Práticas informacionais em ambiente digital

os produtores de conteúdo audiovisual de educação crítica no YouTube

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36517/2525-3468.ip.v8iesp.2023.90654.137-159

Palavras-chave:

Práticas informacionais, Competência crítica em informação, Cultura digital, Educação crítica, YouTube

Resumo

A construção de uma consciência crítica é imprescindível para a emancipação dos sujeitos frente aos desafios econômicos, políticos, sociais e tecnológicos desta nova cultural digital, marcada pela plataformização, dataficação da vida e performatividade algorítmica, e por distopias informacionais como desinformação, fake news, pós-verdade e infodemia. Tal consciência pode ser fomentada através de diferentes iniciativas, institucionais ou não, a partir de práticas informacionais críticas que levem os sujeitos a agir (individual e coletivamente) no sentido de transformar a realidade a seu redor. Desse modo, este artigo tem como objetivo apresentar um levantamento dos canais do Youtube que se autodenominam marxistas e produzem conteúdo educativo crítico capaz de proporcionar a construção da competência crítica em informação por parte dos sujeitos. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de abordagem quantiqualitativa, em que os dados foram coletados a partir de pesquisa de campo, por meio da etnografia virtual. Recuperou-se um total de 28 canais que fomentam a educação crítica no YouTube, dos quais foram recuperados, dentre outras coisas, data de criação, número de vídeos publicados e número de inscritos. Percebeu-se que estes canais buscam promover a consciência crítica nos sujeitos, a partir de discussões sobre conceitos e conjunturas sociais que permeiam nosso cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edvaldo Alves, Universidade Federal da Paraíba

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (2000), Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2002) e Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2007). Atualmente é Professor Associado do Departamento de Ciência da Informação (DCI) e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), onde leciona, desenvolve e orienta pesquisas nas áreas da Sociologia e da Ciência da Informação, com ênfase em: Sociologia digital e da informação, Economia Política da Informação, Metodologia da Pesquisa em Ciência da Informação, Práticas Informacionais, Mediação, Acesso, Uso e Impactos da informação.

Fellipe Brasileiro, Universidade Federal da Paraíba

Doutor e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Graduado em Comunicação Social pela UFPB (Habilitação em Relações Públicas). Pós-Doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais pela Universidade de Aveiro (UA), Portugal. Professor Adjunto do Departamento de Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFPB. Professor Visitante no Digital Media and Interaction Research Centre (DigiMedia) do Departamento de Comunicação e Arte (UA) pelo Programa PVEX da CAPES (2019-2020). Professor permanente da Escola de Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2014). Oficial de Comunicação Social no Exército Brasileiro (2004-2010). Vice-Coordenador e Coordenador do Curso de Relações Públicas da UFPB (2018-2020 e 2021). Editor da Revista Culturas Midiáticas (2019-2020). Co-lider do Grupo de Estudo e Pesquisa em Sociologia, Comunicação e Informação (GEPSCI/UFPB/CNPq). Membro do Grupo Comunicação, Redes e Políticas de Informação (UFRJ/CNPq). Colabora com o Grupo de Pesquisa eHealth and Wellbeing do DigiMedia da UA. Desenvolve pesquisas qualitativas acerca dos temas: Experiência e letramento do usuário na perspectiva das práticas informacionais e comunicacionais; Resiliência informacional de comunidades, coletivos, organizações e países; Comunicação estratégica e operações de informação-psicológicas em contextos de guerra híbrida; Mediações comunicativas e informação em saúde/bem-estar; Políticas de informação e comunicação para a cultura de paz.

Referências

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION (ALA). Presidential Committee on Information Literacy. Chicago, 2021. Disponível em: http://www.ala.org/acrl/publications/whitepapers/presidential. Acesso em: 10 abr. 2021.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. O que são “Práticas Informacionais”? Informação em Pauta, v. 2, n. especial, p. 217-236, out. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/20655/31084. Acesso em: 2 ago. 2021.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Dos estudos de usuários da informação aos estudos em práticas informacionais e cultura: uma trajetória de pesquisa. Informação em Pauta, v. 4, p. 121–135, 13 maio 2019. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/41209. Acesso em: 1 ago. 2021.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Os estudos em Práticas Informacionais no âmbito da Ciência da Informação. In: ALVES, Edvaldo Carvalho et al. (Org.). Práticas Informacionais: reflexões teóricas e experiências de pesquisa. João Pessoa: Editora UFPB, 2020. p. 400.

ARTHURS, Jane; DRAKOPOULOU, Sophia; GANDINI, Alessandro. Researching YouTube. Convergence: The International Journal of Research into New Media Technologies, v. 24, n. 1, p. 3–15, fev. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1354856517737222. Acesso em: 10 ago. 2021.

