Diálogo sobre indexação na Biblioteconomia e Museologia

Palavras-chave: Organização do conhecimento, Indexação, Biblioteconomia, Museologia

Resumo

Trata-se da discussão sobre a indexação realizada na área da Biblioteconomia e da Museologia, que são áreas que apresentam conceitos em comum como a organização, preservação, mediação, comunicação e disseminação da informação, além de compartilharem conceitos da Organização do Conhecimento. O objetivo da pesquisa centra-se em discutir o processo de indexação nas áreas da Biblioteconomia e Museologia, mostrando as suas abordagens nas respectivas áreas, com aproximação conceituação teórico-metodológica entre os dois campos do conhecimento. A práxis da indexação nas bibliotecas e nos museus é realizada na catalogação, denominada de catalogação de assunto na Biblioteconomia e de catalogação na Museologia, confeccionada na documentação museológica. Ao discutir a indexação em ambas as áreas, buscou-se contribuir para pesquisas sobre a Organização da Informação e do Conhecimento para o campo da Ciência da Informação. Ressalta-se a importância da elaboração de uma Política de Indexação para fundamentar os procedimentos da indexação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raul Carvalho, UFPA

Bacharel em Museologia pela Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil. Especialista em Patrimônio Cultural e Educação Patrimonial pela FIBRA, Brasil. Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Pará, UFPA, Brasil.

Luciana Di Paula Andrade da Fonseca, UFPA

Mestranda [Bolsista Fapespa] no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Universidade Federal do Pará. Integrante dos projetos de pesquisa Análise e representação de assunto: estudo analítico em repositórios institucionais e Rede Transamazônica de Cooperação em Informação e Conhecimento para o Desenvolvimento Sustentável - PROCAD. Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará - UFPA (2019). Participou do Programa Institucional Voluntário de Iniciação Científica PIVIC/UFPA (2016-2017), vinculada ao Programa PRO/DOUTOR, projeto de pesquisa Análise de Assunto de Conteúdos Documentários em Bibliotecas Universitárias: aplicação e avaliação de diretrizes, plano de trabalho: Investigação sobre políticas de indexação: bibliotecas da área da saúde da UFPA. Integrante do Grupo de Pesquisa Organização e Representação de Arquivos e Bibliotecas - CNPq (desde 2016). Participou do projeto de extensão Turma da Leitura (2016-2018).

Franciele Marques Redigolo, UFPA

Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal do Pará, na Faculdade de Biblioteconomia. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação ICSA UFPA (2021 - atual). Foi Vice coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação ICSA UFPA (2017-2020). Segunda tesoureira da ABECIN (Gestão 2019-2022) e Coordenadora Regional Norte da ABECIN (Gestão 2016-2019). Doutora e Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP - Marília/SP (bolsista FAPESP 2008-2014). Bacharel em Biblioteconomia, formada na Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP - Marília/SP, (bolsista PROEX 2005 e CNPq/Pibic 2006-2007). Como Pesquisadora atua no Grupo de Pesquisa em Representação em Arquivos e Bibliotecas (líder desde 2015); Grupo de Pesquisa em Representação Temática da Informação (membro desde 2016); Grupo de Pesquisa Tecnologias de la Información do Departamento "Información y Documentación" Facultad de Comunicación y Documentación - Murcia (membro em 2012); Grupo de pesquisa em Análise Documentária do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, da área de Organização e Representação da Informação e do Conhecimento (membro desde 2005). Organização e Representação em Arquivos e Bibliotecas: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8972080765461272.

Referências

ARAÚJO, C. A. Á. Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: o diálogo possível. Brasília: Briquet de Lemos, 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12676: Métodos para análise de documentos: determinação de seus assuntos e seleção de termos de indexação. Rio de Janeiro, 1992. 4p.

BARBOSA, A. P. Teoria e prática dos sistemas de classificação bibliográfica. Rio de Janeiro: IBBD, 1969. 

BARITÉ, M. Organización del Conocimiento: un nuevo marco teórico-conceptual en Bibliotecología y Documentación. In: CARRARA, Kester. (Org.). Educação, universidade e pesquisa. Marília: Editora UNESP, 2001. p. 35-50.

BETTENCOURT, M. P.; CIANCONI, R.B. Gestão do conhecimento: um olhar sob a perspectiva da Ciência da Informação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação. v. 5, n. 1, 2012.

BORKO, H. Information Science: what is it? American Documentation, v.19, n.1, p.3-5, 1968.

BOTTALLO, M. Diretrizes em documentação museológica. In: BOTTALLO, M. Documentação e conservação de acervos museológicos. São Paulo: Brodowski, 2010, p. 48-74. Disponível em: https://www.sisemsp.org.br/wp-content/uploads/2013/12/Documentacao_Conservacao_Acervos_Museologicos.pdf. Acesso em: 25 maio 2020.

CAMPOS, A. O processo classificatório como fundamento das linguagens de indexação. R. Bibliotecon., Brasília, v. 6, n. 1, p. 1-8, jan./jun. 1978. Disponível em:https://brapci.inf.br/_repositorio/2011/05/pdf_d3eb51e731_0016776.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020.

CÂNDIDO, M. I. Documentação museológica. In: Caderno de diretrizes Museológicas. Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/Superintendência de Museus, 2006. p.34-79.

CARLAN, E.; BRASCHER, M. Sistemas de Organização do Conhecimento na visão da Ciência da Informação. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 4, 2011. p. 53-73.

CASTRO, A. L. S. de. Informação museológica: uma proposição teórica a partir da Ciência da Informação. In: PINHEIRO, L. V. R. (Org.). Ciência da Informação, Ciências Sociais e interdisciplinaridade. Brasília, Rio de Janeiro: IBICT, 1999. p. 13-32.

CERAVOLO, S. M.; TÁLAMO, M. F. G. M. Tratamento e organização de informações documentárias em museus. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, n.10, 2000. p. 241-253. 

CERAVOLO, S. M.; TÁLAMO, M. F. G. M. Os museus e a representação do conhecimento: uma retrospectiva sobre a documentação em museus e o processamento da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 8., 2007, Salvador. Anais […], Salvador: UFBA, 2007. Disponível em: http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT2--012.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

CHAUMIER, J. Indexação: conceitos, etapas e instrumentos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 21, n. ½, p. 63-79, jan./ jun. 1988.

CINTRA, A. M. M. et al. Para entender as linguagens documentárias. 2. ed. São Paulo: Editora Polis, 2002.

COMITÊ INTERNACIONAL DE DOCUMENTAÇÃO (CIDOC). Declaração dos princípios de documentação em museus e diretrizes de informação sobre objetos: categorias de informação do CIDOC. São Paulo: Secretaria de Estado de Cultura de São Paulo; Associação de Amigos do Museu do Café; Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2014. Disponível em: http://issuu.com/sisem-sp/docs/cidoc_guidelines/c/sl5vtq0. Acesso em: 09 jun. 2020.

CURY, M. X. Exposição: concepção, montagem e avaliação. São Paulo: Annablume, 2005.

DAVALLON, J. L´état de la muséologie en France. Museology and Memory. ICOFOM Study Series, n. 28. p. 25-31. 1997. 

DESVALLÉES, A.; MAIRESSE, F. Musealização. In: DESVALLÉES, A.; MAIRESSE, F. (Eds.). Conceitos-Chave de Museologia. São Paulo: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus; Pinacoteca do Estado de São Paulo; Secretaria de Estado da Cultura, 2013. Disponível em: http://www.icom.org.br/wp-content/uploads/2014/03/PDF_Conceitos-Chave-de-Museologia.pdf. Acesso em: 04 jan. de 2020.

DIAS, E. W. Biblioteconomia e ciência da informação: natureza e relações. Perspect. Cienc. Inf., Belo Horizonte, v. 5, n. especial, p. 67-80, jan./ jun. 2000.

FERREZ, H. D. Documentação museológica: teoria para uma boa prática. Cadernos de Ensaios n.2: estudos de museologia. Rio de Janeiro: Minc/Iphan, 1994.

FERREZ, H. D.; BIANCHINI, M. H. Thesaurus para acervos museológicos. Rio de Janeiro: Fundação Nacional Pró-Memória; Coordenadoria Geral de Acervos Museológicos, 1987.

FONSECA, E. N. Ciência da informação e prática bibliotecária. Ciência da Informação, Brasília, v. 16, n. 2, p. 125-127, jul./ dez. 1987.

FUJITA, M. S. L. A identificação de conceitos no processo de análise de assunto para indexação. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v.1, n.1, p. 60-90, jul./ dez. 2003. 

FUJITA, M. S. L.; RUBI, M. P. Um modelo de leitura documentária para a indexação de artigos científicos: princípios de elaboração e uso para a formação de indexadores. DataGramaZero, v. 7, n. 3, 2006. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/5926. Acesso em: 22 set. 2020.

