A criança na perspectiva da Biblioteconomia e da Ciência da Informação

a contribuição dos estudos de usuários para o desenvolvimento da competência informacional infantil

Palavras-chave: ESTUDOS DE USUÁRIOS, CRIANÇAS, COMPETÊNCIA INFORMACIONAL INFANTIL

Resumo

O universo infantil tem sido objeto de estudo por meio de metodologias específicas em vários campos, dentre os quais a Educação, a Psicologia e o Marketing. Todavia, nota-se uma carência de estudos na área da Ciência da Informação e, consequentemente, na Biblioteconomia. Desta forma, o trabalho ora realizado intenta, por meio de levantamento bibliográfico e estudo bibliométrico, demonstrar a necessidade de reflexão sobre as melhores práticas de realização de estudos com o público infantil em unidades de informação. Os resultados da análise bibliométrica realizada na base de dados BRAPCI destaca a ausência de trabalhos na área de Ciência da Informação sobre a temática, demonstrando a relevância de novas pesquisas que desenvolvam práticas capazes de descobrir as necessidades informacionais das crianças, favorecendo a criação de novos produtos e serviços de informação em bibliotecas infantis e escolares para desenvolver a competência informacional infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Niliane Cunha de Aguiar, UFS

Professora Adjunta do Departamento de Ciência da Informação (DCI) da Universidade Federal de Sergipe. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco. Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Já ministrou as seguintes disciplinas: Fontes de Informação, Estudos de Usuários, Desenvolvimento de Coleções, Unidades de Informação I e II. Atualmente ministra as disciplinas Linguagens de Indexação I e II, Sistemática da Leitura Infantil, Formação do Leitor Universitário, Políticas de Informação e Ação Cultural em Bibliotecas. Possui experiência profissional em gerenciamento, tratamento (Classificação, indexação) e disseminação da informação em diversos suportes e diversas modalidades de unidades de informação (Biblioteca Universitária, Biblioteca Escolar, Biblioteca Jurídica, Museu, Biblioteca Pública, Biblioteca Empresarial e Especializada). Áreas de interesse de pesquisa: Biblioteca escolar, Letramento e Competência informacional infantil, Leitura e Literatura infantil, Biblioterapia. Vice-presidente da Associação dos Profissionais Bibliotecários e Documentalistas de Sergipe, gestão 2020-2022. Membro da Academia Sergipana de Contadores de História (Cadeira número 21 - sendo patrona da própria cadeira). Acadêmica da Academia Luziense de Letras e Artes (cadeira número 15, tendo como patrona a poetisa mineira Adélia Prado).

Marcos A. Gomes, UFAL

Doutorado em Ciências da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2016), Mestre em Ciência da Informação (2005) e Especialista em Sistemas Automatizados de Informação (1995) pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e Graduado em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal do Espírito Santo (1984). Atualmente exerce atividades de ensino e pesquisa como Professor Adjunto do Curso de Biblioteconomia e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação na Universidade Federal de Alagoas (CBIB/PPGCI/UFAL), na linha de pesquisa Produção, Mediação e Gestão da Informação. Atua principalmente nos seguintes temas: Estudos de Usuários e Necessidades de Informação, Marketing em Unidades de Informação, Competência em Informação e Unidades de Informação.

Referências

AGUIAR, N.C. Contação de histórias e competência informacional infantil. In.: ENCONTRO DE CONTADORES DE HISTÓRIA DE SERGIPE, 7., 2017, Aracaju: Biblioteca Pública Infantil, 2017.

ANNUAL REVIEW OF INFORMATION SCIENCE AND TECHNOLOGY - ARIST. Silver Spring: ASIS&T, [1966 - ].

ARAÚJO, C.A.V. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, v. 12, n. 1, p. 11-32, 2006. Disponível em: . Acesso em: 08 set. 2020.

BILAL. D. Children’s information seeking and the design of digital interfaces in the affective paradigm. Library Trends, v. 54, n. 2, p. 197-208, Fall 2005.

BILAL. D. Children design their interfaces for web search engines: A participatory approach. Proceedings of the Canadian Association for Information Science, p. 204-214, 2002.

BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2020.