ASSOCIATION OF COLLEGE & RESEARCH LIBRARIES (ACRL). Information literacy competency standards for higher education. Disponível em: https://alair.ala.org/handle/11213/7668. Acesso em: 23 abr. 2021.

BEER, David. The social power of algorithms. Information, Communication & Society, v. 20, n. 1, p. 1–13, 2017. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/1369118X.2016.1216147. Acesso em: 2 ago. 2021.

BEZERRA, Arthur Coelho. Vigilância e filtragem de conteúdo nas redes digitais: desafios para a competência crítica em informação. In: XVI ENANCIB, 2015, João Pessoa. Anais [...], PPGCI/UFPB, 2015. Disponível em: https://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/923/1/2716-6796-1-PB.pdf. Acesso em: 5 ago. 2021.

BEZERRA, Arthur Coelho; SCHNEIDER, Marco; BRISOLA, Anna. Pensamento reflexivo e gosto informacional: Disposições para competência crítica em informação. Informacão e Sociedade, v. 27, n. 1, p. 7–16, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/31114. Acesso em: 4 ago. 2021.

BRISOLA, Anna Cristina. Competência crítica em informação como resistência à sociedade da desinformação sob um olhar freiriano: diagnósticos, epistemologia e caminhos ante as distopias informacionais contemporâneas. 2021.Tese (Doutotado em: Ciência da Informação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ, 2021. Disponível em: https://ridi.ibict.br/bitstream/123456789/1165/1/BRISOLA_ANNA_TESE_A%20CCI%20como%20Resist%c3%aancia.pdf. Acesso em: 7 ago. 2021.

BRISOLA, Anna Cristina; ROMEIRO, Nathália Lima. A competência crítica em informação como resistência: uma análise sobre o uso da informação na atualidade. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 14, n. 3, p. 68–87, 2018. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1054. Acesso em: 7 ago. 2021.

BURGESS, Jean; GREEN, Joshua. YouTube e a revolução digital. 1. ed. São Paulo: [s.n.], 2009.

CURRAN, James. Rethinking Internet History. In: CURRAN, James; FENTON, Natalie; FREEDMAN, Des (Org.). Misunderstanding the internet. Abingdon: Routledge, 2012. p. 34–64. Disponível em: https://courses.helsinki.fi/sites/default/files/course-material/4511752/CURRAN%20ET%20AL_Misunderstanding%20the%20internet.pdf. Acesso em: 1 ago. 2021.

DOHERTY, John J. No Shhing: Giving voice to the silenced: An essay in support of critical information literacy. Library Philosophy and Practice, v. 2007, n. June, 2007. Disponível em: https://digitalcommons.unl.edu/libphilprac/133/. Acesso em: 10 ago. 2021.

DOHERTY, John J.; KETCHNER, Kevin. Empowering the intentional learner: a critical theory for information literacy instruction. Library Philosophy and Practice, v. 8, n. 1, 2005. Disponível em: http://digitalcommons.unl.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1062&context=libphilprac. Acesso em: 10 ago. 2021.

DOYLE, Andréa. Ideologia e competência crítica em Informação: um olhar para movimentos de biblioteconomia crítica. Folha de Rosto, v. 4, n. 1, p. 25–33, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/folhaderosto/article/view/274. Acesso em: 12 ago. 2021.

DOURISH, Paul; GÓMEZ CRUZ, Edgar. Datafication and data fiction: Narrating data and narrating with data. Big Data and Society, v. 5, n. 2, p. 1–10, 2018. Disponível em:https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/2053951718784083. Acesso em: 10 ago. 2021

ELMBORG, James. Critical information literacy: definitions and challenges. In: WILKINSON, CARROLL WETZEL; BRUCH, COURTNEY (Org.). Transforming information literacy programs: Intersecting frontiers of self, library culture, and campus community. Chicago: Association of College and Research Libraries, 2012. Disponível em: http://ir.uiowa.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1013&context=slis_pubs. Acesso em: 13 ago. 2021.

FIGUEIREDO, Carlos. Algoritmos , subsunção do trabalho , vigilância e controle : novas estratégias de precarização do trabalho e colonização do mundo da vida. Revista Eptic,v. 21, n.1, jan-abr. 2019. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/eptic/article/view/10921. Acesso em: 12 ago. 2021.

GILLESPIE, Tarleton. The politics of “platforms”. New Media and Society, v. 12, n. 3, p. 347–364, 2010. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1461444809342738. Acesso em: 16 ago. 2021.

HAN, Byung-Chul. No enxame: perspectivas do digital. Petrópolis: Vozes, 2018.

