Compreensões sobre repositórios digitais

um elenco de características sistematizadas por mapas conceituais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v7i00.2022.71792.1-25

Palavras-chave:

Repositórios digitais, Padrões de comunicação científica, Software livre, Mapas conceituais, CmapTools

Resumo

Sistematiza as características que definem os repositórios digitais em uma perspectiva científico-literária, adotando mapas conceituais para apresentá-las. Confecciona protótipos em papel, posteriormente transpostos para o software livre CmapTools, admitindo figuras geométricas especificas para representar categorias, conceitos e relações, o que permitiu descrever e qualificar o objeto de estudo. Assume-se como uma pesquisa bibliográfica que resultou na atribuição de um conjunto de características como autoarquivamento, padrões abertos e interoperabilidade, devidamente classificadas em 10 categorias: natureza, essenciais, funcionais, funcionamento, tipos de serviços, tipos de materiais, tipos de usuários, confiabilidade, gerenciais e técnicas. Conclui que os repositórios digitais constituem sistemas interoperáveis e bem estruturados, assentados em padrões abertos e consoantes aos incentivos de implementação a partir de softwares livres e de código aberto, os quais devem permitir gerenciamento, autoarquivamento e representação, a fim de fomentar a recuperação da informação e o acesso em longo prazo ao repositório em si, aos objetos digitais armazenados e à memória institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Oliveira de Araújo, Universidade de Brasília

Mestranda em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília (UnB). Bacharela em Biblioteconomia pela UnB. Possui interesse por repositório digital como tema de pesquisa.

Márcio Bezerra da Silva, Universidade de Brasília

Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Ciência da Informação e Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tecnólogo em Processamento de Dados pela Escola Técnica Virgínia Patrick (ETVP). Professor da Faculdade de Ciência da Informação (FCI) da Universidade de Brasília (UnB). Possui interesse de pesquisa nas seguintes temáticas: sistemas de classificação e taxonomias facetadas; metadados; banco de dados; arquitetura da informação; usabilidade; experiência do usuário; sistemas de automação de bibliotecas; bibliotecas digitais; repositórios digitais; e software livre. Membro dos grupos de estudos "G-Acervos manuscriptológicos, bibliográficos, iconográficos, etnográficos: organização, preservação e interfaces das tecnologias da informação e comunicação" (UFBA); e "Biblioteca Digital" (UnB).

Referências

ASSOCIATION OF RESEARCH LIBRARIES. The research library’s role in digital repository services: final report for the ARL Digital Repository Issues Task Force. Washington, DC: ARL, 2009. Disponível em: https://www.arl.org/storage/documents/publications/repository-services-report-jan09.pdf. Acesso em: 16 nov. 2020.

ÁVILA, B. T.; SILVA, M.; CAVALCANTE, L. Uso de repositórios digitais como fonte de informação por membros das universidades federais brasileiras. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 27, n. 3, p. 97-120, set./dez. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/viewFile/31514/pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

BĂRBIERU, D.; RADU, C.; BELIGAN, D. Customization process for a multimídia digital repository. In: INTERNATIONAL SCIENTIFIC CONFERENCE ELEARNING AND SOFTWARE FOR EDUCATION, 11., 2015, Bucharest. [Proceedings...]. Bucharest: Carol I National Defence University Publishing House, 2015. p. 383-389. Disponível em: https://proceedings.elseconference.eu/index.php?r=site/index&year=2015&index=papers&vol=19&paper=4ce25f531a5b72a5d3cb7c659b054719. Acesso em: 14 dez. 2020.

BARROS, D. B. S.; FERRER, I. D.; MAIA, C. M. S. Auditoria de repositórios digitais preserváveis. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 11, n. 1, p. 300-313, jan./abr. 2018. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/8572. Acesso em: 15 nov. 2020.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n 1120-B, de 2007. Brasília, DF: Câmara dos Depuatos, 2007. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=F86D3B71F1E4FCA4F9135827EBF4063D.node2?codteor=572586&filename=Avulso+-PL+1120/2007. Acesso em: 10 dez. 2020.

BROWN, D. J. Repositories and journals: are they in conflict? A literature review of relevant literature. Aslib Proceedings: New Information Perspective, London, v. 62, n. 2, p. 112-143, 2010.

CAMARGO, L. S. A.; VIDOTTI, S. A. B. G. Arquitetura da informação para repositórios científicos digitais. In: SAYÃO, L. F. et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 55-82. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/473/3/implantacao_repositorio_web.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

CARABETTA JÚNIOR, V. A utilização de mapas conceituais como recurso didático para a construção e inter-relação de conceitos. Revista Brasileira de Educação Médica, Brasília, DF, v. 37, n. 3, p. 441-447, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v37n3/17.pdf. Acesso em: 05 nov. 2020.

CARIBÉ, R. C. V. Comunicação científica: reflexões sobre o conceito. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 25, n. 3, p. 89-104, set./dez. 2015. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/23109. Acesso em: 03 dez. 2020.

CERVONE, F. Thinking outside the library box: considerations in contextualizing digital repositories for the local environment. OCLC Systems & Services: International Digital Library Perspectives, [Bradford, UK], v. 24, n. 3, p. 148-152, 2008.

COELHO, C. Um repositório digital para a U.Porto: relatório preliminar. Porto: Universidade do Porto, 2005. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/6701. Acesso em: 14 mar. 2020.

COSTA, S. M. S.; LEITE, F. C. L. Insumos conceituais e práticos para iniciativas de repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica em bibliotecas de pesquisa. In: SAYÃO, L. F. et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 163-202. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/473/3/implantacao_repositorio_web.pdf. Acesso em: 24 nov. 2020.

DONALDSON, D. R. Certification information on trustworthy digital repository websites: a content analysis. PloS ONE, [S.l.], v. 15, n. 12, p. 1-14, dec. 2020. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0242525. Acesso em: 31 janeiro 2021.

FERREIRA, S. M. S. P. Repositórios versus revistas científicas: convergências e conveniências. In: FERREIRA, S. M. S. P.; TARGINO, M. G. (org.). Mais sobre revistas científicas: em foco a gestão. São Paulo: Editora Senac: Cengage Learning, 2008, p. 111-137.

FRANCO, I. M. Repositórios digitais institucionais: um viés pela lei de acesso à informação. 2015. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/1144. Acesso em: 05 dez. 2020.

GRAAF, M. V. D.; EIJNDHOVEN, K. V. Iventory study into the present type and level of OAI-Compliant digital repository activities in the EU. Amsterdam: Amsterdam University Press, 2008. Disponível em: http://arno.uva.nl/document/93725. Acesso em: 15 dez. 2020.

GONZÁLEZ GARCIA, F. M. Los mapas conceptuales de J.D. Novak como instrumentos para la investigación en didática de las ciencias experimentales. Enseñanza de las Ciencias, Barcelona, v. 10, n. 2, p. 148-158, 1992.

HEERY, R.; ANDERSON, S. Digital repositories review. United Kingdom: Joint Information Systems Committee, 2005. Disponível em: https://researchportal.bath.ac.uk/en/publications/digital-repositories-review. Disponível em: 14 nov. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Manifesto brasileiro de apoio ao acesso livre à informação científica. Brasília, DF: IBICT, 2005.

KIRYAKOVA, G.; YORDANOVA, L. Digital repositories: a tool for effective management of institutional assets. Trakia Journal of Sciences, Stara Zagora, BG, v. 11, p. 377-383, 2013. Supl. 1.

KURAMOTO, H. Repositórios institucionais: políticas e mandatos. In: SAYÃO, L. F. et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 203-217. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/473/3/implantacao_repositorio_web.pdf. Acesso em: 24 dez. 2020.

