Práticas informacionais no cotidiano de pessoas com restrições decorrentes de alergias e intolerâncias alimentares

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v7i00.2022.81248.1-3

Palavras-chave:

práticas informacionais, estudos de usuários, Restrição alimentar, alergia e intolerância alimentar, modelo bidimensional de Pamela McKenzie

Resumo

Trata sobre práticas informacionais no cotidiano de pessoas com restrições decorrentes de alergias e intolerâncias alimentares. Nessa perspectiva, apresenta as práticas informacionais do grupo analisado no âmbito da Ciência da Informação apresentando o seguinte questionamento: Como se dão as práticas informacionais das pessoas com alergias e intolerâncias alimentares? O estudo tem como objetivo geral mostrar como decorrem as práticas informacionais por pessoas com restrições alimentares, com vistas à qualidade de vida. Quanto aos objetivos específicos foram delineados os seguintes: identificar ocorrências ou eventos que contribuem para a constituição das práticas informacionais; verificar possíveis barreiras que alérgicos e intolerantes vivenciam na busca por informação para qualidade de vida e segurança alimentar; indicar os processos de busca e uso da informação realizada por pessoas alérgicas e intolerantes com base no modelo proposto por Pamela McKenzie; e mostrar como as redes sociais influenciam e contribuem para constituir as práticas informacionais de pessoas com restrição alimentar. Com intuito de alcançar os objetivos, foi realizada uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa. O instrumento de coleta dos dados utilizado foi a entrevista semiestruturada, com perguntas fundamentadas no modelo bidimensional de práticas informacionais de McKenzie (2003). Para analisar e interpretar os dados foi utilizada a análise do conteúdo, por considerar a mais adequada ao propósito. Em relação as práticas informacionais desenvolvidas pelo grupo com restrições alimentares, verificou-se os seguintes resultados: a) os sintomas associados a dores no estômago, coceira e outros, assim como a automedicação estão atrelados às práticas preliminares de busca por diagnóstico; b) as barreiras no tocante a busca por informação destacada pelos pesquisados se referem a ação de perguntar sobre ingredientes em festas de aniversário e comemoração, alto custo com exames e compra de alimentos alergênicos; c) o contexto da alimentação para alérgicos e intolerantes está além do sentido nutricional do alimento, percebendo que eles compreendem que o ato de comer é momento oportuno para que os laços sociais se estabeleçam; d) quanto aos processos de busca por informação, constatou-se que ocorrem desde as estratégias de pesquisa na internet a encontros face-a-face com outros sujeitos no cotidiano; e) as redes sociais são consideradas muito importante para os pesquisados, pois é através das plataformas como Youtube, Instagram e Facebook que a apropriação e compartilhamento da informação propicia a troca de conhecimento no cotidiano. Conclui-se que as práticas informacionais do grupo analisado se constroem mediante a necessidade de manter uma alimentação segura livre de produtos alergênicos, que se concentram em modos de interação e conexão para troca de saberes e experiências em espaços informacionais analógicos e digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marciana Siqueira da Silva, UFC

Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós - Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Ceará (2021). Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará (2016). Tem experiência em Arquivos audiovisuais, Biblioteca Escolar, Pública e Universitária. Foi monitora da disciplina Estudo de comunidade e de usuários. Foi bolsista, e estagiária da Biblioteca Pública Capistrano de Abreu. Tem interesse nas áreas de Estudos de usuários, Fontes de informação, Audiodescrição e Metodologia Científica.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Leitura de rótulos de alimentos. Brasília, DF: ANVISA, 2016. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br. Acesso em: 26 set. 2020.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila et al. A Ciência da Informação na visão dos professores e pesquisadores brasileiros. Informação & Sociedade: estudos, João Pessoa, v. 17, n. 2, p. 95-108, maio./ago. 2007.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Estudos de usuários conforme o paradigma social da ciência da informação: desafios teóricos e práticos de pesquisa. Inf. Inf., Londrina, v. 15, n. 2, p. 23-39, 2010. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/6485/6995. Acesso em: 20 fev. 2020.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. O sujeito informacional no cruzamento da Ciência da Informação com as Ciências Humanas e Sociais. In: ENANCIB: Encontro NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 2013, Santa Catarina. Anais [...]. Florianópolis: IBICT, 2013. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/xivenancib/paper/viewFile/4181/3304. Acesso em: 4 jan. 2020.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Fundamentos da Ciência da Informação: correntes teóricas e o conceito de informação. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, Paraíba, v. 4, n. 1, p. 57-79, 2014.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Perspectivas contemporâneas de estudo de usuários da informação: diálogos com estudos de usuários de arquivo, bibliotecas e museus. In: CASARIN, Helen de Castro Silva (org.). Estudos de usuários da informação. Brasília, DF: Thesaurus, 2014. 318 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ALERGIA E IMUNOLOGIA. Alergia alimentar. São Paulo: ASBAI, 2018. Disponível em: http://www.sbai.org.br/secao.asp?s=81&id=306. Acesso em: 6 nov. 2019.

