A rede epistêmica da informação gênero-sexualidade na Ciência da Informação

Palavras-chave: Análise de Redes Sociais, Ciência da Informação, Comunidade LGBTQIA, Informação gênero-sexualidade, Terminologias LGBTQIA

Resumo

Sistematiza a rede epistêmica da informação gênero-sexualidade, no escopo da Ciência da Informação, tomando como referência as relações entre temáticas, coautorias e instituições.  Pesquisa descritiva que tem como objeto material de estudo a produção científica sobre informação gênero-sexualidade disponibilizada na Base de Dados em Ciência da Informação (BRAPCI), no período de 2009 a 2019. Caracteriza-se também como pesquisa bibliográfica com abordagens qualitativa e quantitativa. Os dados foram organizados em gráficos e grafos, possibilitando as discussões com base nas Análises de Rede Sociais. A produção sobre informação gênero-sexualidade, no período analisado, se constitui em um sistema de colaboração composto por 77 pesquisadores (as) vinculados a 21 Programas de Pós-Graduação em Ciência da Informação, que trabalharam 96 temáticas LGBTQIA+. Trata-se de uma rede epistêmica que sistematizada em torno de temáticas específicas e metodologias diversas, quanto aos objetivos, as abordagens e os procedimentos de pesquisa, que se estruturam em torno da colaboração de pesquisadores (as), grupos de pesquisa, programas de pós-graduação e instituições atuantes nessa área. A rede epistêmica da informação gênero-sexualidade na Ciência da Informação é, em essência, uma  macro rede constituída por redes de instituições, coautorias e temáticas, que se revelam como um sistema de produção de conhecimento no horizonte de melhorias de vidas dos sujeitos LGBTQIA+.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Rodrigues de Santana, UFPB

Mestre e doutorando em Ciência da Informação, ambos pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPG-CI/UFPB). Tem licenciatura em Psicologia e formação de Psicólogo (CRP 13/7901) ambos pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Coordenou o seminário on-line: Lives e olhares livres: a população LGBTQIA+ no contexto da pandemia da Covid-19?, promovido pelo GEINCOS e IMCLUSOS da UFPB. Desenvolveu atividades nos programas PIVIC, PIBIC, PIBIT, PROLICEN e MONI-TORIA (História da Psi). Como designer gráfico desenvolve trabalhos voltados ao contexto científico, como logomarcas, capas de livros e periódicos científicos, posters, folders, certificados entre outros. Atualmente é membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Informação, Educação e Relações Étnico-raciais (NEPIE-RE/GEINCOS-CCSA/UFPB). Foi bolsista do Núcleo de Pesquisa e Estudos sobre o Desenvolvimento da Infância e Adolescência (NUPEDIA-UFPB/CCHL) entre 2009/2012. Tem experiência em estudos epistemológicos no foco a informação (construção do conhecimento) tendo como vetores epistêmicos as Tecnologias de Informação e Comunicação - (TIC); Psicanálise, Psicologia e cognição; população LGBTQIA+ e população negra.

Levi Cadmiel Amaral da Costa, UFPB

Doutorando e Mestre em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba (PPGCI/UFPB). Possui especialização em Docência no Ensino Superior pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi). Pós-Graduando em Marketing Digital pela Uniasselvi. Pós-Graduando em Administração Mercadológica pela Uniasselvi. Possui Aperfeiçoamento em Como Ensinar a Distância pela Uniasselvi. Graduado em Administração pela UFPB. Integrante do grupo de pesquisa Renovatio - Estudos sobre Disrupção, Interação e Aspectos Jurídicos da Informação, da Universidade Federal da Paraíba. Atualmente, tem interesse de pesquisa nas seguintes áreas: Acessibilidade na Web; Acessibilidade em Dispositivos Móveis; Arquitetura da Informação; Repositórios Institucionais; Comportamento do Consumidor; Marketing; Comportamento Organizacional; Comércio Eletrônico.