LATOUR, Bruno. An inquiry into modes of existence: an anthropology of the moderns. Cambridge: Harvard University Press, 2013.

LEMOS, André. A tecnologia é um vírus: pandemia e cultura digital. 1. ed. Porto Alegre: Sulina, 2021a. E-book.

LEMOS, André. Dataficação da vida. Civitas - Revista de Ciências Sociais, v. 21, n. 2, p. 193–202, 2021b.

LEMOS, André. Plataformas, datificação e performatividade algorítmica (PDPA): desafios atuais da cibercultura. In: PRATA, Nair; PESSOA, Sônia Caldas (Org.). Fluxos comunicacionais e Crise da Democracia. São Paulo: Intercom, 2020. p. 188. Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/ebooks/arquivos/fluxos30112020.pdf. Acesso em: 20 ago. 2021.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 8. ed. Porto Alegre: Sulina, 2015.

LEMOS, André. Cibercultura: alguns pontos para compreender a nossa época. In: LEMOS, André; CUNHA, Paulo (Org.). Olhares sobre a Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003. p. 11–23. Disponível em: https://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/andrelemos/cibercultura.pdf. Acesso em: 20 ago. 2021.

MAI, Jens Erik. Big data privacy: The datafication of personal information. Information Society, v. 32, n. 3, p. 192–199, 2016. Disponível em: http://www.jenserikmai.info/Papers/2016_BigDataPrivacy.pdf. Acesso em: 21 ago. 2021.

MORGAN-THOMAS, Anna; DESSART, Laurence; VELOUTSOU, Cleopatra. Digital ecosystem and consumer engagement : A socio-technical perspective. Journal of Business Research, v. 121, n. January, p. 713–723, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jbusres.2020.03.042. Acesso em: 25 ago. 2021.

POELL, Thomas; NIEBORG, David; VAN DIJCK, José. Plataformização. Fronteiras - estudos midiáticos, v. 22, n. 1, p. 2–10, 2020. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/fem.2020.221.01. Acesso em: 27 ago. 2021.

REDDEN, Joanna. Democratic governance in an age of datafication: Lessons from mapping government discourses and practices. Big Data and Society, v. 5, n. 2, p. 1–13, 2018. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/full/10.1177/2053951718809145. Acesso em: 29 ago. 2021.
ROCHA, Janicy Aparecida Pereira; GANDRA, Tatiane Krempser. Práticas informacionais: elementos constituintes. Informação & Informação, v. 23, n. 2, p. 566, 2018. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/28857. Acesso em: 23 ago. 2021.

SAVOLAINEN, Reijo. Everyday information practices: a social phenomenological perspective. Lanham: Scarecrow Press, 2008.

SAVOLAINEN, Reijo. Information behavior and information practice: reviewing the “umbrella concepts” of information-seeking studies. Library Quarterly, v. 77, n. 2, p. 109–132, 2007. Disponível em: https://www.journals.uchicago.edu/doi/10.1086/517840. Acesso em: 12 ago. 2021.

SIRIHAL DUARTE, Adriana Bogliolo; ARAUJO, Carlos Alberto Ávila; PAULA, Cláudio Paixão Anastácio De. Práticas informacionais: desafios teóricos e empíricos de pesquisa. Informação em Pauta, v. 2, p. 1–26, 2017. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/20650. Acesso em: 13 ago. 2021.

SRNICEK, Nick; SUTTER, Laurent De. Platform capitalism. 1. ed. Cambridge: Polity Press, 2016.

SOCIALBLADE. Analytics Made Easy. Disponível em: https://socialblade.com/. Acesso em: 24 ago. 2021.

VAN DIJCK, José; POELL, Thomas; WAAL, Martijn De. The platform society. New York: Oxford University Press, 2018.

VITORINO, Elizete Vieira; PIANTOLA, Daniela. Competência informacional – bases históricas e conceituais: construindo signi ficados. Ciência da Informação, v. 38, n. 3, p. 130–141, 2009. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1236. Acesso em: 24 ago. 2021.

WILLIAMS, Raymond. Televisão: tecnologia e forma cultural. São Paulo/Belo Horizonte: Boitempo/PUC Minas, 2016.

Downloads

Publicado

2023-07-25

Como Citar

MELO, Daniella; CARVALHO ALVES, Edvaldo; SÁ BRASILEIRO, Fellipe. Práticas informacionais em ambiente digital: os produtores de conteúdo audiovisual de educação crítica no YouTube. Informação em Pauta, [S. l.], v. 8, n. esp, p. 137–159, 2023. DOI: 10.36517/2525-3468.ip.v8iesp.2023.90654.137-159. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/90654. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Mediação, Circulação e Apropriação da Informação - GT 3 ENANCIB