BECKER, C.R.F.; Grosch, M.S. A formação do leitor através da biblioteca: o letramento e a Ciência da Informação como pressuposto. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 4, n. 1, jan./jul. 2008, p. 35-45. Disponível em:
< https://brapci.inf.br/_repositorio/2010/03/pdf_11e4ab9985_0008550.pdf>. Acesso em 08 set. 2020.

BRUCE, C. Information literacy research: dimensions of the emerging collective consciousness. Australian Academic & Research Libraries, v. 31, n. 2, p. 91-109, Jan. 2000. Disponível em:
. Acesso em: 15 nov. 2019.

COLLIN, C. et al. (Orgs.). O livro da psicologia. São Paulo: Globo, 2012. 354 p.

CUNHA, M. B.; AMARAL, S.A.; DANTAS, E. B. Manual de estudo de usuários da informação. São Paulo: Atlas, 2015. 448p.

GABRIEL JUNIOR, R.F. Geração de indicadores de produção e citação científica em revistas de Ciência da Informação: estudo aplicado à base de dados BRAPCI. 2013. 140 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Marília, SP, 2013. Disponível em: < https://repositorio.unesp.br/handle/11449/123338?locale-attribute=pt_BR>. Acesso em 08 set. 2020.

GASQUE, K.C.G.D. Competência em Informação: conceitos, características e desafios . Atoz, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 5-9, jan./jun. 2013. Disponível em: . Acesso em 08 set. 2020.

IDLER, S. UXKids. 2013/2014. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2020.

IKPAAHINDLI, L. An overview of bibliometrics: its measurements, laws and their apllications. Libri, v. 35, n.2, p. 163-177, jun.,1985.

KUHLTHAU, C.C. Como usar a biblioteca na escola: um programa de atividades para o ensino fundamental. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

KUHLTHAU, C.C. Inside the process: information seeking from the user’s perspective. Journal of the American Society for Information Science, New York, v. 42, n. 5, p. 361-371, 1991. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2020.

MACEDO, N.D.; SEMEGHINI-SIQUEIRA, I. Biblioteca pública/biblioteca escolar de país em desenvolvimento: diálogo entre bibliotecária e professora...São Paulo: CRB8; FEUSP. 2000.

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MARTINS, D.G. et al. Desenvolvimento de interfaces digitais infantis: estudo preliminar sobre design centrado na criança. HFD, v.6, n.12, p. 46-57, ago./dez. 2017.

MARTINS FILHO, A.J.; BARBOSA, M.C.S. Metodologias de pesquisas com crianças Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.18, n. 2, p.08-28, jul./dez. 2010.

MORAES,L. A criança, o livro e a biblioteca: o estudo de usuário na educação infantil. CRB-8 Digital, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 59-63, abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2020.

MOREIRA, A.G. et al. Marketing e sua relação com o público infantil. Revista Científica On-line Tecnologia – Gestão – Humanismo. Guaratinguetá, v. 2, n. 1, p.67-78, 2013. Disponível em: http://www.fatecguaratingueta.edu.br/revista/index.php/RCO-TGH/issue/view/2/showToc. Acesso em: 05 set. 2020.
POTTER, W.G. Introduction. Library Trends, v.30, n.1, p. 5-7. Summer, 1981.

ROTHMAN, A. America Online Youth Wired Survey finds kids are online an average of four days a week; nearly 20% go online every day. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2020.

START WITH THE CHILD: the needs and motivations of young people. A Report Commissioned by Resource The Chartered Institute of Library and Information Professionals. Manchester: Morris Hargreaves Mcintyre, 2002.

VILLASEÑOR RODRÍGUEZ, I. Metodología para la enseñanza y el aprendizaje en materia de estudios de usuarios de información.In: RIOS ORTEGA, J.; RAMÍREZ VELÁZQUEZ, C.A. (Ed.). Oportunidades y retos em la formación, investigación y aplicación del conocimiento bibliotecológico. México: UNAM, Instituto de Investigaciones Bibliotecológicas y de la Información, 2012, p. 95-109.
Publicado
2021-08-10
Como Citar
AGUIAR, N. C. DE; GOMES, M. A. A criança na perspectiva da Biblioteconomia e da Ciência da Informação. Informação em Pauta, v. 6, n. 00, p. 1-22, 10 ago. 2021.