A representação da informação em Saúde Coletiva

na perspectiva da formação acadêmica e dos títulos dos trabalhos de pós-graduação

  • Sandra Lage UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA/UEL
  • Rosane Lunardelli Universidade Estadual de Londrina (UEL)
Palavras-chave: 1. Organização da Informação 2.Saúde Coletiva 3.Representação da Informação 4. Saúde Pública

Resumo

Introdução: O expressivo volume de informações e conhecimentos produzidos nas diversas áreas do conhecimento revela a necessidade de discutir e aperfeiçoar propostas que contribuam para a organização desse acervo documental. Tendo em vista a importante reflexão do processo saúde-doença, é notória a importância da prática profissional em saúde, como possibilidades de desenvolvimento do campo da Saúde Coletiva. Objetivos:  Evidenciar a representação informacional no âmbito da Saúde Coletiva. Investigar a formação acadêmica dos autores de dissertações e teses. Apresentar por meio dos títulos dos trabalhos científicos, os indicadores de assunto, como contribuição para o contexto da saúde pública brasileira. Resultados:  Observa-se que, a área de formação acadêmica do autor, em sua maioria, está relacionada aos indicadores de assuntos das dissertações e teses defendidas e aprovadas. São pesquisas congruentes, com abordagens pertinentes as necessidades de saúde da população. Assim, reforça-se que o profissional que atua no campo da Saúde Coletiva prioriza a promoção, prevenção, recuperação da saúde e articula o campo com saberes, práticas e temáticas de intervenção. Bem como, a aplicação de pressupostos da Ciência da Informação torna-se de grande valia no que diz respeito à recuperação, ao acesso desses objetos informacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Lage, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA/UEL

Graduação em Administração. Mestrado em Ciência da Informação.  Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Estadual de Londrina, atuando em temáticas pertinentes a organização e representação da informação e do conhecimento.

Rosane Lunardelli, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Possui Graduação em Biblioteconomia, Mestrado e Doutorado em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina - UEL. Pós-Doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB. É Professora Associada do Departamento de Ciência da Informação da UEL. Líder e Pesquisadora Grupo de Pesquisa: Metarrepresentação do assunto em condensações informacionais. Ministra aulas nos cursos de graduação e especialização em Arquivologia e Biblioteconomia e no Mestrado e Doutorado em Ciência da Informação. Atua principalmente nos seguintes temas: Organização da Informação e do Conhecimento; Leitura Documentária, Análise Documentária/ Análise da Informação; Incentivo à Leitura; Linguagens verbais e não verbais; Linguística Textual; Gestão de Arquivos. Literatura de Cordel. 

Referências

ALBUQUERQUE M. E. B. C.; GAUDÊNCIO S. M.; SANTOS R. F. Reflexões Teóricas em Representação da Informação. In: ALBUQUERQUE M. E. B. C,; MARTIN G. K.; MOTA D. A. R. (Org.). Organização e Representação da Informação e do Conhecimento: intersecções teórico-sociais. João Pessoa: UFPB, 2019. p. 13-24.

BARATA, R. B. A pós-graduação o campo da saúde coletiva. Physis, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 189-214, 2008. Disponível em: . Acesso em: 3 abr. 2020.

BARATA, R.; SANTOS, R. Ensino de pós-graduação em Saúde Coletiva: situação atual e desafios para o futuro. RBPG. Brasília, v. 10, n. 19, p. 159-183, mar. 2013. Disponível em: < http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/367/310>. Acesso em: 8 abr. 2020.


BISCARDE, D. G. S.; PEREIRA-SANTOS, M.; SILVA, L. B. Formação em saúde, extensão universitária e Sistema Único de Saúde (SUS): conexões necessárias entre conhecimento e intervenção centradas na realidade e repercussões no processo formativo. Interface, Botucatu, v.18, n. 48, p. 177-186, 2014 . Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/icse/v18n48/1807-5762-icse-18-48-0177.pdf >. Acesso em: 13 mar. 2020.

