Políticas e estratégias institucionais de internacionalização da educação em instituições de educação profissional e tecnológica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v6iespecial.2021.67923.176-193

Palavras-chave:

Educação Profissional e Tecnológica, Internacionalização da Educação Profissional, Políticas e Estratégias Institucionais

Resumo

O artigo trata das políticas e estratégias de internacionalização da Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS), no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS) e no Instituto Federal de São Paulo (IFSP), considerando as propostas internacionais e governamentais e as estratégias institucionais de internacionalização da educação de cada uma das instituições pesquisadas. A intenção é compreender como as instituições de EPT analisadas incorporam estas diretrizes e políticas no âmbito de suas instituições e a maneira como instauram significados institucionais e políticos ao processo de internacionalização da educação, tendo em vista as condições iniciais de sua efetivação.  Foi realizada pesquisa bibliográfica a partir de diferentes análises, assim como entende Saravia(2006), ao analisar com profundidade o processo das políticas públicas. A partir desta e de outras leituras, buscou-se estudar a  internacionalização da EPT a partir de diferentes contextos institucionais ao compreender as condições das instituições e o papel de cada ator social no processo. Conclui-se que apesar das ações de internacionalização da EPT no Brasil serem recentes, há um movimento nas três instituições pesquisadas para desenvolver órgãos administrativos e instrumentos de normatização da internacionalização da EPT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Ferreira Boschini, Instituto Federal de São Paulo

Mestra em Gestão e Desenvolvimento da Educação Profissional pelo Centro Paula Souza. Servidora Técnica administrativa da Educação no Instituto Federal de São Paulo - Campus São Paulo. Docente Eventual em disciplinas da Pós-Graduação Lato Sensu em Educação no Centro Universitário Salesiano de São Paulo. Atua em Ensino, Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação. Experiência na área de Educação, com ênfase nas relações entre Educação e Trabalho na Educação Profissional. Tem Pesquisas na área de Formação Docente para a Educação Profissional e Tecnológica e História e Memória da Educação Profissional.

Sueli Soares dos Santos Batista, Centro Paula Souza

Realizou pós-doutorado no Depto. de História e Filosofia da Educação da Faculdade de Educação da Unicamp (2012). Possui mestrado (1997) e doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (2002). É graduada em História pela USP (1992) e Filosofia pela Unicamp (2007). Coordena o Núcleo de Estudos em Tecnologia e Sociedade (NETS-Fatec Jundiaí) e o Grupo de Fundamentos da Educação Profissional e Tecnológica vinculado à pós-graduação. Participa do planejamento e das atividades do Programa de Extensão e Cultura (PEC) da Fatec Jundiaí. Atualmente é professora e pesquisadora do Mestrado Profissional do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nas seguintes linhas de pesquisa: Avaliação de Políticas Educacionais, Conceitos e contextos socioculturais do trabalho e da tecnologia na interface com a educação, Educação Comparada, Memória e História da educação profissional e tecnológica. Planejamento Educacional e Gestão da Educação e Políticas de Educação Profissional e Tecnológica. Faz parte do Grupo de Trabalho de História da Infância e da Juventude da ANPUH-SP pesquisando as relações entre juventude, educação e trabalho. É professora pesquisadora do Laboratório de Políticas Públicas e Planejamento Educacional (Unicamp) e do Coletivo de Pesquisadores em Políticas Educacionais - COPPE (UNESP). Coordenou projeto de pesquisa sobre internacionalização da educação profissional e tecnológica financiado pela Fapesp (Processo 2018/03106-8).

Tania Barbosa Martins

Graduação em História pela Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP (2002) e Mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar (2005). Em 2014 concluiu o doutorado em Educação na UFSCar com tese "As Metamorfoses do Trabalho Docente na Universidade Aberta do Brasil", financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP e com estágio no Programa de Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) sob orientação da Profa. Dra. Deise Mancebo. Participa como associado do GT11 da ANPED e do Universitas-Br. Atuou como professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Metodista de Piracicaba no período de 2014 a 2021, integrando o Núcleo de Estudos e Pesquisas Trabalho Docente, Formação de Professores e Políticas Educacionais. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino superior, trabalho docente, educação a distância e educação profissional.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: Informação e Documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa - Apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 5 p.

