Os documentos de arquivo e a preservação de um patrimônio

a importância do acervo das pedras litográficas para o Núcleo de Arte Contemporânea da Universidade Federal da Paraíba (NAC/UFPB)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v8i0.2023.85173.1-22

Palavras-chave:

Acervo. Pedras litográficas. Preservação. Núcleo de Arte Contemporânea. Universidade Federal da Paraíba.

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar as formas de documentação/obras do acervo de pedras litográficas do Núcleo de Arte Contemporânea da Universidade Federal da Paraíba (NAC/UFPB) e estabelecer o contexto no qual essas imagens eram produzidas, iniciando pela própria técnica: a litografia. Nosso percurso metodológico é construído a partir da pesquisa do tipo bibliográfica e descritiva, e abordou um tema ainda pouco estudado no âmbito da Arquivologia, caracterizando-se, portanto, como de caráter exploratório. Constata-se que diante da diversidade de informações e com o desenvolvimento de diferentes técnicas e métodos de organização documental, nos deparamos com um acervo de pedras litográficas, quase em sua totalidade abandonado. Assim, elencamos de maneira geral a situação do acervo de pedras litográficas do NAC/UFPB, por ser um espaço silenciado e esquecido, porém seus arquivos e relíquias, são de suma importância para nossa sociedade e trajetória. Conclui-se que é perceptível a necessidade da preservação da documentação armazenada nos arquivos, uma vez que os documentos públicos podem e devem ser acessíveis à sociedade. No entanto, é imprescindível a intervenção do Estado no que se refere à organização e salvaguarda, para, posteriormente, tornar o acervo acessível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Alves Ribeiro, Universidade Federal da Paraíba

Arquivista pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Geysa Flávia Câmara de Lima, Universidade Federal da Paraíba

Professora do Departamento de Ciência da Informação/UFPB. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2019). Mestra em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2008). Especialista em Gestão em Unidades de Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2008). Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (2001). Os principais temas de sua atuação envolvem gestão da informação, memória e sociedade, organização, acesso e uso da informação, inclusão e acessibilidade.

Lucas Lima Santos, Universidade Federal da Paraíba

Arquivista da Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (2023). Especialista em Gestão de Documentos e Informações pela Unyleya (2020). Graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Paraíba (2018).

Referências

BELLOTTO, H. L. Arquivos: estudos e reflexões. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

BRANDI, C. Teoria da restauração. Cotia: Ateliê Editorial, 2005.

BRASIL. Arquivo Nacional. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

BRASIL. Arquivo Nacional. Gestão de documentos: curso de capacitação para os integrantes do Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo – SIGA, da administração pública federal. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 3 set. 2021.

BRASIL. Decreto-lei nº 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Diário Oficial da União, Rio de Janeiro, 6 dez. 1937. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del0025.htm. Acesso em: 03 set. 2021.

CASTRO, C. Pesquisando em arquivos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. Tradução de: Luciano Vieira Machado. 3. ed. São Paulo: Unesp, 2006.

CLÍMACO, C. T. de S. Manual de litografia sobre pedra. Goiânia: Editora UFG, 2000.

COSTA, R. V. A dimensão constitucional do patrimônio cultural: o tombamento e o registro sob a ótica dos direitos culturais. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2011.

DUARTE JÚNIOR, R. Produção arquitetônica, cultura e patrimônio: a arquitetura cearense. Aspectos: Revista do Conselho Estadual da Cultura e do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural do Estado do Ceará, Fortaleza, v. 25, p. 26-35, 2006.

FALCÃO, S. Um gigante adormecido. 2007. Blog overmundo. João Pessoa, 31 mar. 2007. Disponível em: www.overmundo.com.br/overblog/um-gigante-adormecido. Acesso em: 03 set. 2021.

GASPARINI, A. Tombamento. In: GASPARINI, A. Tombamento e direito de construir. Belo Horizonte: Fórum, 2005. cap. 3, p. 41-70.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2013.

HEITLINGER, P. A litografia (1796-hoje). Tipógrafos, 2007. Disponível em: http://tipografos.net/tecnologias/litografia.html#:~:text=Senefelder%20descreveu%20a%20sua%20descoberta,gravava%20com%20uma%20solu%C3%A7%C3%A7%C3%A3o%20n%C3%ADtica. Acesso em 5 set. 2021.

HESPANHA, A. História e arte na rocha: marcas e rótulos gravados em pedras litográficas registram história de Minas na primeira metade do século 20. Boletim da UFMG, n. 1428, ano 30, 3 abr. 2004. Disponível em: https://www.ufmg.br/boletim/bol1428/sexta.shtml. Acesso em: 3 set. 2021.

JORGE, A.; GABRIEL, M. Técnicas da gravura artística: xilogravura, linóleo, calcografia, litografia. 2. ed. Lisboa: Livros Horizonte, 2000.

MORAIS, F. Antonio Dias: não acho mais graça no público das próprias graças. O Globo, Rio de Janeiro, 16 abr. 1979.

PAES, M. L. Arquivo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

PONTUAL, R. O Núcleo cresce e amadurece. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21 set. 1978.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA. Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão. Resolução n. 33, de 8 de julho de 1980. João Pessoa: CONSEPE, 1980.

Publicado

2023-10-14

Como Citar

RIBEIRO, Thiago Alves; LIMA, Geysa Flávia Câmara de; SANTOS, Lucas Lima. Os documentos de arquivo e a preservação de um patrimônio: a importância do acervo das pedras litográficas para o Núcleo de Arte Contemporânea da Universidade Federal da Paraíba (NAC/UFPB). Informação em Pauta, [S. l.], v. 8, p. 1–22, 2023. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v8i0.2023.85173.1-22. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/85173. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos