Fatores estressores e a síndrome de Burnout em bibliotecas universitárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v6iespecial.2021.67916.13-31

Palavras-chave:

Síndrome de Burnout. Labor. Fatores estressores. Bibliotecário. Universidade Federal de Pernambuco.

Resumo

A pesquisa objetivou analisar ocorrência de fatores estressores que podem ocasionar a Síndrome de Burnout no labor do bibliotecário. Para tanto, buscou-se evidenciar conceitos, dimensões e elementos constitutivos da referida Síndrome, indicar fatores estressores nas bibliotecas, e averiguar meios preventivos e de intervenção. Trata-se de pesquisa descritiva com objetivo exploratório e abordagem qualitativa. Caracteriza-se por estudo de caso na Universidade Federal de Pernambuco, com trinta e um bibliotecários como sujeitos. O instrumento de coleta de dados foi o questionário com questões voltadas para fatores sociodemográficos e temas pertinentes ao labor dos bibliotecários. Utilizada a técnica de análise de conteúdo de Bardin, com categorias em classificação e inferências, destacando aportes da autora Benevides-Pereira como diretriz teórica. Como resultado, tem-se que o ambiente laboral do bibliotecário é propenso a alguns fatores estressores sejam eles internos e(ou) externos de personalidade e(ou) de cunho organizacional. Ressalta-se a necessidade de intervenção em bibliotecas outras, onde já ocorre a incidência de acometimento da Síndrome ou problemas relativos aos fatores estressores. Indica-se o uso de medidas preventivas em bibliotecas universitárias, incluindo ações a partir das Áreas de Gestão dos Sistemas de Bibliotecas, da Saúde e Qualidade de Vida, e da Gestão de Pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Gláucia de Lima Sebastião do Carmo

Mestre em Ciência da Educação e Multidisciplinaridade (UGF), Especialização em Docência do Ensino Superior (FJB) e Educação de Jovens e Adultos (EJA) na Adversidade e Inclusão (UFRPE), Graduação em Pedagogia (UVA) e Bacharel em Biblioteconomia (UFPE), Formação em Tutoria em AVA pelo curso Ágape. Atuou como Ministrante e Membro da Organização do Evento InovaBIblio: estratégias de gestão para unidade de informação, promovido pelo departamento de Ciência da Informação do CAC (UFPE), exerceu a função de Monitoria na disciplina Formação e Desenvolvimento de Coleções, departamento de Ciência e Informação CAC (UFPE).

Sonia Aguiar Cruz-Riascos, UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