BORKO, H. Information Science: What is it? American Documentation, Washington, v. 19, n. 1, p. 3-5, Jan. 1968.

CAMPOS, G. W. S. Clínica e saúde coletiva compartilhadas: teoria Paidéia e reformulação ampliada do trabalho em saúde. In: CAMPOS, G. W. S. et al. (Org.). Tratado de saúde coletiva. São Paulo: HUCITEC, 2006. pt. 4, p. 53-92.

DIAS, E. W.; NAVES, M. M. L. Análise de assunto: teoria e prática. 2. ed. Brasília: Thesaurus, 2013. 115 p.
FACCHINI, L. A. Pós-graduação em Saúde Coletiva no Brasil: subsídios para o debate. 2010. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2020.

GUIMARÃES, J. A. C. A análise documentária no âmbito do tratamento temático da informação: elementos históricos e conceituais. In: RODRIGUES, G. M.; LOPES, I. L (Org.). Organização e representação do conhecimento na perspectiva da Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2003. v. 2, p. 100-117.

LIMA, J. L. O.; ALVARES, L. Organização e representação da informação e do conhecimento. In: ALVARES, L. (Org.). Organização da informação e do conhecimento: conceitos, subsídios interdisciplinares e aplicações. São Paulo: B4 Editores, 2012. p. 21-48.

LOYOLA, M. A. O lugar das ciências sociais na saúde coletiva. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 21, n. 1, p. 9-14. jan./ mar., 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2020.

MAIMONE, G. D. Reflexões acerca da representação de documentos e a recepção informacional. RDBCI, Campinas, v.7, p. 1-13, abr. 2019. Disponível em: < https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8654090/pdf>. Acesso em: 28 mar. 2020.

MELLO A. F., ALMEIDA FILHO N. A., RIBEIRO R. J. Por uma universidade socialmente relevante. Atos de Pesquisa em Educação. 2009; 4(3):292-302. Disponível em: < https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/1718>. Acesso em: 08 abr. 2020.

MINAYO, M. C. S. Pós-graduação em saúde coletiva de 1997 a 2007: desafios, avanços e tendências. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, p. 1897-1907, jul. 2010. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2020.

NOVELLINO, M. S. F.. Instrumentos e metodologias de representação da informação. Informação e Informação, Londrina, v. 1, n. 2, p. 37-45, jul./dez. 1996. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2020.

PAIM, J. S. Planejamento em saúde para não especialistas. In: CAMPOS, G. W. S. et al. (Org.). Tratado de saúde coletiva. São Paulo: HUCITEC, 2006. Pt. 4, p. 767-782.

PINTO, V. B. Uma Mirada sobre a Representação Kantiana e sua Contribuição para a Representação Indexal. In:

ALBUQUERQUE M. E. B. C,; MARTIN G. K.; MOTA D. A. R. (Org.). Organização e Representação da Informação e do Conhecimento: intersecções teórico-sociais. João Pessoa: UFPB, 2019. p. 147-158.

SOUZA, E. G. As teorias documentárias e a organização da informação: a centralidade das categorias obra e usuário. In: CONGRESSO BRASILEIRO EM ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO, 4., 2017, Recife. Anais... Recife, 2017.

SOUZA, L.E.P.F. Saúde pública ou saúde coletiva? Espaço para a Saúde. Londrina, v. 15, n. 4: p. 7-21, 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 Abr. 2020.

TÁLAMO, M. F.G. M. A Pesquisa: recepção da informação e produção do conhecimento. DataGramaZero: revista de ciência da informação, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, abr.2004. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2020

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA - UEL. Programa de pós-graduação em saúde coletiva. 2020. Disponível em: < http://www.uel.br/pos/saudecoletiva/portal/ >. Acesso em: 08 abr. 2020.
Publicado
2020-06-30
Como Citar
LAGE, S. R. M.; LUNARDELLI, R. S. A. A representação da informação em Saúde Coletiva. Informação em Pauta, v. 5, n. 1, p. 196-218, 30 jun. 2020.