KURAMOTO, H. OA: tentando esclarecer conceitos I. Blog do Kuramoto. [S.l.], 12 set. 2011. Disponível em: https://kuramoto.wordpress.com/2011/09/12/open-access-tentando-esclarecer-conceitos/. Acesso em: 14 dez. 2020.

LAGOZE, C.; SOMPEL, H. V. de. The open archives initiative: building a low-barrier interoperability framework. In: JOINT CONFERENCE ON DIGITAL LIBRARIES, 1., 2001, Roanoke, VA. Procedings... Roanoke, VA: [s.n.], 2001. p. 54-62. Disponível em: http://public.lanl.gov/herbertv/papers/Papers/2001/JCDLlagoze.pdf. Acesso em: 17 dez. 2020.

LAWSON, D.; SPIES, P. B. Developing a trusted digital repository: the OCLC experience. Vine, [London], v. 34, n. 1, p. 27-32, 2004.

LEITE, F. C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília, DF: IBICT, 2009. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/4841. Acesso em: 18 dez. 2020.

MARCONDES, C. H.; SAYÃO, L. F. À guisa de introdução: repositórios institucionais e livre acesso. In: SAYÃO, L. F. et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 9-21. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/473/3/implantacao_repositorio_web. Acesso em: 04 nov. 2018.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Serviços de referência virtual. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 30, n. 2, p. 7-15, maio/ago. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v30n2/6206. Acesso em: 30 nov. 2020.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 33, n. 2, p. 15-27, maio/ago. 2004. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1043/1113. Acesso em: 18 dez. 2020.

MONTEIRO, F. S. Web semântica e repositórios digitais educacionais na área de saúde: uma modelagem com foco no objetivo de aprendizagem para refinar resultados de busca. 2013. 189 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2013. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/13461. Acesso em: 14 nov. 2020.

MORENO, F. P.; LEITE, F. C. L.; MÁRDERO ARELLANO, M. Á. Acesso livre a publicações e repositórios digitais em Ciência da Informação no Brasil. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 11, n. 1, p. 82-94, jan./abr. 2006. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/447/258. Acesso em: 14 nov. 2020.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. São Paulo: Centauro, 2010.

NASCIMENTO, A. C. C.; CORREIA, R. T. M.; SILVA, M. B. Dublin Core: a metadata standard in the "3 Marys". In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON DUBLIN CORE AND METADATA APPLICATIONS, 15., 2015, São Paulo. Proceedings... Braga, Portugal: Universidade do Minho; São Paulo: UNESP, 2015. p. 247-248. Disponível em: https://dcevents.dublincore.org/IntConf/dc-2015/paper/viewFile/391/40. Acesso em: 26 nov. 2020.

NOVAK, J. D. Concept mapping: a useful tool for science education. Journal of Research in Science Teaching, Chapel Hill, US-NC, v. 27, n. 10, p. 937-949, 1990.

NOVAK, J. D. A science education research program that led to development of the concept mapping tool and new model for education. In: INTERNATIONAL CONFERENCE IN CONCEPT MAPPING, 1., 2014, Pamplona, Spain. Proceedings… Pampola, Spain: IHMC, 2004. Disponível em: http://cmc.ihmc.us/Papers/cmc2004-286.pdf. Acesso em: 10 dez. 2020.

OPEN ARCHIVES INITIATIVE. The Open Archives Initiative Protocol for Metadata Harvesting. [S.l.]: OAI, 8 jan. 2015. Disponível em: http://www.openarchives.org/OAI/openarchivesprotocol.html. Acesso em: 17 dez. 2020.

PEREIRA, M. S.; SILVA, M. B. Software Dspace: um extrato de características que viabilizam a implementação de repositórios institucionais. Convergência em Ciência da Informação, Aracaju, v. 3, n. 3, p. 106-127, set./dez. 2020. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/152802. Acesso em: 31 janeiro 2021.

PIETRO, A. G. From conceptual to perceptual reality: trust in digital repositories. Library Review, [Bradford, UK], v. 58, n. 8, p. 593-606, 2009.

PIRES, D. C. G. B. Gestão da informação e do conhecimento e repositórios digitais: construindo um contexto para o surgimento das competências organizacionais. 2015. 141 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27151/tde-17112015-100104/pt-br.php. Acesso em: 14 dez. 2020.

REPANOVICI, A. Professional profile of digital repository manager. Library Hi Tech News, [England], v. 29, n. 10, p. 13-20, 2012.

RESEARCH LIBRARIES GROUP. Trusted Digital Repositories: attributes and responsibilities. Mountain View, CA: Research Libraries Group, 2002. Disponível em: https://www.oclc.org/content/dam/research/activities/trustedrep/repositories.pdf. Acesso em: 15 dez. 2020.

RODRIGUES, A. P. et al. A interoperação com repositórios digitais: protocolos e exemplos. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 40, n. 3, p. 349-363, set./dez. 2011. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1294/1472. Acesso em: 14 dez. 2020.

SANTAREM SEGUNDO, J. E. Gestão da informação e do conhecimento e repositórios digitais: construindo um contexto para o surgimento das competências organizacionais. 2015. 141 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/103346. Acesso em: 14 dez. 2020.

SAYÃO, L. F.; MARCONDES, C. H. Softwares livres para repositórios institucionais: alguns subsídios para a seleção. In: SAYÃO, L. F. et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 23-54. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/473/3/implantacao_repositorio_web.pdf. Acesso em: 03 nov. 2020.

SCHÄFER, M. B.; CONSTANTE, S. E. Políticas e estratégias para a preservação da informação digital. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 3, p. 108-140, dez. 2012. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/6449/4817. Acesso em: 02 dez. 2020.

SILVA, R. A.; RODRIGUES, R. S. Características de repositório educacional aberto para usuários de língua brasileira de sinais. TransInformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 65-79, jan./abr. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tinf/v25n1/a07v25n1.pdf. Acesso em: 14 dez. 2020.

SOUZA, J. A. Gerenciamento de informações sobre o setor cultural: proposição de um repositório digital. 2015. 124 f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Cultura Contemporânea) - Instituto de Linguagens, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2015. Acesso em: http://ri.ufmt.br/handle/1/69. Acesso em: 14 nov. 2020.

SWAN, A. The business of digital repositories. In: WEENIK, K.; WAAIJERS, L.; VAN GODTSENHOVEN, K. (ed.). A DRIVER’s guide to european repositories. Amsterdam: Amsterdam University Press, 2007. p. 15-47. Acesso em: https://eprints.soton.ac.uk/264455/. Acesso em: 14 nov. 2020.

TOUTAIN, L. B.; CORDEIRO, R. I. N. Memória da pesquisa, criação e inovação nas IFES: RI para artes híbridas. In: SAYÃO, L. F. et al. (org.). Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memória, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 345-357. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/473/3/implantacao_repositorio_web.pdf. Acesso em: 15 dez. 2020.

VECHIATO, F. L. Repositório digital como ambiente de inclusão digital e social para usuários idosos. 2010. 183 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, 2010. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/93616. Acesso em: 15 dez. 2020.

WEENINK, K.; WAAIJERS, L.; VAN GODTSENHOVEN, K. (ed.). A DRIVER’s guide to european repositories. Amsterdam: Amsterdam University Press, 2007. Disponível em: http://arno.uva.nl/document/93898. Acesso em: 15 dez. 2020.

Downloads

Publicado

2022-10-25

Como Citar

ARAÚJO, Denise Oliveira de; SILVA, Márcio Bezerra da. Compreensões sobre repositórios digitais: um elenco de características sistematizadas por mapas conceituais. Informação em Pauta, [S. l.], v. 7, n. 00, p. 1–25, 2022. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v7i00.2022.71792.1-25. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/71792. Acesso em: 22 maio. 2024.