Maytê Luanna Dias de Melo, UFPB

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba, Mestra em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba. Especialista em Desenvolvimento e Meio Ambiente pelo Centro Universitário de João Pessoa. Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba. Graduanda em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Alagoas. Colaboradora do Programa de Atividades Interdisciplinares da Universidade Federal de Alagoas.Tem experiência na área de Informação em Saúde, com ênfase em Telessaúde. Atua nos campos da Ciência da Informação, com ênfase nos Fundamentos Teóricos, Programas de Pesquisa e Programas disciplinares.

Alzira Karla Araújo da Silva, UFPB

Professora do nível adjunto do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba. Doutora em Ciência da Informação (2012) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestra em Ciência da Informação (2002) e graduada em Biblioteconomia (1999), ambos pela Universidade Federal da Paraíba. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba (PPGCI/UFPB), na linha de pesquisa Ética, Gestão e Políticas de Informação. Vice-líder do grupo de pesquisa Aprendizagem, Informação e Conhecimento e pesquisadora na linha de pesquisa Gestão da Informação e do Conhecimento. Coordenadora dos Projetos de Extensão "Descomplica TCC" e "Descomplica Ensino Médio" e do Projeto de Iniciação Científica "Representação das Inteligências Acadêmicas Múltiplas em Ciência da Informação no Brasil". Atua nos seguintes eixos temáticos: gestão da informação e do conhecimento, aprendizagem organizacional, redes sociais, redes de colaboração e aprendizagem, marketing da informação, metodologia da pesquisa, normalização e escrita científica.

Edivanio Duarte de Souza, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2011), Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2004), Graduado em Direito pela Faculdade Estácio de Alagoas (2014) e em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (1999). Professor Associado do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes da Universidade Federal de Alagoas (ICHCA/UFAL), com atuação no Curso de Biblioteconomia e no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI/UFAL), na linha de pesquisa Produção, Mediação e Gestão da Informação. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba (PPGCI/UFPB), na linha de pesquisa Ética, Gestão e Políticas de Informação. Líder do Grupo de Pesquisa Observinter - Observatório de Estudos Interdisciplinares da Informação registrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Fundador e Editor-Chefe do periódico científico Ciência da Informação em Revista (ISSN 2358-0763). Atuou como Conciliador da Justiça Federal em Alagoas. Assessor científico da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (FAPEAL) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Atua nos campos de Biblioteconomia, Ciência da Informação e Direito, com ênfase em Epistemologia da Ciência da Informação; Epistemologia Interdisciplinar; Fundamentos Teóricos da Ciência da Informação; Formação e Desenvolvimento de Coleções; Gestão da Informação e do Conhecimento; Propriedades, Atributos e Estruturação da Informação, Direito à Informação, Direito à Memória, Direito ao Esquecimento, e Propriedade Intelectual e Direitos Conexos.

Referências

AQUINO, M. A. Conhecimento Prudente Para uma Vida Decente: uma análise da temática étnico-racial na produção de conhecimento em Ciência da Informação/Biblioteconomia - período-2000-2012. Projeto de pesquisa, 2012.
ARAÚJO, C. A. Á. Novo quadro conceitual para a ciência da informação: informação, mediações e cultura. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 17., 2016, Salvador. Anais [...] Salvador: UFBA, 2016.
BISSOLI, B. S. et al. Identidade de gênero e diversidade sexual: proposta de elaboração de microtesauro. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, Belo Horizonte, n. esp., 2018. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/106484. Acesso em: 22 dez. 2019.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.
CENTRE FOR SCIENCE AND TECHNOLOGY STUDIES. Welcome to VOSviewer. Netherlands: Leiden University, 2019. Disponível em: https://www.vosviewer.com/. Acesso em: 13 dez. 2019.
CHRISTAKIS, N. A.; FOWLER, J. H. O poder das conexões: connected. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
CORPORATION FOR DIGITAL SCHOLARSHIP. Zotero, your personal research assistant, 2019. Disponível em: https://www.zotero.org/. Acesso em: 13 dez. 2019.

COSTA, L. et al. (Coord.) Redes: uma introdução às dinâmicas da conectividade e da auto-organização. Brasília: WWF-Brasil, 2003. 91p. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/et000023.pdf. Acesso em: 18 abr. 2020.