FUJITA, M. S. L. A política de indexação para representação e recuperação da informação. In: GIL LEIVA, I.; FUJITA, M. S. L. (Eds.). Política de indexação. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2012. p. 17-28.

FUJITA, M. S. L. A representação documentária no processo de indexação com o modelo de leitura documentária para textos científicos e livros: uma abordagem cognitiva com protocolo verbal. Ponto de Acesso, v. 7, n. 1, p. 42-66, 2013. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/68922. Acesso em: 22 set. 2020.

FUJITA, M. S. L. (Org.). Política de indexação para bibliotecas: elaboração, avaliação e implantação. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2016.

FUJITA, M. S. L.; SANTOS, L. B. P. Política de indexação em bibliotecas universitárias: estudo diagnóstico e analítico com pesquisa participante. Transinformação, Campinas, v. 28, n. 1, p. 59-76, jan./ abr., 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tinf/v28n1/0103-3786-tinf-28-01-00059.pdf. Acesso em: 22 out. 2020. 

FUJITA, M. S. L.; RODRIGUEZ, S. M. T. Política de indexação em arquivos de instituições de saúde. Inf. Pauta, Fortaleza, v. 3, número especial, p. 95-116, nov. 2018.

GALVÃO, M. C. B. Os conceitos dos termos biblioteconomia, documentação e ciência da informação. R. Bras. Bibliotecon. e Doc., São Paulo, v. 26, n. ½, p. 100-114, jan./ jun. 1993.

GIL LEIVA, I.; FUJITA, M. S. L. (Eds.). Política de indexação. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2012.

GUARNIERI, W. R. Museu, museologia, museólogos e formação. Revista de Museologia, São Paulo, Instituto de Museologia de São Paulo, ano 1, n. 1, p. 7-11, 2º sem. 1989.

GUIMARÃES, J. A. C. A dimensão teórica do tratamento temático da informação e suas interlocuções com o universo científico da International Society for Knowledge Organization (ISKO). Revista Ibero-americana de Ciência da Informação (RICI), v.1, n.1, p.77-99, jan./jun. 2008.

INTERNATIONAL COUNCIL OF MUSEUMS (ICOM). Código de ética do ICOM. 2004. Disponível em: http://www.icom.org.br/codigo_etica_port.pdf. Acessado em: 23 maio 2020.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

LARA, M. L. G. Representação e linguagens documentárias: bases teórico-metodológicas. 1999. 208 f. Tese (Doutorado em Ciência da Comunicação) - Faculdade de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

LOUREIRO, M. L. N. M. A Documentação Museológica entre Arte e Ciência. In: GRANATO, M.; SANTOS, C. P.; LOUREIRO, M. L. N. M. (Orgs.). Documentação em Museus, v. 10, Rio de Janeiro: MAST, 2008. p. 104-114. [Série MAST Colloquia].

LOUREIRO, M. L. N. M.; LOUREIRO, J.. Documento e musealização: entretecendo conceitos. Midas, v.1, 2013. p.01-13. Disponível em: http://journals.openedition.org/midas/78. Acesso em: 04 jan. 2020.

MAIMONE, G. D.; SILVEIRA, N. C.; TÁLAMO, M. F. G. M. Reflexões acerca das relações entre representação temática e descritiva. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 21, n. 1, p. 27-35, jan./ abr. 2011. 

MONTEIRO, S. D.; GIRALDES, M. J. C. Aspectos lógico-filosóficos da organização do conhecimento na esfera da ciência da informação. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 18, n. 3, p. 13-27, set./dez. 2008.

NASCIMENTO, R.A. do. Documentação museológica e comunicação. Cadernos de Museologia, n. 3, p.31-39, 1994. Disponível em: http://recil.grupolusofona.pt/bitstream/handle/10437/3520/DOCUMENTA%C3%87%C3%83O%20MUSEOL%C3%93GICA%20COM.pdf?sequence=3. Acesso em: 25 maio 2020.

NOVELLINO, M. S. F. Instrumentos e metodologias de representação da informação. Inf. Inf., Londrina, v. 1, n. 2, p. 37-45, jul./ dez. 1996.

NUNES, C. O. Algumas considerações acerca da ausência de políticas de indexação
em bibliotecas brasileiras. Biblios: Revista do Departamento de Biblioteconomia
e História, Rio Grande, v. 16, p. 55-61, 2004.

ORTEGA, C. D. Relações históricas entre a biblioteconomia, documentação e ciência da informação. DataGramaZero-Revista de Ciência da Informação, v. 5, n. 5, out. 2004.