BARRETO, Aldo de Albuquerque. Uma quase história da ciência da informação. DataGramaZero, revista de Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 9, n. 2 abr. 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BARROS, Flávia Moraes Moreira. Protagonismo nas práticas informacionais de mães de crianças alérgicas. 2016. 186 f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUBD-AMWJ3T. Acesso em: 15 ago. 2020.

BENTES PINTO, V.; SOARES, M. E. (org.). Informação para a saúde: prontuário do paciente, ontologia de imagem, terminologia, legislação e gerenciamento eletrônico de documentos. Fortaleza: Edições UFC, 2010.

BENTES PINTO, Virgínia; CAVALCANTE, Lídia Eugênia. Pesquisa bibliográfica e documental: o fazer científico em construção. In: VIDOTTI, Silvana Aparecida Borsetti (org.). Aplicabilidades metodológicas em Ciência da Informação. Fortaleza: Edições UFC, 2015. p. 15-34.

BERTI, Ilemar Christina Lansoni Wey; ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Estudos de usuários e práticas informacionais: do que estamos falando?. Inf. Inf., Londrina, v. 22, n. 2, p. 389-401, maio./ago. 2017. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/31462/22020. Acesso em: 29 nov. 2019.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de uma teoria da prática. In: ORTIZ, Renato (org.). Pierre Boudieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1983. p. 46-81.

BRASIL. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, p. 1, 18 set. 2006. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11346.htm Acesso em: 12 mar. 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 259 de 23 de setembro de 2002. Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados, tornando obrigatória a rotulagem nutricional. Republica no D.O.U. Brasília, DF, 23 de Setembro. 2002. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2718376/%281%29RDC_259_2002_COMP.pdf/556a749c-50ea-45e1-9416-eff2676c4b22. Acesso em: 15 nov. 2019.

BRASIL. Código de Defesa do Consumidor. Lei no 8.078, de 11 de setembro de 1990. Brasília, DF, Diário Oficial da União, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078.htm Acesso em: 4 mar. 2020.

BROOKES, B. C. The foundation of Information Science. Journal of Information Science, Cambridge, v. 2, p. 125-133,1980.

BUCKLAND, Michel. Information as thing. Journal of American Society of Information Science, [s. l.], v. 42, n. 5, p. 351-360, 1991.

CAPURRO, Rafael. Epistemologia e Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5., 2003, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: Associação Nacional de Pesquisa e PósGraduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia, 2003.

CASTRO, Cesar. História da Biblioteconomia brasileira. Brasília, DF: Thesaurus, 2000.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

CONSELHO NACIONAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. Audiência pública da Anvisa trata sobre rotulagem de alergênicos em alimentos. Publicado em 12 de maio de 2015. Disponível em:

http://www4.planalto.gov.br/consea/comunicacao/noticias/2015/maio/audienciapublica-daanvisa-trata-sobre-rotulagem-de-alergenicos-em-alimentos. Acesso em: 13 maio. 2020.

COSTA, Luciana Ferreira da; SILVA, Alan Curcino da; RAMALHO, Francisca Arruda. (Re) visitando os estudos de usuários: entre a tradição e o alternativo. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 10, n. 4, ago. 2009.

COSTA, Maria de Fátima Oliveira. Concepções dos estudos de usuários na visão dos professores dos cursos de Biblioteconomia brasileiros. 2014. 237 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, Universidade Estadual Paulista, 2014. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/110779. Acesso em: 10 mar. de 2020.

COSTA, Maria de Fátima Oliveira. Estudos de usuários da informação: ensino e aprendizagem no Brasil. Fortaleza: Edições UFC, 2016.

COULON, Alan. Etnometodologia. Petrópolis: Vozes, 1995.

CHOO, Chun Wei. Como ficamos sabendo: um modelo de uso da informação. In:

CHOO, Chun Wei A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003. p. 63-120.

CHAPMAN, Jean. A. et al. Food allergy: a practice parameter. Annals of Allergy Asthma & Immunology. [s. l.], 2006. p. 51-68. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25174862/. Acesso em: 21 dez. 2020.

