RESSIGNIFICAÇÕES DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS NO ESTADO CAPITALISTA: ensino médio e educação profissional

Autores

  • Erika Roberta Silva de Lima Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
  • Francisca Natália da Silva Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
  • Lenina Lopes Soares Silva Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte - IFRN

DOI:

https://doi.org/10.29148/labor.v2i18.33501

Palavras-chave:

Estado, Políticas Públicas, Ensino Médio, Educação Profissional, Integração,

Resumo

RESUMO

O Estado como interventor dos problemas sociais cria medidas de inclusão social por meio da implementação de políticas para atender a públicos específicos. Neste artigo temos como objetivo discutir as (re)ssignificações das políticas de integração entre ensino médio e educação profissional no contexto do Estado capitalista, observando o modelo de Estado brasileiro vigente e as ações desencadeadas para elaboração das políticas públicas educacionais. Para alcançar o objetivo proposto neste trabalho, adotou-se, como percurso metodológico, a pesquisa bibliográfica e a documental. Na revisão bibliográfica, dialogou-se, dentre outros, com trabalhos de: Ianni (1971), Carnoy (1988), Santos (1982), Afonso (2001) e Höfling (2001), discutindo-se as concepções de Estado e suas transformações no contexto da sociedade moderna; Bomfim (2008), apresentando a formação do Estado brasileiro e Moura (2012), Kuenzer (2009), Santos (2007), Ciavatta e Ramos (2011) e Kuenzer e Grabowski (2006), abordando as reformas e organização do Ensino Médio e da Educação Profissional. Concomitantemente à revisão bibliográfica, foi realizada uma pesquisa documental com o intuito de compreender como as políticas públicas são fixadas na literatura oficial. Esta última contou com os seguintes documentos: Decreto nº 2.208/1997, Decreto nº 5.154/2004, Decreto nº 6.302/2007 e Decreto nº 6.094/2007. Nesse sentido, a política apresenta-se como um ato que demanda ações e práticas, amparadas por leis, decretos e normas e que esses podem servir para conduzir as tramas das relações sociais e econômicas de forma reprodutora e/ou transformadora.

ABSTRACT

The State as an intervener of social problems creates measures of social inclusion through the implementation of policies to attend specific audiences. The aim of this article is to discuss the (re)significations of the policies of integration between Secondary and Professional Education in the context of the capitalist State, observing the current Brazilian State model and the actions taken to elaborate the educational public policies. In order to accomplish the objective of this work, a bibliographical and documentary research was adopted as a methodological course. In the bibliographical review, there was a dialogue, among others, with works by: Ianni (1971), Carnoy (1988), Santos (1982), Afonso (2001) and Höfling (2001), discussing the conceptions of the State and its transformations in the context of modern society;  Bonfim (2008), presenting the formation of the Brazilian State and Moura (2012), Kuenzer (2009), Santos (2007), Ciavatta & Ramos (2011) and Kuenzer & Grabowski (2006), addressing the reforms and organization of Secondary  and Professional Education. Concomitantly to the bibliographic review, a documentary research was carried out in order to understand how public policies are laid down in the official literature. This last one was based on the following documents: Decree number 2.208/1997, Decree number 5.154/2004, Decree number 6.302/2007 and Decree number 6.094/2007. In this sense, policies are acts that demand actions and practices, supported by laws, decrees and norms and these can serve to conduct the fabric of social and economic relations in a reproductive and/or a transformative way.

Biografia do Autor

Erika Roberta Silva de Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Mestre em educação pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte- Professora substituta no curso de Letras na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Francisca Natália da Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Mestre em educação pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Professora substituta no curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN)

Lenina Lopes Soares Silva, Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte - IFRN

Professora Doutora do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional (PPGEP/IFRN).

Referências

AFONSO, Almerindo Janela. Reforma do Estado e Políticas Educacionais: entre a crise do Estado-Nação e a emergência da regulação supranacional. Educação & Sociedade, Campinas, n. 21, p. 15-32, ago. 2001.

ANDERSON, Perry. Balanço do neoliberalismo. In: SADER, Emir; GENTILI, Pablo. (Org.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

BOMFIM, Manoel. A América Latina: males de origem. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Constituição de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1988/constituicao-1988-5-outubro-1988-322142-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 30 de julho/2017

_________. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, 1996.

_____. Presidência da República. Decreto nº. 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os artigos 39 a 42 da Lei federal nº. 9.394/96. Brasília, DF: 17 abr. 1997.

_____. Presidência da República. Decreto 5.154, de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os Arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Brasília, 2004.

______. Ministério da Educação. Decreto n.º 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Brasília, 2007a. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20072010/2007/decreto/d6094.htm>. Acesso em: 18 abri. 2014.

______. Ministério da Educação. Decreto 6.302/2007 – Institui o Programa Brasil Profissionalizado, Brasília, 2007c.

Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6302.htm>. Acesso em: 02 mai. 2014.

______. Ministério da Educação. Resolução/FNDE/CD/ Nº 062, de 12 de

Dezembro de 2007 - Estabelece as diretrizes para a assistência financeira a Estados, Distrito Federal e Municípios no âmbito do Programa Brasil Profissionalizado, Brasília, 2007.

