Percepção dos bibliotecários sobre a aplicabilidade das cinco leis de Ranganathan ao contexto da gestão da informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v6iespecial.2021.62718.108-125

Palavras-chave:

Leis de Ranganathan, Gestão da Informação, Bibliotecários

Resumo

Apresenta os resultados do estudo cujo objetivo geral é investigar a aplicabilidade das Cinco Leis de Ranganathan e suas influências na gestão da informação em bibliotecas, na cidade de Fortaleza. A pesquisa é de caráter exploratório, tendo-se feito a coleta de dados por meio de um questionário, em duas modalidades de aplicação: in locus, pelo pesquisador e também enviado de modo eletrônico. Participaram do estudo empírico, 10 bibliotecários que atuam em bibliotecas públicas, universitárias, especializadas e escolar. Os resultados evidenciam que, de maneira geral, os bibliotecários têm conhecimentos sobre as referidas leis e suas aplicabilidades na gestão da informação, particularmente, na oferta de produtos e serviços informacionais e no cumprimento dos objetivos da biblioteca. Também, ficou patente que, essa compreensão é mais perceptível para aqueles que têm menos tempo de atuação no mercado. Ademais, a maioria dos bibliotecários ressalta que, as leis estão intrínsecas nas atividades realizadas dentro das bibliotecas. Concluímos que, as leis, embora elaboradas em 1931, ainda reverberam na atuação dos bibliotecários que participaram da pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio César Fernandes, Universidade Federal do Ceará

Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará. Mestrando em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Ceará.

Virgínia Bentes Pinto, Universidade Federal do Ceará

Professora Titular da Universidade Federal do Ceará-UFC. Doutora em Ciências da Informação e da Comunicação - Institut des Communications et des Média (ICM)- Université Stendhal-Grenoble-3-França 

Gabriela Belmont de Farias, Universidade Federal do Ceará

Docente do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Ceará

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2014).

 

 

Referências

CABRAL, Augusto. A sociologia funcionalista nos estudos organizacionais: foco em Durkheim. Cadernos Ebape.br, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p.1-15, jul. 2004.
Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cadernosebape/article/view/4880. Acesso em: 15 jun. 2019.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2006. 426 p.

DAVENPORT, Thomas H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 2000.

DAVENPORT, Thomas H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. A modernidade das cinco leis de Ranganathan. Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 21, p.186-191, set. 1992.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LANCASTER, F.W. Avaliação de Serviços de Bibliotecas. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MACIEL, Alba Costa; MENDONÇA, Marília Alvarenga Rocha. Bibliotecas como organizações. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto, 2000. 96 p.

MARCONI, Marina de Andrade.; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

PORAT, M.U. The Information Economy: definition and measurement. ERIC, Washington D.C., maio de 1977. Disponível em:https://files.eric.ed.gov/fulltext/ED142205.pdf. Acesso em: 10 jun. 2019.

SANTO, C. E. A importância das Cinco Leis da Biblioteconomia para a gestão por processos e transformação da visibilidade da biblioteca universitária. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Campinas, v.12, n.3, p.96-118 set. / dez. 2014.

TARGINO, Maria das Graças; SOUSA, Maria Eliziana Pereira de. As Cinco Leis de Ranganathan e Gestão de Bibliotecas Universitárias. FSA, Teresina, v. 14, n. 1, p.57-78, jan. 2017.

TARGINO, Maria das Graças; SOUSA, Maria Eliziana Pereira de. Cinco leis da biblioteconomia / Cinco leis de Ranganathan: resistindo Bravamente ao Tempo. Ciência da Informação em Revista, Maceió, v. 3, n. 1, p.11-29, jan./abr. 2016.

RANGANATHAN, S.R. As cinco leis da biblioteconomia. Brasília: Briquet de Lemos, 2009. 336 p.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim (Org.). Gestão da informação e do conhecimento no âmbito da ciência da informação. São Paulo: Cultura acadêmica: Polis, 2008.

Downloads

Publicado

2021-05-30

Como Citar

FERNANDES, Júlio César; BENTES PINTO, Virgínia; FARIAS, Gabriela Belmont de. Percepção dos bibliotecários sobre a aplicabilidade das cinco leis de Ranganathan ao contexto da gestão da informação. Informação em Pauta, [S. l.], v. 6, n. especial, p. 108–125, 2021. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v6iespecial.2021.62718.108-125. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/62718. Acesso em: 25 fev. 2024.