CUNHA, Murilo Bastos da; AMARAL, Sueli Angelica do; DANTAS, Edmundo Brandão. Fundamentos e modelos teóricos para o desenvolvimento dos estudos de usuários. In: Manual de estudos de usuários da informação. São Paulo: Atlas, 2015.

DERVIN, Brenda; NILAM, M. Information need and user. Annual Review of information Science and Technology, White Plains, v. 21, p. 3-33, 1986.

DUARTE, Adriana Bogliolo Sirihal. Mediação da informação e estudos de usuários: interrelações. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v. 3, n.1, p. 70-86, jan./jun., 2012. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/42370&gt. Acesso em: 17 jun. 2019.

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto. Novos paradigmas e novos usuários de informação. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 25, n. 2, p. 1-10, ago.1995. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/660. Acesso em: 17 jun. 2020.

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. O Processo de transferência da informação. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 8, n. 2, p. 119-138, dez.1979.

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Estudos de uso e usuários da informação. Brasília, DF: IBICT, 1994.

FLICK, Uwe. Introdução a metodologia da pesquisa: um guia para iniciantes. Porto Alegre: Penso, 2013.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias; COSTA, Sely Maria de Souza. Evolução teórica-metodológica dos estudos de comportamento informacional de usuários.

Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 39 n. 1, p.21-32, jan./abr. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v39n1/v39n1a02. Acesso em: 10 out. 2018.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2014.

GOFFMAN, Erving. Frame analysis: an essay on the organization of experience. New York: Harper, 1986.

GOFFMAN, Erving. Os quadros da experiência social: uma perspectiva de análise. Petrópolis: Vozes, 2012. 720 p.

HAGUETTE, Tereza Maria Frota. Metodologias qualitativas na sociologia. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

HERITAGE, John C. Etnometodologia. In: GIDDENS, Anthony e TURNER, Jonathan (org.). Teoria Social Hoje. São Paulo: UNESP, 1999.

HJØRLAND, Birger. Theoretical development of Information Science: a brief history. University of Copenhagen, Copenhagen, 2017. Disponível em:

https://research.ku.dk/search/?pure=en%2Fpublications%2Ftheoretical-developmentof-information-science-a-brief-history(b94a5382-3c13-455f-8417-8a2b024af4b9).html. Acesso em: 30 jun. 2019.

KUHLTHAU, Carol. Por dentro do processo de busca: a procura de informação da perspectiva do usuário. Journal of the American Society for Information Science, New York, v. 42, n. 5, p. 361-371, 1991.

LEMOS, Antônio Agenor Briquet de. Estado atual do ensino da Biblioteconomia no Brasil e a questão da Ciência da Informação. Revista de Biblioteconomia, Brasília, DF, v. 1, n.1, p. 51-58, jan./jun. 1973.

MARTELETO, Regina Maria.Cultura da modernidade: discussões e práticas informacionais. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 23, n. 21, p. 115-137, jul/dez.1994. Disponível em:

https://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000002738/1a36511429b9c2b19939

e84cbf/. Acesso em: 12 abr. 2019.

MARTELETO, Regina Maria. Cultura informacional: construindo o objeto informação pelo emprego dos conceitos de imaginário, instituição e campo social. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 24, n. 1, abr. 1995. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/viewFile/613/615. Acesso em: 12 fev. 2020.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MCKENZIE, Pamela J. A model of information practices in accounts of everyday-life information seeking. Journal of Documentation, London, v. 59, n. 1, p. 19-40, 2003. Disponível em:

http://www.emeraldinsight.com/doi/abs/10.1108/00220410310457993. Acesso em: 19 maio. 2019.

MOLINA, Juan Carlos Fernández; MOYA-ANEGÓN, Félix. Perspectivas epistemológicas humanas en la documentación. Revista Española de Documentación Científica, Espanha, v. 25, n. 3, set. 2002. Disponível em:

https://www.researchgate.net/publication/45363788_Perspectivas_epistemologicas_

humanas_en_la_documentacion. Acesso em: 30 nov. 2019

MONTANARI, Massino. Comida como cultura. 2. ed. São Paulo: Editora SENAC, 2013.

MOVIMENTO PÕE NO RÓTULO. Mães em luta. Belo Horizonte, 19 maio. 2016. Facebook. Disponível em: https://www.facebook.com/poenorotulo/?fref=ts. Acesso em: 10 abr. 2020.