CARNOY, Martin. Estado e Teoria Política. 2. ed. Campinas: Papirus, 1988.

CIAVATTA, Maria, RAMOS, Marise. Ensino Médio e Educação Profissional no Brasil: dualidade e fragmentação. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 5, n. 8, p. 27-41,

jan./jun. 2011.

DIAS, Darli de Souza. Monitoramento. In: CASTRO, Carmem Lúcia Freitas;

GONTIJO, Cynthia Rúbia Braga; AMABILE, Antônio Eduardo de Noronha. (Org.).

Dicionário de políticas públicas. Barbacena: EdUEMG, 2010.

DOURADO, Luiz Fernandes. (Org.). Plano Nacional de Educação (2011-2020): avaliação e perspectivas. Goiânia: Editora UFG; Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

FARIAS, Adriana de Jesus Diniz; NASCIMENTO, Rosangela Andrade. A crise do capital e a redefinição do papel do Estado como provedor de políticas educacionais. Revista Eletrônica Pesquiseduca. Santos, v. 4, n. 8, p. 225-239, jul./dez. 2012.

HARVEY, David. O Neoliberalismo: histórias e implicações. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

HÖFLING, Eloisa de Mattos. Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Cadernos Cedes, Campinas, v. 55, n. 21, p. 30-41, nov. 2001.

IANNI, Octavio. Estado e planejamento econômico no Brasil (1939-1970). 2. Ed. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1971.

KUENZER, Acácia Zeneida; GRABOWSKI, Gabriel. Educação Profissional: desafios para a construção de um projeto para os que vivem do trabalho. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 273-296, jan./jun. 2006.

______. Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

_______, Acacia Zeneida. O Ensino Médio agora é para a vida: entre o pretendido, o dito e o feito. Educação & Sociedade, Campinas, p. 15-39, v. 21, n. 70, Abri. 2000.

LIMA, Marcelo. A educação profissional no governo Dilma: Pronatec, PNE e DCNEMs. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação – RBPAE, v. 28, n. 2, p. 495-513, mai./ago. 2012.

MATTEI, Rejane Esther Vieira. O Estado e a modernidade no século XXI: uma análise do modelo de Estado e das políticas públicas no Brasil. Cadernos de Direito, Piracicaba, v. 12, n. 22, p. 111-126, jan./jun. 2012.

MOURA, Dante Henrique. Políticas Públicas para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio nos anos de 1990 e 200: limites e possibilidades. In: OLIVEIRA, Ramon. (Org.). Jovens, Ensino Médio e Educação Profissional: políticas públicas em debates. Campinas, SP: Papirus, 2012.

NETO, Cabral Antônio. Mudanças socioeconômicas e políticas e suas repercussões no campo da política educacional. Natal, 2012. Texto apresentado à UFRN, como parte do requisito para o concurso público de professor titular do Centro de Educação/UFRN.

PASTORE, José. As Políticas Educacionais: dos princípios de organização à proposta da democratização. In: PIANA, Maria Cristina (Org.). As políticas educacionais: dos princípios de organização à proposta da democratização. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 233 p.

PAZ, Sandra Regina; OLIVEIRA, Ramon. A educação tecnológica e profissional como programa /política de estado: Análise da política nacional de qualificação profissional do Brasil. In: OLIVEIRA, Ramon. (Org.). Jovens, Ensino Médio e Educação Profissional: políticas públicas em debates. Campinas, SP: Papirus, 2012.

RAMOS, Marise Nogueira. Concepções e princípios do ensino médio integrado. In: BRASIL (2008). Ensino médio integrado: uma perspectiva abrangente na política pública educacional. Brasília; 2008.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O Estado, o Direito e a Questão Urbana. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 9, p. 01-78, Jun. 1982.

SANTOS, Jean Mac Cole Tavares. Do novo ensino médio aos problemas de sempre: entre marasmos, apropriações e resistências escolares. Fortaleza: UFC, 2007.

SANTOS, Pablo Silva Machado Bispo. Guia prático da política educacional no Brasil: ações, planos, programas e impactos. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

SILVA, Pedro Luiz Barros. Possibilidades metodológicas para avaliar sistematicamente programas governamentais: reflexões a partir da experiência latino-americana. In: ARCOVERDE, Ana Cristina Brito. (Org.). Avaliação de políticas públicas em múltiplos olhares e diferentes práxis. Recife: Universitária da UFPE, 2008

SOUZA, Celina. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, p. 20-45, jul/dez 2006.

Downloads

Publicado

2018-08-28

Como Citar

LIMA, Erika Roberta Silva de; SILVA, Francisca Natália da; SILVA, Lenina Lopes Soares. RESSIGNIFICAÇÕES DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS NO ESTADO CAPITALISTA: ensino médio e educação profissional. Revista Labor, [S. l.], v. 2, n. 18, p. 17–32, 2018. DOI: 10.29148/labor.v2i18.33501. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/33501. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.