes: Revista hispana para el analisis de redes sociales. Vol.28,2, pp.145-163, 2017. http://dx.doi.org/10.5565/rev/redes.734

REGIS, H. P.; BASTOS, A. V. B.; DIAS, S. M. R. C. Redes sociais informais: análise das redes de amizade, de informação e de confiança em incubadoras de base tecnológica no Recife. Rev. Psicol., Organ. Trab., Florianópolis , v. 7, n. 1, p. 31-56, jun. 2007. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-66572007000100003&lng=pt&nrm=iso

SANTOS, J. B. F.; MACIEL, R. H.; SATO, L. Trabalhadores informais e a formação de redes socioprodutivas (RSP): Considerações teórico-empíricas. Contemporânea, vol. 4, n. 2, pp. 325-350, 2014. Disponível em http://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/contemporanea/article/view/251

SENNET, R. A corrosão do caráter: As consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro, Record, 2005.

SCOTT, J. Social network analysis: A handbook. London: Sage, 2000.

WASSERMAN, S.; FAUST, K. Social network analysis: Methods and applications. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

Publicado
2020-08-20