NASCIMENTO, Maria de Jesus. Usuário da informação como produção científica e disciplina curricular: origem dos estudos e o ensino no Brasil. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 8, n. 2, p. 41-71, jan./jun. 2011. Disponível em:

https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1933/2054. Acesso em: 20 abr. 2020.

NUNES, Jefferson Veras; ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. A Etnografia como ferramenta metodológica para a pesquisa de redes sociais na internet. In: BENTES PINTO, Virginia; Vidotti, Silvana Aparecida Borsetti Gregório; CAVALCANTE, Lidia Eugênia. Aplicabilidades Metodológicas em Ciência da Informação. Fortaleza: Edições UFC, 2015. p. 49-72.

ORTEGA, Cristina Dotta. Relações históricas entre Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 5, n. 5, out. 2004. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/article/download/7649. Acesso em: 10 nov. 2019.

ORTIZ, Renato (org.). Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

ØROM, Anders. Information Science, historical changes and social aspects: a Nordic outlook. Journal of documentation, London, v. 56, n. 1, p. 12-26, 2000.

PARAHYM, Orlando da Cunha. Antropologia e alimentação. Rio de Janeiro: FENAME, 1970.

PINHEIRO, L. V. R. Processo evolutivo e tendências contemporâneas da Ciência da Informação. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 15, n. 1, p. 13-48, jan./jun. 2005. Disponível em: http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/51/1521. Acesso em: 25 ago. 2019.

POMIECINSKI, Fabiane et al. Estamos vivendo uma epidemia de alergia alimentar ?. Rev Bras Promoção em Saúde, Fortaleza, v. 30, n.3, p. 1-3, jul./set. 2017. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/7080. Acesso em: 20 fev. 2020.

RABELLO, Odília Crark Peres. O usuário nos currículos de Biblioteconomia. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 179-192, set. 1981. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/77309. Acesso em: 08 abr. 2020.

RAYWARD, W. B. The case of Paul Otlet, pioneer of information science, internationalist, visionary: reflections on biography. Journal of Librarianship and Information Science, London, v. 23, n. 23, p. 135-145, 1991. Disponível em: http://people.lis.illinois.edu/ wayward/outlet/PAUL_OTLET_REFLECTIONS_ON_BIOG.HTM. Acesso em: 31 mar. 2020.

RECUERO, Raquel. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na Internet. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012.

ROCHA, Eliane Cristina de Freitas; GANDRA, Tatiane Krempser; ROCHA, Janicy Aparecida Pereira. Práticas informacionais: nova abordagem para os estudos de usuários da informação. Biblios: Journal of Librarianship and Information Science, Peru, n. 68, p. 96-109. 2017. Disponível em:

https://biblios.pitt.edu/ojs/index.php/biblios/article/view/445. Acesso em 10 out. 2020.

ROCHA, Janicy Aparecida Pereira; DUARTE, Adriana Bogliolo Sirihal; PAULA, Claudio Paixão Anastácio de. Modelos de práticas informacionais. Revista em Questão, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 36-61, jan./abr. 2017. Disponível em:

http://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/67014/39098. Acesso em: 10 jan. 2020.

RODRIGUES, Marisa Loio Rainho. Intolerâncias alimentares. 2011. 86 f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra, Coimbra, 2011. Disponível em:

https://eg.uc.pt/bitstream/10316/80971/1/Intoler%C3%A2ncias%20Alimentares.pdf. Acesso em: 21 dez. 2020.

RUSSO, Mariza. Fundamentos de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Rio de Janeiro: E-papers Serviços editoriais, 2010.

SARACEVIC, Tefko. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspec. Ci. Inf., Belo Horizonte, v.1, n.1, p. 41-62, jan./jun. 1996. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/235/22. Acesso em: 09 abr. 2019.

SAVOLAINEN, Reijo. Everyday life information seeking: approaching information seeking in the context of “way of life”. Library & Information Science Research, Amsterdam, v. 17, n. 3, p. 259-294, 1995. Disponível em:

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/0740818895900489. Acesso em: 20 fev. 2020.

SAVOLAINEN, Reijo. Information behavior and information practice: reviewing the umbrella concepts of information-seeking studies. The Library Quarterly, Chicago, v. 77, n. 2, p. 109-132, abr. 2007. Disponível em:

https://www.journals.uchicago.edu/doi/pdfplus/10.1086/517840. Acesso em: 10 nov. 2020.

SAVOLAINEN, R. Conceptualizing information need in context. Information Research, Suécia, v. 17, n. 4, p. 534-547, dez. 2012. Disponível em: http://www.informationr.net/ir/17-4/paper534.html#.WhXoAlWnHIU. Acesso em 15 nov. 2019.