FRANÇA, Junia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 7. ed. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1989.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

LE COADIC, Yves-françois. Ciência da Informação. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004. 124 p.

ARRETCHE, M. T. S. Tendências no estudo sobre avaliação. In: RICO, E. M. Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Ciências sem Fronteiras. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/. Acesso em: Acesso em: 15 ago. 2017.

BRASIL. Decreto n. 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e dá outras providências. Brasília: 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5154.htm. Acesso em: 20 mar. 2016.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília: 2008a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em: 19 mar.2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Levantamento das ações de internacionalização da Rede Federal de EPT e resultado do GT de Política Educacional. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/maio-2018- pdf/87481-acoes-de-internacionalizacao/file. Acesso em: 20 de abr. 2019.

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA. Perfil e
Histórico. Disponível: http://www.cps.sp.gov.br/perfil-e-historico/. Acesso em: 15 ago. 2017.

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA.
Internacional. Disponível em: http://www.cps.sp.gov.br/internacional/. Acesso em: 07 set. 2018.

DIAS, V. E. M. A educação integrada e a profissionalização no ensino médio. Tese de Doutorado. Centro de Educação e Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em Educação. São Carlos: UFSCar, 2015.

FRIGOTTO, G. Ensino Médio e educação Profissional: a ruptura com o dualismo estrutural. In: CIAVATTA, M. (org.) Gaudêncio Frigotto. Um intelectual crítico nos pequenos grandes embates. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO.
Portaria n° 1.151, de 07 de abril de 2016. Disponível em: http://www2.ifsp.edu.br/index.php/documentos-institucionais/portarias/category/569- 2016.html?start=240

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE
MINAS GERAIS. Projeto de Desenvolvimento Institucional. Pouso Alegre, 2018. Disponível em: https://portal.ifsuldeminas.edu.br/index.php/historico-dos-pdis

MOREIRA, A. F. B. Estudos de currículo: avanços e desafios no processo de internacionalização. Cadernos de Pesquisa, São Paulo-SP, v. 39, n. 137, p. 367-381, maio/ago. 2009.

PACHECO.E. Fundamentos Políticos Pedagógicos dos Institutos Federais. Natal: Editora IFRN, 2015.

SANTOS, F. S.; ALMEIDA FILHO, N. A quarta missão da Universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento. Brasília: Editora Universidade de Brasília; Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

SARAVIA, E. Introdução à teoria da política pública. In: SARAIVA, E.; FERRAREZI, E. (org.). Políticas Públicas. Brasília: ENAP, 2006.

SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Revista Trabalho, Educação e Saúde. [online]. 2003, vol.1, n.1, pp.131-152. Disponível em: http://www.revista.epsjv.fiocruz.br/upload/revistas/r41.pdf. p.131-152.

SOUZA, C. Estado da arte da pesquisa em políticas públicas. In: HOCHMAN, G.; ARRETCHE, M.; MARQUES, E. Políticas públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2007.

UNESCO. Establishment of an international long-term programme for the development of technical and vocational education following the second international congress on technical and vocational education (Seoul, Republic of Korea, april 1999), Paris, 1999.
Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000117403. Acesso em: maio 2019.

Downloads

Publicado

2021-05-30

Como Citar

BOSCHINI, Fernanda Ferreira; BATISTA, Sueli Soares dos Santos; MARTINS, Tania Barbosa Martins. Políticas e estratégias institucionais de internacionalização da educação em instituições de educação profissional e tecnológica. Informação em Pauta, [S. l.], v. 6, n. especial, p. 176–193, 2021. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v6iespecial.2021.67923.176-193. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/67923. Acesso em: 29 maio. 2024.