PADILHA, R. C. Documentação Museológica e Gestão de Acervo. Florianópolis: FCC, 2014. 71 p. (Coleção Estudos Museológicos, v.2).

PIEDADE, M. A. R. Introdução à teoria da classificação. 2. ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1983. 

PINHEIRO, L. V. R. Campo disciplinar em ciência da informação: fronteiras remotas e recentes. Investigación Bibliotecológica, v.12, n. 25, p.132-163, 1998.

PINHEIRO, L. V. R. Processo evolutivo e tendências contemporâneas da Ciência da Informação. Informação e Sociedade, João Pessoa, v.15, n.1, 2005.

REDIGOLO, F. M. O processo de análise de assunto na catalogação de livros em bibliotecas universitárias: aplicação do protocolo verbal. 2014. 262 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014. Disponível em:https://tinyurl.com/yaggqdql. Acesso em: 12 jun. 2020.

RUBI, M. P. A política de indexação na perspectiva do conhecimento organizacional. 2004. 135 f. Dissertação (Mestrado de Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Federal Paulista, Marília, 2004.

RUBI, M. P. Política de indexação para construção de catálogos coletivos em bibliotecas universitárias. 2008. 169 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2008. 

RÚSSIO, W. Texto III. In: ARANTES, Antônio Augusto (Org.). Produzindo o passado. Estratégias de construção do patrimônio cultural. São Paulo: Brasiliense, 1984.

SAMPAIO, D. A.; OLIVEIRA, B. M. J. F. Memória, museus e ciência da informação: Uma perspectiva interdisciplinar. Biblios (Lima), v. 52, p. 35-42, 2013.

SHERA, J. H. Sobre biblioteconomia, documentação e ciência da informação. In: GOMES, H. E. (Org.). Ciência da informação ou informática? Rio de Janeiro: Calunga, 1980. p. 90-105.  

SILVA, M. R; FUJITA, M. S. L. A prática de indexação: análise da evolução de tendências teóricas e metodológicas. Transinformação, Campinas, v. 16, n. 2, p. 133-161, maio/ago., 2004.

SMIT, J. W.; BARRETO, A. A. Ciência da informação: base conceitual para a formação profissional. In: VALENTIM, M. L. (Org.). Formação do profissional da informação. São Paulo: Pólis, 2002. p. 9-23.

SOUZA, D. M. V. Informação e construção de conhecimento no horizonte museológico. DataGramaZero Revista de Ciência da Informação, v.10, n.6, dez. 2009. Disponível em: http://www.dgz.org.br/dez09/Art_06.htm. Acesso em: 11 jun. 2020.

SOUZA, R. F. Ranganathan e a classificação dos dois pontos. In: LUCAS, E. R. O.; CORRÊA, E. C. D.; EGGET-STEINDEL, G. (Orgs.). As contribuições de ranganathan para a biblioteconomia: reflexões e desafios. São Paulo: FEBAB, 2016. p. 84-95.

TRISTÃO, A. M. D. et al. Sistema de classificação facetada: instrumento para organização da informação sobre cerâmica para revestimento. Informação e Sociedade: estudos, João Pessoa, v.14, n.2, p. 109-136, jul./ dez. 2004.

UNISIST. Princípios de indexação. Escola de Biblioteconomia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 10, n. 1, p. 83-94, 1981. 

VALENTIM, M. P. Assumindo um novo paradigma na biblioteconomia. Inf.& Inf., Londrina, v. 0, n. 0, p. 2-6, jul./ dez. 1995.

WARD, M. L. The future of the human indexer. Journal of the American society for Information Science, v. 28, n. 4, p. 217-225, 1996.

WILL, L.The indexing of museum objects. The Indexer, v. 18, n. 3, April, 1993. p. 157-160.

YASSUDA, S. N. Documentação museológica: uma reflexão sobre o tratamento descritivo do objeto no Museu Paulista. 2009. 123 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Estadual Paulista, Marília, 2009.

ZAHER, C. R; GOMES, H. E. Da bibliografia à ciência da informação: um histórico e uma posição. Ciência da Informação, v.1, n.1, p. 5-7, 1972. Disponível em:http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1/1. Acesso em: 9 de jun. 2020.
Publicado
2021-09-21
Como Citar
CARVALHO, R.; FONSECA, L. D. P. A. DA; REDIGOLO, F. M. Diálogo sobre indexação na Biblioteconomia e Museologia. Informação em Pauta, v. 6, n. 00, p. 1-24, 21 set. 2021.