Entrelaces

Entrelaces é a revista do Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGLetras, da Universidade Federal do Ceará. No intuito de fomentar e promover o debate crítico em torno dos estudos literários e dos campos disciplinares com que dialoga, semestralmente, em suas edições, são publicados artigos, ensaios e resenhas de doutores, mestres e alunos de pós-graduação.

O periódico está organizado em duas seções permanentes, Artigos e Seção Livre, e outras duas, Resenhas e Criação, que são apresentadas em edições alternadas.

A seção ARTIGOS recebe textos que estão de acordo com a temática específica de cada edição.

A seção LIVRE acolhe produções acadêmicas de temática livre, em fluxo contínuo, da área de Letras-Literatura.

A seção RESENHAS publica resenhas descritivas ou críticas de publicações acadêmicas e literárias da área de Letras-Literatura.

A seção CRIAÇÃO abre espaço para textos curtos, em prosa ou em verso, selecionados pela Revista. 


Imagem para capa da revista

Notícias

 

CHAMADA DE SUBMISSÃO PARA EDIÇÃO JAN-JUN (2017) – “DOSSIÊ VIDAS ÍNTIMAS: POÉTICAS DO EU”

 

A Entrelaces convida a comunidade acadêmica a participar da Chamada de Publicação para Edição Jan-Jun (2017) que aceitará submissões de artigos que contemplem a temática Vidas íntimas: poéticas do Eu.

 
Publicado: 2017-01-02 Mais...
 

Qualis 2015

 
A Entrelaces agora é Qualis B2  
Publicado: 2016-12-22 Mais...
 

Chamada de Submissão para Edição Jul-Dez (2016) - "100 anos de Manoel de Barros: poesia da simplicidade"

 
A Entrelaces convida a comunidade acadêmica a participar da Chamada de Publicação para Edição jul-dez (2016), que aceitará submissões de artigos que contemplem a temática "100 anos de Manoel de Barros: poesia da simplicidade"  
Publicado: 2016-07-16 Mais...
 
Outras notícias...

v. 1, n. 8 (2016): 100 anos de Manoel de Barros: poesia da simplicidade


Capa da revista

A imagem de capa desta edição de Entrelaces, intitulada “Plumagens de Pipa”, é composta de traços multicolores, representando a ludicidade da poesia que tem como fonte a experiência onírica trazida pela memória infante.

Os traços criam, nas bordas, entrecruzamentos, assim como os versos se cruzam para a existência dum poema. O fundo azul rememora os sonhos compostos de anil, onde voam os olhares de crianças. Ao centro do desenho, uma sugestão de pluma semiformada, lembrando também um “P” ao avesso.

A pipa e a pluma são símbolos de leveza e liberdade, sensações encontráveis em qualquer leitura de poemas do poeta homenageado: Manoel de Barros. Em celebração aos seus 100 anos, todos os voos de poesia


Criação de Weslley Almeida, pesquisador de literatura, poeta e compositor baiano. Graduado em Letras pela UEFS e Pós-graduado em Língua Inglesa, nas horas vagas, pinta e desenha imagens que traduzem os feixes na íris de sua existência.