Interdisciplinaridade e estudos métricos da informação:

contribuição para a análise nas Ciências Ambientais

Autores

  • Daniele Belmont de Farias Cavalcanti Universidade Federal Rural do Semiárido
  • Breno Ricardo de Araújo Leite Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.32810/2525-3468.ip.v4i1.2019.41319.68-81

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade. Métodos Bibliométricos. Ciências Ambientais.

Resumo

A institucionalização das Ciências Ambientais (CiAMB) no Brasil foi pautada pela busca de soluções em relação as problemáticas ambientais emergentes na sociedade. Sua criação baseia-se da necessidade de uma nova visão na construção do conhecimento fundamentada na interação dos saberes, o que faz dessa área ter como característica intrínseca a interdisciplinaridade. Portanto, deve estar presente em todos os processos, desde a proposta dos cursos, corpo docente e discente de formação diversificada e projetos de pesquisa proveniente de diferentes campos disciplinares. Embora o termo ‘Interdisciplinaridade’ não possua uma definição consensual na literatura especializada, o ‘Documento da Área da CAPES’ apresenta características básicas que os programas inseridos nessa subárea devem possuir, porém não descreve os indicadores para verificar se a ‘Interdisciplinaridade’ está realmente se fazendo presente na CiAmb. Esse artigo apresenta por meio de uma revisão da literatura como os estudos métricos da Informação inseridos no campo da Biblioteconomia e Ciências da Informação quando bem definidos e aplicados à produção científica apontam potencialidades para analisar a interdisciplinaridade de acordo com as definições estabelecidas no Documento da Área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Belmont de Farias Cavalcanti, Universidade Federal Rural do Semiárido

Bibliotecária Mestre em Ambiente, Tecnologia e Sociedade.

Breno Ricardo de Araújo Leite, Universidade Federal de Santa Catarina

Engenheiro Mestre em Ciências e Tecnologias Espaciais

Referências

ARAÚJO, C. A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun. 2006. Disponível em: < http://revistas.univerciencia.org/index.php/revistaemquestao/article/viewFile/3707/3495 > Acesso em: 10 maio 2017.

BRASIL. Ministério da educação. Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. Documento de avaliação da área: ciências ambientais. Brasília, 2016.

BRASIL. Ministério do meio ambiente. Brasília, 2011. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/governanca-ambiental/informacao-ambiental/sistema-nacional-de-informacao-sobre-meio-ambiente-sinima/indicadores > Acesso: 8 fev.2017.

FAZENDA, I. C. A. Práticas interdisciplinares na escola. 3. ed. São Paulo: Cortez,1996.

FAZENDA, I. C. A. Interdisciplinaridade: qual o sentido? São Paulo: Paulus, 2003.

FRANCO, M. de A. R.. Planejamento ambiental para a cidade sustentável. 2. ed. São Paulo: Annablume. 2008.

HARGREAVES, A. O ensino na sociedade do conhecimento: educação na era da insegurança. Porto Alegre: Artmed, 2004.

JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago,1976.

KOBASHI, Nair e SANTOS, R N M. Arqueologia do trabalho imaterial. In: ENANCIB, 7, 2006. Marília, São Paulo. Anais... Marília: UNESP, 2006.

LEFF, E. Epistemologia ambiental. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002

MACIAS-CHAPULA, C.A. O papel da infometria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ci. Inf., v. 27, n.2, p. 134-140,1998. Disponível em: < http://www.tce.sc.gov.br/files/file/biblioteca/o_papel_da_infometria.pdf > Acesso em: 6 jun. 2017.

MAGALHÃES, E.M. Interdisciplinaridade: por uma pedagogia não fragmentada. Disponível em:< www.ichs.ufop.br/AnaisImemorial %20do%20ICHS/ >. Acesso em: 14 de novembro de 2017.

MARICATO, J. M. Dinâmicas das relações entre ciências e tecnologia: estudo bibliométrico e cientométrico de múltiplos indicadores de artigos e patentes em biodiesel.2010. 378 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes, São Paulo,2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-17112010-131149/pt-br.php > Acesso em: 14 mai. 2017.

MEDEIROS, J. M. G.; VITORIANO, M. A. V. A evolução da bibliometria e sua interdisciplinaridade na produção científica brasileira. RDBCI. V. 13, n. 3, set. /dez. 2015. Disponível em:< https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/issue/view/704 >Acesso em: 06 ago. 2017.

NORONHA, D. P.; MARICATO, J. O. M. Estudos métricos da informação: primeiras aproximações. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 13, n. esp., p. 116-128, 2008. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/5005 . Acesso em: 11 Abr. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano. Estocolmo, 1972. Disponível em: < http://www.un-documents.net/aconf48-14r1.pdf >. Acesso em: 25 mar. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Agenda 21: Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. Rio de Janeiro, 1992. Disponível em: <http://www.onu.org.br/rio20/img/2012/01/agenda21.pdf>. Acesso em: 25 mar. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. O Futuro que queremos: Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: < http://www.un.org/ga/search/view_doc.asp?symbol=A/RES/66/288&Lang=E >. Acesso em: 25 mar. 2018.

PADUA, J. A. As bases teóricas da história ambiental. Estudos Avançados [on-line]. v. 24, n.68, 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142010000100009&lng=en&nrm=iso >. Acesso em: 25 mar. 2018.

PHILIPPI JR, A. et al. Desenvolvimento sustentável, interdisciplinaridade e Ciências Ambientais. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 10, n. 21, p. 509 - 533, outubro de 2013. Disponível em: < http://ojs.rbpg.BRASIL.gov.br/index.php/rbpg/article/viewFile/423/353 >. Acesso em: 27 mar. 2018.

PHILIPPI JR. A.; SILVA NETO, A. J. (Ed.).Interdisciplinaridade em ciência, tecnologia & inovação. Barueri: Manole, 2011, p. 123-142.

PHILIPPI JR, A. et al. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus, 2000. Disponível em: < http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/us000001.pdf >. Acesso em: 27 mar. 2018.

PRITCHARD, A. Statistical bibliography or bibliometrics? Journal of Documentation, 25: 348–349, 1969. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/236031787_Statistical_Bibliography_or_Bibliometrics > Acesso em: 15 de Dez. 2017.

POMBO, O. GUIMARÃES, H. M.; LEVY, T. A interdisciplinaridade: reflexão e

experiência. Lisboa: Texto, 1994.

ROSTAING, H. La bibliométrie et ses techniques. Tolouse: Sciences de la Société,. 1996. Disponível em: < http://www.master-vti.fr/web/IMG/pdf/La_bibliometrie_et_ses_techniques.pdf > Acesso em: 6 ago. 2017.

SANTOS, R. N. M. dos; KOBASHI, N. Y. Bibliometria, cientometria, infometria: conceitos e aplicações. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 155-172, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci >Acesso em: 07 mar. 2017.

SILVA, D. J. da. O paradigma Transdisciplinar: uma perspectiva metodológica para a pesquisa ambiental. l. In: PHILIPPI, A. Jr. et al. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus Editora, 2000. Disponível em: < http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/us000001.pdf > Acesso em: 06 de jun. 2017.

Publicado

2019-07-04

Como Citar

CAVALCANTI, Daniele Belmont de Farias; LEITE, Breno Ricardo de Araújo. Interdisciplinaridade e estudos métricos da informação:: contribuição para a análise nas Ciências Ambientais. Informação em Pauta, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 68–81, 2019. DOI: 10.32810/2525-3468.ip.v4i1.2019.41319.68-81. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/41319. Acesso em: 23 maio. 2024.