Contribuições da Rede Cariniana para a preservação digital nos repositórios digitais institucionais

o caso da UFRN

  • Mayane Paulino de Brito e Silva Universidade Federal da Paraíba
  • Rafaela Karoline Galdencio de Moura Universidade Federal da Paraíba
  • Sandra de Albuquerque Siebra Universidade Federal da Paraíba
  • Virgínia Bentes Pinto Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: Preservação digital, Repositórios Digitais Institucionais, Rede Cariniana, Repositório Institucional – UFRN

Resumo

Discute sobre as contribuições da Rede Cariniana no âmbito da preservação digital em Repositórios Digitais Institucionais. Utiliza como metodologia instrumentos necessários para o desenvolvimento de uma pesquisa bibliográfica, exploratória e descritiva, com uma abordagem qualitativa. Faz uso de um estudo de caso no Repositório Digital Institucional da UFRN por meio de uma coleta de dados feita através da realização de uma entrevista semiestruturada. Aborda reflexões e conceitos relacionados à preservação digital, que é entendida como um conjunto de ações e técnicas responsáveis quanto à informação digital, permitindo que ela seja preservada e recuperada ao longo do tempo. Menciona a Rede Cariniana, que oferece diversas alternativas para que as entidades brasileiras possam colecionar, armazenar e promover o acesso ao conteúdo selecionado por meio de cópias autorizadas. Aponta que o processo de conexão entre a ciência eletrônica e a necessidade de preservação dos dados digitais estaria baseado nos Repositórios Digitais Institucionais. Apresenta como resultados a garantia da guarda como principal interesse na adoção de ferramentas dirigidas à preservação digital de documentos; a UFRN faz parte do estudo realizado pela Rede Cariniana, a qual abriga a tipologia científica, cujo crescimento documental chega a 3000 por ano e visa a congregar todo o material científico nos próximos 5 anos, levando em consideração os aspectos tecnológicos, humanos e a ação prática de uma política de preservação digital. Sob este viés, a pesquisa finaliza que o propósito de enriquecer e contribuir para as iniciativas e práticas sobre a preservação digital brasileira é bastante promovido pela Rede Cariniana, por meio de uma infraestrutura descentralizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVO. Glossário: Documentos Arquivísticos Digitais, 2014. Disponível em: http://conarq.arquivonacional.gov.br/images/ctde/Glossario/2014ctdeglossario_v6_public.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

FERREIRA, Miguel. Introdução à preservação digital: conceitos, estratégias e actuais consensos. Guimarães, Portugal: Escola de Engenharia da Universidade do Minho, 2006. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5820/1/livro.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRÁCIO, José Carlos Abbud. Preservação digital na gestão da informação: um modelo processual para as instituições de ensino superior. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

HEMINGER, Alan; KELLEY, Don. A Delphi Assessment of the Digital Rosetta Stone Model, 2004. Disponível em: https://dl.acm.org/citation.cfm?id=962964. Acesso em: 10 set. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Rede Cariniana, 2014. Disponível em: http://cariniana.ibict.br/index.php/inicio. Acesso em: 16 set. 2019.
INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital – Cariniana, 2018. Disponível em: http://www.ibict.br/pesquisa-desenvolvimento-tecnologico-e-inovacao/rede-brasileira-de-servicos-de-preservacao-digital. Acesso em: 16 set. 2019.

KURAMOTO, Hélio. Informação científica: proposta de um novo modelo para o Brasil. Ciência da Informação, Brasília, v. 35, n. 2, p. 91- 102, maio/ago. 2006. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/02/pdf_3dbb2fb854_0008036.pdf. Acesso em: 15 set. 2019.

LORIE, Raymond. A Methodology and System for Preserving Digital Data, 2002. Disponível em: https://dl.acm.org/citation.cfm?id=544296. Acesso em: 16 set. 2019.

LYNCH, Clifford. A. Institutional repositories: essential infrastructure for scholarship in the digital age. ARL Bimonthly Report, 26, 2003. Disponível em: http://www.arl.org. Acesso em: 16 set. 2019.

MANZINI, Eduardo José. A entrevista na pesquisa social. Didática, São Paulo, v. 26/27, p. 149-158, 1990.

MÁRDERO ARELLANO, Miguel Ángel. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 15-27, maio/ago. 2004.

MÁRDERO ARELLANO, Miguel Ángel. Cariniana: uma rede nacional de preservação digital. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 41 n. 1, p. 83-91, jan./abr. 2012 Disponível em:http://eprints.rclis.org/23074/1/Artigo%20miguel%20CI.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

MESSERSCHMITT, David. Opportunities for Libraries in the NSF Cyberinfrastructure Program, 2003. Disponível em: http://old.arl.org/resources/pubs/br/br229/br229cyber.shtml. Acesso em: 16 set. 2019.

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL UFRN. Estatísticas gerais. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/ri-statistics?. Acesso em: 26 jul. 2018.

SAYÃO, Luis Fernando; MARCONDES, Carlos Henrique. Introdução: repositórios institucionais e livre acesso In: SAYÃO, Luis et al (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009.

SILVA, Mayane Paulino de Brito e Silva. Arquitetura da Informação Pervasiva em Repositórios Digitais Institucionais: estudo de caso do repositório da UFRN. 2018. 170 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2018.

THE COMMISSION ON PRESERVATION AND ACCESS AND THE RESEARCH LIBRARIES GROUP. Preserving Digital Information: Report of the Task Force on Archiving of Digital Information, 1996. Disponível em: https://www.clir.org/wp-content/uploads/sites/6/pub63watersgarrett.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

THIBODEAU, Kenneth. Overview of Technological Approaches to Digital Preservation and Challenges in Coming Years, 2002. Disponível em: http://chnm.gmu.edu/digitalhistory/links/pdf/preserving/8_37e.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

TIBBO, Helen R.; HANK, Carolyn; LEE, Christopher A. Challenges, curricula, and competencies: researcher and practitioner perspectives for informing the development of a digital curation curriculum. In: ARCHIVING 2008, Bern, 2008. Final Program and Proceedings. Springfield: Society for Imaging Science and Technology, 2008. Disponível em: https://www.ingentaconnect.com/contentone/ist/ac/2008/00002008/00000001/art00048. Acesso em: 16 set. 2019.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

UNESCO/NLA. National Library of Australia. Guidelines for the preservation of digital heritage. Australian: UNESCO: Information Society Division, 2003.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Política Institucional de Informação Técnico-Científica, 2010. Disponível em: https://ufrn.br/resources/documentos/politicas/politica_Institucional_de_Informacao_Tecnico-Cientifica.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Repositório Institucional. Disponível em: http://repositorio.ufrn.br:8080/jspui/documentos/folder_riufrn.pdf. Acesso em 21 jun. 2018.

WARE, Mark. Institutional repositories and scholarly publishing. Learned Publishing, v. 17, n. 2, 2004, p. 115-124. Disponível em: http://www.alpsp.org/. Acesso em: 16 set. 2019.
Publicado
2019-11-02
Como Citar
SILVA, M. P. DE B. E; MOURA, R. K. G. DE; SIEBRA, S. DE A.; PINTO, V. B. Contribuições da Rede Cariniana para a preservação digital nos repositórios digitais institucionais. Informação em Pauta, v. 4, n. especial 2, p. 99-116, 2 nov. 2019.