GEOGRAFIAS DE CINEMA: O lugar das memórias no filme “A Vila”

  • Antonio Carlos Queiroz Filho Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Palavras-chave: Cinema, Memória, Geografia.

Resumo

Este trabalho refere-se a um recorte da tese de doutorado do autor, que teve como argumento principal a ideia de que a experiência de ver filmes no mundo contemporâneo é uma experiência geográfica. Esta foi uma proposta que coube aproximar duas formas de grafia de mundo, a saber, a geografia e o cinema. O principal elo entre esses mundos: a dimensão espacial que se configura via narrativa de imagem e som, criada por alusão ou verossimilhança, simbologias, paisagens, tensões, silêncios, ruídos, lugares e territórios. Num mundo cada vez mais feito de imagens, a realização desse percurso serviu como um alerta para a geografia contemporânea, chamando atenção para as implicações dadas à linguagem, ao cinema e para as geografias que, nos filmes, são produzidas ou continuadas.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Queiroz Filho, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Doutor em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor Adjunto do Departamento e do Mestrado em Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). 
Publicado
2013-04-07
Como Citar
Queiroz Filho, A. C. (2013). GEOGRAFIAS DE CINEMA: O lugar das memórias no filme “A Vila”. Passagens, 4(1). Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/passagens/article/view/1140
Seção
Artigos