CAPS com gerência pública e privada: estudo na rede de atenção psicossocial do Rio Grande do Norte

  • Marcelo Menezes da Costa Universidade Potiguarem Natal (UnP/Laureate Universities)./ Professor
  • Magda Dimenstein Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN / Professora Titular
Palavras-chave: Reforma Psiquiátrica, Gestão em Saúde Mental, CAPS

Resumo

A gestão em Saúde Mental é um aspecto central no campo da Reforma Psiquiátrica. Desenvolvemos uma investigação em dois Centros de Atenção Psicossocial do RN, um com gerência pública, localizado em Natal e outro com gerência privada, em funcionamento no município de Parnamirim. Objetivamos conhecer o modo de funcionamento de cada um deles, especificamente como se dá o processo de planejamento e gestão dos recursos materiais e humanos. Metodologicamente realizamos pesquisa documental e entrevistas com gestores e equipe técnica de ambos os serviços, totalizando 13 profissionais. Foram constatadas diferenças na gerência entre os dois serviços nos seguintes aspectos: transparência no repasse dos recursos da gestão municipal para o serviço, autonomia, participação no planejamento e formas de utilização dos recursos. Observamos que ambos os modelos têm vantagens e desvantagens. A gerência privada nos moldes de Organização Social (OS) é privilegiada no sentido de proporcionar mais autonomia e resolutividade ao serviço. A gerência pública fica submetida ao poder executivo, funcionando de forma menos flexível e engessada, não possibilitando o manejo mais rápido e focalizado dos recursos pela equipe técnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Menezes da Costa, Universidade Potiguarem Natal (UnP/Laureate Universities)./ Professor
Docente no curso de Psicologia da Universidade Potiguar em Natal (UnP/Laureate Universities). Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Magda Dimenstein, Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN / Professora Titular
Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN. Está vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia/UFRN. Bolsista PQ1B do CNPq.

Referências

Barbosa, N. B. (2010) Regulação do trabalho

no contexto das novas relações público

versus privado na saúde. In: Revista

Ciência & Saúde Coletiva. v.15, n.5: p.

2506.

Barbosa, N. B. & Elias, P. E. M. (2010) As

organizações sociais de saúde como forma

de gestão público/privado. In: Revista

Ciência & Saúde Coletiva. v.15, n.5: p.

2495.

Brasil, (2005) Reforma Psiquiátrica e Política

de Saúde Mental no Brasil. Secretaria

de Atenção à Saúde. DAPE. Coordenação

Geral de Saúde Mental. Ministério da

Saúde. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços

de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas.

OPAS. Brasília-DF.

Brasil. (2009). Ministério da Saúde. Secretaria

de Atenção à Saúde. Política nacional

de Humanização da atenção e Gestão

do SUS. Gestão participativa e cogestão /

Ministério da saúde, secretaria de atenção

à saúde, Política nacional de Humanização

da atenção e Gestão do SUS. –

Brasília: Ministério da saúde.

Centro de Atenção Psicossocial II - PAR.

(2011). Secretaria Municipal de Saúde.

Tesouraria e Administração. Planilhas

de custeio do serviço. Planilha de planejamento

e gastos dos recursos recebidos.

– Parnamirim: Secretaria Municipal de

Saúde – CAPS II – PAR.

Guizardi, F. L., Cavalcanti, F. de O. (2010)

Gestão em saúde: nexos entre o cotidiano

institucional e a participação política no

SUS. In: Revista Interface – comunicação,

saúde, educação. v.14, n.34, p.633-45.

Heck, R. M., et al. (2008) Gestão e Saúde

Mental: percepções a partir de um Centro

de Atenção Psicossocial. In: Revista Texto

Contexto Enfermagem, v.17, n.4, p.647-55.

Freire, F. H. M. de A. (2004) O Sistema de

alocação de recursos do SUS aos Centros

Atenção Psicossocial: implicações com a

proposta de atuação dos serviços substitutivos.

Dissertação de Mestrado em Saúde

Pública – Rio de Janeiro: Escola Nacional

de Saúde Pública Sérgio Arouca,

Fundação Oswaldo Cruz.

Freire, F. H. M. de A. (2012) Cartografia do

financiamento em Saúde Mental: modelagens

na Rede de Atenção Psicossocial

na relação de cuidado à loucura. Tese de

Doutorado em Saúde Pública – Rio de Janeiro:

Escola Nacional de Saúde Pública

Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz.

Minayo, M. C. de S., et al. (1994) Pesquisa

Social: Teoria, Método e Criatividade. Riode

Janeiro: Editora Vozes, 80 p.

Pepe, Vera Lúcia Edais, Figueiredo, Tatiana

de Aragão, Simas, Luciana, Osorio-de-

Castro, Claudia Garcia Serpa, & Ventura,

Míriam. (2010). A judicialização da saúde

e os novos desafios da gestão da assistência

farmacêutica. Ciência & Saúde Coletiva,

(5), 2405-2414. Retrieved April

, 2013, from http://www.scielo.br/

scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413

&lng=en&tlng=pt.

1590/S1413-81232010000500015.

Prefeitura de Natal. (2011). Secretaria Municipal

de Saúde. Coordenação de Saúde

Mental. Planilhas de Recursos de custeio,

planejamento e gastos em Saúde Mental.

– Natal: SMS – Secretaria Municipal de

Saúde.

Rietra, Rita de Cássia Paiva.(1999) Inovações

na gestão em Saúde Mental: um estudo

de caso sobre o CAPS na cidade do

Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado.

Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional

de Saúde Pública; 1999. 125 P.

Sano, Hironobu & Abrucio, Fernando

Luiz. (2008). Promessas e resultados

da Nova Gestão Pública no Brasil:.

Caso o das Organizações Sociais

de Saúde em São Paulo Revista de Administração

de Empresas , 48 (3), 64-

Retirado 15 de abril de 2013, a

partir de http://www.scielo.br/scielo.

php?script=sci_arttext&pid=S0034-

- 7 5 9 0 2 0 0 8 0 0 0 3 0 0 0 0 7 & l n g =

e n & t l n g = p t . 1 0 . 1 5 9 0 / S 0 0 3 4 -

Publicado
2015-07-21
Como Citar
da Costa, M. M., & Dimenstein, M. (2015). CAPS com gerência pública e privada: estudo na rede de atenção psicossocial do Rio Grande do Norte. Revista De Psicologia, 6(1), 7-18. Recuperado de http://www.periodicos.ufc.br/psicologiaufc/article/view/1689
Seção
Artigos