SAVOLAINEN, Reijo. Approaches to sociocultural barriers to information seeking. Library & Information Science Research, Amsterdam, v. 38, p. 52-59, jan. 2016. Disponível em: Approaches to socio-cultural barriers to information seeking-ScienceDirect. Acesso em: 21 abr. 2021.

SILVA, Marciana Siqueira da. Rótulos de alimentos e tabelas de informação nutricional como fontes de informação. 2016. 69 f. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) - Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

SHANNON, C. A Mathematical theory of communication. Bell System Technical Journal, Nova York, v. 27, p.379-423, out. 1948.

SOLÉ, Dirceu et al. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2018. Revista brasileira de alergia e imunopatologia, São Paulo, v. 2, n. 1, jan./ mar. 2018. Disponível em: http://aaai-bai.org.br/detalhe_artigo.asp?id=851. Acesso em: 12 nov. 2019.

SOUZA, Francisco das Chagas de. O ensino da Biblioteconomia no contexto brasileiro: século XX. 2. ed. rev. Florianopolis: Ed. da UFSC, 2009.

TALJA, Sanna. The domain analytic approach to scholar's information practices. In: FISHER, Karen; ERDELEZ, Sanda; MCKECHNIE, Lynne. Theories of Information Behavior. Medford: Information Today, 2005.

TANUS, Gabrielle Francine S. C. Enlace entre os estudos de usuários e os paradigmas da Ciência da Informação: de usuário a sujeito pós-modernos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 144-173, jul./dez. 2014. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/290/384. Acesso em: 10 fev. 2020.

TANUS, Gabrielle Francine de S. C. (Re) visitando os caminhos do ensino da Biblioteconomia no Brasil. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 14. 2018. Número especial. Disponível em:

https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1102. Acesso em: 10 fev. 2020.

TUOMINEN, Kimmo; SAVOLAINEN, Reijo. A social constructionist approach to the study of information use as discursive action. In: VAKKARI, Pertti; SAVOLAINEN, Reijo; DERVIN, Brenda. Proceedings of an international conference on Information seeking in context. London: Taylor Graham, 1997. p. 81-96.

TUOMINEN, Kimmo; TALJA, Sanna; SAVOLAINEN, Reijo. The social construcionist viewpoint on information practices. In: FISHER, Karen E.; ERDELEZ, Sanda; MCKECHNIE, Lynne. Theories of information behavior. 2. ed. New Jersey: ASIS&T, 2006. p. 328-333.

VECHIATO, Fernando Luiz. Perspectivas de estudos com sujeitos informacionais no contexto da Ciência da Informação: um enfoque na serendipidade. Fortaleza: 40º Seminário de Informação. 2019. 39 slides.

VECHIATO, Fernando Luiz; FARIAS, Gabriela Belmont de. Serendipidade no contexto da Ciência da Informação: perspectiva para os estudos com sujeitos informacionais. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, v. 25, p. 1-23, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2020.e72056. Acesso em: 19 mar. 2021.

WILSON, Thomas.D. Human information behavior. Information Science Research, [s . l.]. v.3, n.2, p. 49-55, 2000. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Tom_Wilson25/publication/270960171_Human_

Information_Behavior/links/57d32fe508ae601b39a42875/Human-InformationBehavior.pdf. Acesso em: 10 abr. 2020.

WILSON, Thomas D. On user studies and information needs. Journal of Documentation, London, v. 62, n. 6, p. 658-670, 2006. Disponível em: https://pdfs.semanTICcholar.org/c402/314407034f3670ce1db0a41d07cee0349a1e.pdf. Acesso em: 10 out. 2020.

YEOMAN, Alison. Applying McKenzie's model of information practices in everyday life information seeking in the context of menopause transition. Information Research, Lund, v. 15, n. 4, 2010. Disponível em: http://InformationR.net/ir/15-4/paper444.html. Acesso em: 12 nov. 2019.

ZAHER, C. R. Entrevista: Célia Ribeiro Zaher. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 24, n. 1, abr. 1995. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/604/606. Acesso em: 18 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2022-08-22

Como Citar

SILVA, Marciana Siqueira da. Práticas informacionais no cotidiano de pessoas com restrições decorrentes de alergias e intolerâncias alimentares. Informação em Pauta, [S. l.], v. 7, n. 00, p. 1–3, 2022. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v7i00.2022.81248.1-3. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/81248. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Resumos de Dissertações e Teses