GARBADO, A. C. Análise de Redes Sociais: uma visão computacional. São Paulo: Novatec, 2015. 144p.
GASPARI, A. Entre bonecas e bichas de pelúcia: A distinção entre “barbies” e “ursos” em praias gays do Rio de Janeiro. Revista olhares sociais – PPGCS – UFRB, v. 2, n. 2. Disponível em: http://www3.ufrb.edu.br/olharessociais/wp-content/uploads/6-Entre-bonecas-e-bichas-de-pel%C3%BAcia.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.
GONTIJO, F. Imagens identitárias homossexuais, carnaval e cidadania. In: RIOS, L. F.; ALMEIDA, V.; PARKER, R.; TERTO JR. (Org.). Homossexualidade: produção cultural, cidadania e saúde. Rio de Janeiro: ABIA, 2004. Disponível em: http://www.abiaids.org.br/_img/media/anais%20homossexualidade.pdf. Acesso em: 22 dez. 2019.
KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 2. ed. São Paulo: Perspectiva. 1987.
LARA, M. L. G; LIMA, V. M. A. Termos e conceitos sobre redes sociais colaborativas. In: POBLACIÓN, D. A. (Org.). Redes sociais e colaborativas em informação científica. São Paulo: Angellarra, 2009. p. 605-637.
MARTINS, C. W. S.; RODRIGUES, T. S. A literatura que não ousa dizer seu nome: Percepções das Bibliotecárias da rede nacional de bibliotecas comunitárias (RNBC) acerca da mediação de literatura com a Temáticas LGBT. In: ROMEIRO, N.; ALMEIDA, B.; MARTINS, C. W. S. (Orgs.) Do invisível ao visível: saberes e fazeres LGBTQIA+ na Ciência da Informação. Florianópolis: Nyota, 2019. Cap. 10, p. 279-301.

MUSSO, P. A filosofia da rede In: PARENTE, A. (Org.) Tramas da rede. Porto Alegre: Sulina, 2010. Cap. 1, p. 17-38.

MORENO, J. Who shall survive? New York: Beacon Press, 1934.
NEWMAN, M. E. J.; FORREST, S.; BALTHROP, J. Email networks and the spread of computer viruses. Physical review E, v. 66, n. 035101, 2002.
PARENTE, A. (Org.) Tramas da rede. Porto Alegre: Sulina, 2010.

PINHO, F. A. Metafiltro para controle terminológico de metáforas no domínio da homossexualidade masculina. Ciência da Informação, Brasília, v. 43, n. 1, 2014. Disponível: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/55395. Acesso em: 30 dez. 2019.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Editora Meridional, 2009.
RIBEIRO, E. N.; MELO, R. D. R.; DANTAS, M. J. P. Aplicação da análise de redes sociais nos dados de um curso à distância: estudo de métricas e visualização de grafos. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 36., 2016, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: UFPB, 2016.
SANTANA, S. R. et al. Informação em gênero-sexualidade: das dimensões epistêmicas à formação de um conceito, no prelo - 2020.
SCOTT, J. Social NetworK Analysis: a handbook. 2. ed. London: Thousands Oaks; Califónia: Sage Publications, 2004.
SILVA, A. K. A. Redes de coautoria e produção cientifica na ciência da informação. João Pessoa: Editora da UFPB, 2015.

SILVA, A. O. et al. Colaboração entre programas de pós-graduação brasileiros em Ciência da Informação: modelagem baseada em grafos. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 3, p. 1-22, set./dez. 2012. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/8814. Acesso em: 13 dez. 2019.
TARGINO, M. G. et al. Do sujeito empático ao sujeito informacional: relações epistemológicas acerca da responsabilidade social na Ciência da Informação. Rev. FSA, Teresina, v. 16, n. 3, p. 265-282, maio/jun. 2019. Disponível em: http://www4.fsanet.com.br/revista/index.php/fsa/article/view/1807/491491877. Acesso em: 10 jul. 2019.
Publicado
2021-08-10
Como Citar
SANTANA, S. R. DE; COSTA, L. C. A. DA; MELO, M. L. D. DE; SILVA, A. K. A. DA; SOUZA, E. D. DE. A rede epistêmica da informação gênero-sexualidade na Ciência da Informação. Informação em Pauta, v. 6, n. 00, p. 1-21, 10 ago. 2021.