Pós-Doutorado em Ciência da Informação, Doutorado e Mestrado em Ciência da Informação (Unb), Especializações em Inteligência Competitiva (UnB) e Administração (UFBA), Graduação em Biblioteconomia (UnB). Experiência em Biblioteconomia, Arquivologia e Gestão da Informação em diversos campos de atuação: indústria e comércio, saúde, agricultura e educação. Atualmente, docente dos Cursos de Biblioteconomia e Gestão da Informação na UFPE. Coordena o projeto de pesquisa sobre Acessibilidade: informação e educação para a democracia. Atua como Membro do Grupo de Pesquisa da Rede Cariniana, vinculado ao CNPq, na linha de Curadoria digital. Atuou em projetos sobre repositórios digitais e continua desenvolvendo estudos na área. Membro integrante da Rede Nordeste de Repositórios Digitais. Participa como Membro do Comitê Curador de Arte e Cultura da UFPE, na área de Patrimônio. Áreas de estudo e pesquisa: Ciência Aberta, Repositórios Digitais, Preservação Digital, Gestão da Informação e do Conhecimento, GLAM (Galerias, Bibliotecas, Arquivos e Museus), Cultura e Serviços.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Ed.70, 1979.
BENEVIDES-PEREIRA, A.M.T. O processo de adoecer pelo trabalho. In: BENEVIDES-PEREIRA, A.M.T. (org.). Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. 1.ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.
BENEVIDES-PERREIRA, A. M.T. Burnout: quando o trabalho ameaça o bem estar do trabalhador. 4. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010.
BRASIL. Lei 4.084, de 30 de julho de 1962. Dispões sobre o exercício da profissão de Bibliotecário e das suas atribuições. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 1962. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/1950-1969/L4084.htm. Acesso em:12 jan. 2020.
BRASIL. Decreto nº 56.725, 1965. Regulamenta a Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962 que dispões sobre o exercício da profissão de Bibliotecário. Brasília: Câmara dos Deputados, 1965. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-56725-16-agosto-1965-397075-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 14 jan. 2020.
BRASIL. Ministério do Trabalho. Classificação Brasileira de Ocupações 2612 Profissionais da Informação. Brasília, 2002. Disponível em: https://www.ocupacoes.com.br/cbo-mte/261205-bibliotecario Acesso em: 18 jan. 2020.
CARLOTTO, M.S.; GOBI, M.D. Síndrome de Burnout: um problema do indivíduo ou de seu contexto de trabalho? Aletheia, Canoas, v.10, p.103-114, abr./jun. 2000.
CARLOTTO, M.S. Síndrome de Burnout: Diferenças segundo níveis de ensino. Psico (Porto Alegre), Porto Alegre, v. 41, n. 4, p. 495-502, out. 2010.
CARLOTTO, M. S.; DALCIN, L. Avaliação de efeito de intervenção para a Síndrome de Burnout em professores. Psicologia escolar e educacional, Campinas, v. 22, n. 1, p. 141-150, jan/abr. 2018.
CASSIDY, M.; VERSLUIS, A.; MENZIES, E. Disrupting traditional power structures in academic libraries: Saying no, how to do it, and why it matters. In: CRITICAL LIBRARIANSHIP AND PEDAGOGY SYMPOSIUM, 2018, Tucson, AZ. Anais […]. Tucson, AZ.: University of Arizona, 2018. Disponível em: https://repository.arizona.edu/bitstream/handle/10150/632090/Handout%20-%20Disrupting%20Structures.pdf?sequence=4&isAllowed=y Acesso em: dez. 2019.
CFB – Conselho Federal de Biblioteconomia. Resolução nº 42/2002. Código de Ética Profissional do Bibliotecário. Brasília, DF., 2002. Disponível em: http: //www.cfb.org.br/legislacao/resolucoes/Resolu%E7%E30%20042-02.asp. Acesso em: 31 nov. 2019.
CODO, W. Educação: Carinho e Trabalho. Petropolis: Vozes, 1999.
FABER, B. A. Inconsequentiality: The key to understanding teacher burnout. Cambridge: Cambridge University Press, 1999. p. 159-165.
FERNANDES, M.A; SILVA, D.AR.A.; IBIAPINA, A.R.S.; SILVA, J.S. Adoecimento mental e as relações com o trabalho: estudo com trabalhadores portadores de doenças mental. 2018. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho. São Paulo, v.16, n.3, p.277-286, 2018. DOI: 10.5327/Z1679443520180110. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/rbmt.org.br/pdf/v16n3a04.pdf. Acesso em: 24 nov. 2019.
FIRTH, J. Personal meanings of occupational stress: cases from clinic. Journal of Occupational Psychology, England, v.58, n.2, p. 139-148, jun. 1985.
FREUDENBERGER, H. Staff Burn-out. Journal of Social Issues, New York, v. 30, n. 1, p. 154-165, 1974.
GUDITUS, C. W. Staff Burnout: Job Stress in the Human Services Cary Cherniss Beverly Hills, California. Thousand Oaks, Califórnia: Sage Publications, 1980. 199 p.
GIL-MONTE, P. R. Burnout Syndrome: ¿síndrome de quemarse por el trabajo, desgaste profesional, estrés laboral o enfermedad de Tomás? In: Revista de Psicología del Trabajo y de las Organizaciones, Madrid, v. 19, n. 2, p. 181-197, 2003. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=231318052004. Acesso em: 10 nov. 2019.
LEVY. C.T. M. A Síndrome de Burnout em Professores do Ensino Fundamental. In: Nunes Sobrinho. A Síndrome de Burnout em Professores no Ensino Regular: Pesquisa, reflexões e enfrentamento. Cognitiva: Rio de Janeiro, 2010.
LIPP, M. N. O stress do professor. São Paulo: Papirus, 2002.
LO, L. S.; HERMAN, B. An Investigation of Factors Impacting the Wellness of Academic Library Employees. College & Research Libraries, [S.l.], v. 78, n. 6, p. 789, aug. 2017. ISSN 2150-6701. Disponível em: https://crl.acrl.org/index.php/crl/article/view/16736/18248. Acesso em: 30 jan. 2020. doi :https://doi.org/10.5860/crl.78.6.789.
MAGNO, O.B. ABC Direito Tutelar do Trabalho. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.
MARTIN, C. Libray Burnout: causes, symptoms, solutions. In: Library worklife. ALA APA: Chicago, Il., 2009. Disponível em: http://ala-apa.org/newsletter/2009/12/01/spotlight-2/. Acesso em: 11 dez. 2019.
MASLACH, C.; JACKSON, S. E. The Measurement of Experienced Burnout. In: Journal of Ocuppational Behavior, Sussex, England, v. 2, n. 2, p. 99-113, apr. 1981. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/job.4030020205 Acesso em: 15 mar. 2020.
MASLACH, C.; LEITER, M.P. Trabalho: Fonte de prazer ou desgaste? Guia para vencer o estresse na empresa. São Paulo: Papirus, 1999.
MOREIRA, H. R.; COLLET, C.; FARIAS, G.O.; NASCIMENTO, J. V. Síndrome de Burnout em professores de Educação Física: um estudo de casos. In: efdeportes Revista Digital, Buenos Aires, v. 13, n.123, ago. 2008. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd123/sindrome-de-burnout-em-professores-de-educacao-fisica.htm. Acesso em: 12 nov. 2019.
NASSETI, P. O que você deve saber sobre Estresse. 4.ed. São Paulo: Martin Claret, 2003.
NUNES SOBRINHO, F.P. A Síndrome de Burnout em professores do ensino regular: pesquisa, reflexões e enfrentamento. Rio de Janeiro: Cognitiva, 2010.
ODORIZZI, C. M. A. Síndrome de Burnout: resposta inadequada um estresse emocional crônico. In: Revista do Professor. Porto Alegre, Rio grande do Sul, v. 11, n. 43, 1995.
RAMOS, F.N.; NEME, C. M. Burnout em Profissionais de Bibliotecas. In: Estudo de Pesquisa em Psicologia, Rio de Janeiro: v. 8, n. 3, p. 578-596, 2008. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4518/451844627003.pdf. Acesso em: 8 dez. 2019.
SOUZA, F. C.; SILVA, P. S. O Trabalho do bibliotecário e os riscos em potenciais em torno do campo da ergonomia. In: Rev. Em Questão. v. 13, n. 1, 2007. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/34/1333. Acesso em: 9 dez. 2019.

Downloads

Publicado

2021-05-30

Como Citar

CARMO, Ana Gláucia de Lima Sebastião do; CRUZ-RIASCOS, Sonia Aguiar. Fatores estressores e a síndrome de Burnout em bibliotecas universitárias. Informação em Pauta, [S. l.], v. 6, n. especial, p. 13–31, 2021. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v6iespecial.2021.67916.13-31. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/67916. Acesso em: 13 abr. 2024.